Kramer ficou mesmo a “bater mal” na final do Mundial

Kramer foi substituído após violento choque com Garay durante a final do Mundial 2014 (foto: Instragram)
Kramer foi substituído após violento choque com Garay durante a final do Mundial 2014 (foto: Instragram)

Os traumatismos cranianos são um tema na ordem do dia, não só no futebol mas também noutros desportos, com particular ênfase no futebol americano onde o tema foi já amplamente estudado e tem motivado frequente debate depois de alguns casos dramáticos envolvendo ex-jogadores e jogadores em actividade. Apesar dos pormenores curiosos o caso do jogador alemão Cristoph Kramer é um bom exemplo das consequências que uma forte pancada como a que protagonizou na final do Mundial 2014 com Ezequiel Garay podem ter para os jogadores. Até agora pouco se sabia acerca do breve período (ainda assim cerca de 15 minutos) em que Kramer esteve em campo após o choque mas ontem num programa televisívo germânico foram vários os jogadores que revelaram pormenores que dão conta do quão desorientado Kramer esteve durante aqueles minutos, até ser substituído.

O capitão Philipp Lahm revelou:

” Inicialmente eu não estava preocupado, ele estava a jogar normalmente. As coisas começaram a ficar estranhas quando ele me pediu a braçadeira de capitão e eu pensei “mas o que é que se passa aqui”. Quando percebi que ele queria trocar de camisola com o árbitro pensei que já era demais.”

 

Já o guarda-redes Manuel Neuer referiu:

“Ele parecia bem até começar a demonstrar um comportamento estranho. Depois chegou-se a mim e disse -me “Manu, deixa-me ir à baliza”

 

Mas a revelação mais surreal chegou por Thomas Muller:

“Até agora as pessoas só sabiam que ele me tinha perguntado se aquele jogo era a final mas infelizmente esse é o pormenor mais inofensivo de tudo o que se passou. Ele chamou-me “Gerd” (alusão a Gerd Muller, avançado da selecção germânica campeão em 1974) e deu-me os parabéns pela final de 74. Quando o público estava mais barulhento ele disse-me “grande atmosfera aqui no estádio do Ruhr”. Foi importante ele ser substituído pois ninguém sabe o que ele faria a seguir, quiçá tirar as cuecas ao árbitro”.

 

O humor inerente às revelações anda de mão dada com a preocupação e medidas preventivas e regulamentares que este tipo de casos deve merecer.

Eis o vídeo original com os depoimentos (infelizmente disponível apenas em alemão).

https://www.youtube.com/watch?v=4LSbiyKR8Q4