Num momento em que os clubes habitualmente denominados de “pequenos” parecem dar sinais de querer assumir maior preponderância na definição da agenda do futebol português, nada mais apropriado do que olharmos para os jogadores que se têm destacado na Liga NOS fora da órbita de Benfica, Porto e Sportingisto após a eleição do “onze” do mês de Dezembro.

Com base nos nossos GoalPoint Ratings, e aproveitando o final do ano, construímos um “onze” com os melhores jogadores de 2017/18 até à 15ª jornada, com um mínimo de 675 minutos de jogo, e que não jogam em nenhum dos “grandes”. Quem acompanha as nossas equipas da jornada certamente adivinhou alguns dos nomes que aqui apresentamos, e também não se surpreenderá com o facto de quatro dos melhores serem do Sp. Braga, clube que, regularmente, tem dos jogadores com os melhores ratings, jornada a jornada. E há sete brasileiros nestas nossas escolhas.

O seu palpite aproximou-se no “onze” que apresentamos em seguida?

GoalPoint-onze-sem grandes-Dezembro-Liga-NOS-J15-201718-infog
Clique para ampliar

 

Ricardo (D. Chaves) 6.12 – Nem sempre titular nos flavienses, mas nos nove jogos que realizou esta época na Liga, Ricardo foi três vezes o melhor em campo e integrou os “onzes” da jornada noutras tantas ocasiões.

Ricardo Esgaio (Sp. Braga) 6.02 – “Rei” das assistências até ao momento na Liga NOS, com seis, Esgaio tem sido um dos melhores do Braga. Entre os jogadores que cabem neste nosso critério é o sétimo com mais ocasiões flagrantes criadas, 0,36 a cada 90 minutos, e já integrou duas vezes os nossos “onzes” de cada ronda.

Dráusio (Marítimo) 6.07 – Uma das grandes surpresas do campeonato. O brasileiro do Marítimo foi um dos jogadores do mês de Dezembro, e regista 7,3 alívios a cada 90 minutos, sendo batido apenas pelos 7,5 do colega de equipa Zainadine entre os jogadores dos chamados “pequenos”.

Raphael Rossi (Boavista) 5.98 – Talvez o melhor jogador do Boavista esta temporada. O central brasileiro já somou três destaques de melhor em campo com base no nosso rating, e soma nesta altura três golos na prova. Entre os jogadores em análise é o terceiro com mais alívios (7,2 por 90 minutos).

Jefferson (Sp. Braga) 6.40 – O brasileiro saiu do Sporting e está a mostrar grande qualidade no corredor esquerdo minhoto. É o segundo lateral, entre jogadores fora do lote dos “grandes”, com mais acções com bola (74 por 90 minutos), e é o que soma mais passes para finalização (2,9), todas realizadas nas áreas contrárias. Regista ainda o número médio máximo de cruzamentos de bola corrida (6,3).

Danilo Barbosa (Sp. Braga) 6.17 – Não vingou no Benfica, mas regressou ao Braga para brilhar. O médio brasileiro já leva dois golos na Liga, um deles ao Sporting, e integrou três “onzes” da jornada. Entre os “trincos” desta nossa análise é o que regista mais dribles eficazes por 90 minutos (2,4) e o que falha menos no desarme (8,7%).

Lucas Evangelista (Estoril) 6.36Já falámos exaustivamente de Lucas Evangelista, mas o brasileiro teima em surgir nos nossos “onzes” e destaques. Jogador do mês de Dezembro, este surpreendente médio não joga num dos “grandes”, mas os seus números  encaixariam se o fizesse. Dois golos, uma assistência, 3,0 desarmes, 2,0 passes para finalização e 6,3 recuperações de posse por 90 minutos são um belo cartão de visita. Foi quatro vezes o melhor em campo e integrou cinco vezes os “onzes” da jornada até ao momento.

Paulinho (Portimonense) 6.15 – O médio-ofensivo do Portimonense tem sido uma das revelações deste campeonato. Integra o lote de jogadores com cinco assistências (a par de Brahimi e Pizzi e apenas atrás de Esgaio), e regista ainda dois golos. De entre os jogadores dos “pequenos” é aquele que regista mais recuperações de posse (7,6) e passes para finalização (2,8) a cada 90 minutos e o quarto com mais tentativas de drible (3,8), mostrando assim ser um jogador de equipa.

Raphinha (Vitória Guimarães) 6.04 – O jovem extremo do Vitória, de 21 anos, tem dado nas vistas e, segundo a imprensa, despertado o interesse dos “grandes”. É o quinto melhor marcador da Liga, com nove golos, e soma uma assistência. Entre os extremos desta análise é o que soma mais passes para finalização (2,3 a cada 90 minutos).

Fábio Martins (Sp. Braga) 6.45 – Em Braga mora um extremo que já havia brilhado no Chaves, em 2016/17, e fá-lo agora na Pedreira. Jogador muito forte e decisivo quando salta do banco de suplentes, Fábio regista já três golos e quatro assistências, e só Raphinha bate o “arsenalista” entre os extremos em análise no que toca a passes para finalização.

Gonçalo Paciência (Vitória Setúbal) 5.73 – Três golos e uma assistência é, até ao momento, o pecúlio de Gonçalo Paciência nesta Liga. O sadino é o segundo ponta-de-lança dos chamados “pequenos” com mais remates a cada 90 minutos (3,5) e, destes, o que mais tenta o remate de fora da área em lances de bola corrida. Tanta, ainda, 5,9 vezes o drible (por 90 minutos), com 43% de eficácia.

Menções honrosas

Entre os grandes jogadores dos clubes mais modestos, mas que por uma ou outra razão não couberam neste “onze”, estão estes craques.

  • Shoya Nakajima (Portimonense) 6.24 – O japonês tem tido jogos muito conseguidos, outros nem tanto, mas a marca que deixou na Liga até ao momento ninguém a apaga. Até ao momento regista seis golos e duas assistências e, consta, já atraiu a atenção de Porto e Benfica.
  • Rúben Ribeiro (Rio Ave) 6.14 – Outro que já atraiu a cobiça de clubes “grandes” é o criativo do Rio Ave – Porto e Sporting, avança a imprensa. Dois golos e outras tantas assistências, 2,5 desarmes, 65% de dribles eficazes é a marca do atleta de 30 anos.
  • Muriel (Belenenses) 6.09 – O clube do Restelo está a fazer um campeonato de altos e baixos, mas Muriel tem sido um garante de consistência na baliza. Actualmente regista 72,2% de remates enquadrados defendidos e lidera, a par de Quim, no número de defesas a cada 90 minutos (3,6).

Parabéns aos eleitos!

Nota metodológica: “Onze” elaborado tendo em conta o GoalPoint Rating médio de todos os jogadores que cumpriram um mínimo de 675 minutos jogados na Liga NOS, excepto de Porto, Sporting e Benfica