GoalPoint-Letónia-Portugal-QL-MUNDIAL-2018-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Letónia-Portugal-QL-MUNDIAL-2018-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Letónia-Portugal-QL-MUNDIAL-2018-45m
Clique para ampliar
GoalPoint-Letónia-Portugal-QL-MUNDIAL-2018-90m
Clique para ampliar

ASelecção mantém a perseguição à Suíça na caminhada rumo ao Mundial-2018 ao bater a Letónia por 3-0, em Riga. Mesmo com pouco tempo de descanso depois da final da Liga dos Campeões, Cristiano Ronaldo rubricou uma exibição estatística de gala, marcando dois dos três golos de Portugal, deixando boas perspectivas para a Taça das Confederações, que arranca daqui a uma semana.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início muito lento da partida, sem qualquer remate feito durante os primeiros dez minutos do desafio. Apesar de ter 62% de posse de bola, Portugal demonstrava muitas dificuldades para transpor o meio-campo adversário. Os únicos jogadores lusitanos com mais do que dez toques na bola eram todos eles de características defensivas: José Fonte, Raphael Guerreiro, Bruno Alves e William Carvalho.

  • Com o passar dos minutos, Portugal começou a impor o seu jogo, chegando com muito perigo à baliza de Vanins aos 26 minutos, numa “bomba” de Cristiano Ronaldo, que obrigou o guarda-redes letão a uma grande defesa. Primeiro remate da partida da estrela do Real Madrid, que, curiosamente, era o jogador português de campo com o segundo menor número de toques na bola, 11. Pior do que ele só André Silva, com seis.
  • À terceira foi de vez: depois de dois remates defendidos pelo guarda-redes, Ronaldo acabou por marcar aos 41 minutos, numa recarga após cabeceamento de José Fonte ao ponte. Décimo golo apontado pelo camisola 7 português nesta fase de apuramento, em apenas seis partidas!

  • Intervalo Terminada a primeira parte, Portugal levava 12 remates, quatro deles à baliza, contra três dos da casa, nenhum dos quais enquadrado. O domínio da Selecção era ainda bem visível em diversas outras variáveis: posse de bola (69%-31%), eficácia de passe (84%-67%), número de passes (260-124) e pontapés de canto (6-2). Sem surpresas, Ronaldo liderava os GoalPoint Ratings, com 6.6, graças em grande parte ao golo apontado, a que somava três remates enquadrados, um drible eficaz e dois duelos ganhos. O melhor da Letónia, por sua vez, era o guarda-redes Vanins 5.5, já com três defesas.
  • A equipa portuguesa começou a segunda parte com a mesma determinação com que tinha terminado a primeira. Nos primeiros 15 minutos após o reatamento, fez quatro remates, dois deles à baliza, e conseguiu uns claros 69% de posse de bola. Ainda assim, os letões deixaram um sério aviso aos 56 minutos, num disparo “do fundo da rua” por parte de Laizans, obrigando Rui Patrício à primeira defesa da noite.

  • E foi então que tudo mudou, e no espaço de poucos minutos. Aos 63 minutos, Ronaldo fez o seu segundo golo da noite, novamente no sítio certo, a cabecear para o fundo da baliza depois de o cruzamento de Ricardo Quaresma ter sido desviado por um defesa adversário. Apenas quatro minutos depois, André Silva fez o 3-0 (no seu primeiro remate), a passe de Cristiano Ronaldo, numa jogada que começou com uma recuperação de bola por parte do avançado portista, a forçar o erro da defesa letã.

  • Mesmo sem marcar nem assistir, Raphael Guerreiro dava nas vistas no ataque português: à entrada para os derradeiros dez minutos, o defesa do Borussia Dortmund levava três passes para finalização e 82 toques na bola, ambos eles máximos na formação das quintas.
  • Mesmo com a partida controlada, Portugal não se coibiu de atacar, terminado a segunda parte com oito remates, cinco deles à baliza, e uns expressivos 72% de posse de bola. Os letões, por sua vez, não mais voltaram a incomodar Rui Patrício, depois daquele “susto” no início da segunda parte.

O Homem do Jogo 👑

Faltou um “bocadinho” para ser a exibição perfeita. Cristiano Ronaldo foi simplesmente imparável ao longo da partida, marcando dois golos e assistindo André Silva para o terceiro. Mas o impacto de CR7 em Riga vai muito além disto: fez sete dos oito remates enquadrados de Portugal, foi feliz em cinco dos seis dribles que executou (o que é raro no “astro”, tanto na quantidade como no acerto), acertou 28 dos 31 passes que fez, dois deles para finalização, e ainda venceu sete dos nove duelos que disputou. Tudo somado, Ronaldo leva nota 9.9  nos GoalPoint Ratings. Uma noite memorável.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • José Fonte 7.0 – Rematou três vezes, uma delas resultante no primeiro golo de Ronaldo. Para além disso, venceu cinco dos seis duelos que disputou, fez sete recuperações de bola, três desarmes e quatro alívios.
  • André Silva 6.5 – Marcou o terceiro golo da noite, é certo, mas nem tudo lhe correu bem. Falhou oito dos 22 passes que fez, foi desarmado seis vezes e controlou mal a bola em três ocasiões.
  • Vanins 6.4 – Sofreu três golos mas conseguiu ser o melhor da sua equipa, com seis defesas ao todo, metade das quais a remates de dentro da área.
  • Gorkss 5.1 – A asneira que cometeu no lance do terceiro golo não apaga uma boa exibição. Somou 11 alívios, três desarmes e três duelos ganhos.
  • Gelson Martins 4.9 – Teve uma noite para esquecer. Fez dois remates, ambos muito desenquadrados, controlou mal a bola três vezes e foi desarmado duas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here