Juventus 🆚 Porto | Sonho morre no vermelho

-

[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”GoalPoint Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Juventus-Porto-Champions-League-201617-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”Melhor em Campo ” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Juventus-Porto-Champions-League-201617-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”45m” tab_id=”1465571624614-ba177b16-4154″]
GoalPoint-Juventus-Porto-Champions-League-201617-45m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”90m” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Juventus-Porto-Champions-League-201617-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O FC Porto está fora da Liga dos Campeões, depois de perder com a Juventus, por 1-0, em Itália, na segunda mão da eliminatória, que terminou com uns claros 3-0. A formação portista partira para Turim com consciência da dificuldade da tarefa que tinha pela frente, e o sonho de uma reviravolta terminou com a expulsão de Maxi Pereira e consequente grande penalidade, aos 40 minutos, que resultou no único golo da “Velha Senhora”.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início forte da equipa da casa (como seria de esperar), apesar de, nos primeiros 15 minutos, o único remate enquadrado ter pertencido ao FC Porto. A Juventus registava três remates desenquadrados, 59% de posse e 87% de passes eficazes (contra 74% do adversário).

  • Passados 30 minutos, mantinha-se o nulo no marcador, embora a Juventus fosse crescendo de forma gradual, levando já um remate enquadrado. Marchisio, com 35 passes, 32 dos quais certos, comandava a formação italiana, enquanto do lado portista eram Óliver Torres e Danilo Pereira, ambos com 22 passes, a definir as operações. Soares, com apenas sete toques na bola, passava completamente ao lado do encontro.
  • Aos 40 minutos, Maxi Pereira “borrou a pintura” ao dar o corpo ao manifesto para travar um remate de Higuaín. O lateral uruguaio acabou por tocar com as mãos na bola, recebendo ordem de expulsão, a segunda para os “dragões” nesta eliminatória, novamente um lateral. Dybala não perdoou da marca de grande penalidade.

  • Intervalo Primeira parte completamente dominada pela Juventus, que somava 11 remates, três dos quais enquadrados, contra apenas três do adversário (um à baliza). Dybala, o autor do golo, era quem liderava os GoalPoint Ratings, com 6.5, ele que, para além do remate certeiro, somava ainda dois passes para ocasião e quatro duelos ganhos em outros tantos disputados. Logo abaixo surgia Daniel Alves 6.3 com uns impressionantes quatro passes para ocasião e 62 toques. O melhor portista era Brahimi 5.5, com 39 toques, duas faltas sofridas e 13 duelos ganhos em 14 disputados.

  • O segundo tempo arrancou com uma perdida incrível de Soares, que, na cara de Buffon, depois de deixar Benatia para trás, rematou ao lado. Segunda noite europeia negativa para o avançado brasileiro, que procurava marcar o seu primeiro golo na Liga dos Campeões.
  • Passados 15 minutos desde o reatamento, a Juventus ainda não tinha feito qualquer remate, embora registasse 66% de posse de bola. A equipa portista, por sua vez, levava já dois disparos, ambos desenquadrados.

  • A tranquilidade com que a Juventus geriu a vantagem traduziu-se no facto de ter terminado a segunda parte com 433 passes, 92% dos quais eficazes, 69% de posse de bola e quatro remates (três desenquadrados e um bloqueado). Os “dragões”, por sua vez, só obrigaram Buffon a aplicar-se aos 88 minutos, num remate de longe de Diogo Jota, que, minutos antes, falhara o golo na cara do experiente guardião. Desta partida fica ainda o registo das enormes facilidades concedidas aos italianos, que fizeram 13 remates de dentro da área ao longo da partida.

O Homem do Jogo 👑

Excelente exibição do lateral-direito Daniel Alves, que terminou a partida com um GoalPoint Rating de 7.2. A juntar às sete acções defensivas (cinco desarmes e duas intercepções), o ex-Barcelona recuperou a posse 19 vezes, tocou na bola 151 vezes e fez 116 passes, quatro deles para ocasião. Juntamente com Cuadrado, causou muitos problemas Layún, que ficou condicionado com o amarelo aos 30 minutos.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Dybala 6.6 – O golo de grande penalidade foi o expoente máximo de uma boa exibição. Os seus três outros remates, todos eles de fora da área, foram desenquadrados. Registou dois passes para ocasião e entrou seis vezes na área contrária.
  • Brahimi 5.4 – Os seus oito dribles eficazes foram o quarto melhor registo desta edição da prova. Disputou 16 duelos, vencendo 13, mas não esteve ao seu melhor nível na distribuição, acertando apenas 68% dos seus passes.
  • Boly 5.5 – Entrou ao intervalo para impedir males maiores e cumpriu. Contabilizou quatro acções defensivas e duas recuperações de posse.
  • Soares 4.3 – Um dos piores desta noite europeia. Falhou uma ocasião flagrante, acertou apenas 12 dos 22 passes que fez, perdeu a bola 19 vezes e controlou-a mal em seis ocasiões.
  • Maxi Pereira 3.3 – Condicionou (e de que maneira) a equipa com a sua expulsão. Antes de ver o vermelho registava dois alívios e um cruzamento eficaz.

Banner_UNICEF_GOAL_3

Luís Mira
Luís Mira
Jornalista com mais de uma década de experiência profissional. Colaborou com vários órgãos de comunicação, nacionais e estrangeiros, entre os quais Público, A Bola, Goal.com, Sky Sports e BBC.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR