Seis jornadas estão decorridas no nosso principal campeonato, pelo que chegou a altura de eleger o “onze” que, segundo o GoalPoint Ratings, tem tido o melhor desempenho em campo. A base da escolha é o rating médio por jogo para todos os jogadores com o mínimo de três jogos realizados.

Liga NOS - Equipa do Mês Agosto/Setembro 2015

A avaliação dos desempenhos dos jogadores tem um grau de subjectividade que é transversal a qualquer análise, algumas das escolhas que aqui apresentamos darão, certamente, tema de conversa e debate entre os nossos leitores, mas estes são, de facto, e à luz da produção individual efectiva, os melhores da Liga até ao momento tendo por base os principais e decisivos parâmetros e valores alcançados por cada um. Confira o nosso “onze”.

Guarda-Redes:
Salin (Marítimo)
GP Rating: 6.92

Por alguma razão um dos “meninos bonitos” do Verão, José Sá, continua sem calçar as luvas. Salin tem estado quase irrepreensível entre os postes e até conta com um penalty defendido, mas é fora deles que tem dado mais nas vistas. Duas saídas em antecipação por jogo, ao bom estilo do Manuel Neuer, ao que junta 1,3 saídas pelo ar, com 100% de eficácia. Em ambos os parâmetros é o melhor da Liga até ao momento.

Lateral-Direito:
Nélson Semedo (Benfica)
GP Rating: 5.74

Pelos lados da Luz já ninguém sente falta de Maxi Pereira. Nelsinho entrou no “onze” com surpresa, mas tem crescido consistentemente e revela números bem interessantes, tanto a defender como a atacar. Os 84% de eficácia no desarme, que correspondem a 2,7 desarmes por jogo, revelam grande acerto na marcação, e a atacar tem uma média de 1,7 dribles certos por partida, com 45% de eficácia. Se acha que é pouco dizemos-lhe que Maxi, por exemplo, consegue 0,8 dribles a cada 90 minutos e acerta apenas 21% das tentativas. Elucidativo.

Defesa-Central:
Jardel (Benfica)
GP Rating: 6.66

Foi uma das figuras da Benfica campeão e não perdeu forma com a lesão. Nos três jogos que fez para o campeonato esteve soberbo no Dragão e muito consistente nos outros dois. As 5,3 intercepções por jogo, a melhor média do campeonato, revelam todo o poder de antecipação do brasileiro na velocidade com que lê e executa, e a isso junta-lhe ainda uma elevada percentagem de duelos ganhos (70%).

Defesa-Central:
Lisandro López (Benfica)
GP Rating: 6.57

O argentino pode até ter perdido o lugar para Jardel, mas nos três encontros em que alinhou deu motivos mais que suficientes a Rui Vitória para este perceber que está pelo menos à altura dos dois centrais titulares. Lisandro é o melhor jogador da Liga em três parâmetros fundamentais num defesa: percentagem de duelos ganhos (85%), número de duelos aéreos ganhos por jogo (7,3), e alívios de bola (7,7). Os números de Luisão, por exemplo, andam pela metade.

Lateral-Esquerdo:
Djavan (Braga)
GP Rating: 6.01

Surpresa só para quem não o tem acompanhado. O brasileiro que tão rápido desagradou a Jesus tem confirmado as boas indicações deixadas na Académica e no Braga o ano passado. É o segundo lateral que mais bolas intercepta por jogo no campeonato (3,8), e também dá nas vistas no ataque, sendo apenas superado por Jefferson no número de cruzamentos certos (1,5) a cada 90 minutos. Djavan, no entanto, acerta 28% dos cruzamentos, enquanto Jefferson, tido como um dos que melhor cruza em Portugal, acerta apenas 18%.

Médio-Defensivo:
Adrien Silva (Sporting)
GP Rating: 6.44

Talvez o mais consistente jogador do Sporting neste início de época. Ninguém rouba mais bolas por jogo do que ele no campeonato (3,4), e chega quase aos dez duelos ganhos a cada 90 minutos, o melhor número entre os centrocampistas. Também no passe tem números de jogador grande, com cerca de 43 entregas efectuadas para o meio-campo contrário a cada jogo. William tem concorrência séria.

Médio-Centro:
André André (Porto)
GP Rating: 6.38

Já o havíamos elogiado em outras ocasiões e André André não nos deixou ficar mal. Apesar de não ter sido sempre titular, esteve impecável quando chamado e tem revelado uma veia goleadora assinalável. A isso não é alheio o acerto no remate, visto que dos 1,4 que faz por jogo nenhum deles foi desenquadrado com a baliza. Mas André também tem brilhado na criação de oportunidades (1,8/jogo) e dribles eficazes (2,3/jogo). Números de selecção.

Extremo-Direito:
Corona (Porto)
GP Rating:  6.62

Só chegou no fecho do mercado mas em três jogos quase que já justificou a contratação. É o jogador que precisa de menos minutos para marcar de bola corrida (80), isto porque remata à baliza sempre que tem uma pequena oportunidade para o fazer. A cada jogo são 1,9 os remates que saem enquadrados entre os postes. É ainda o segundo melhor driblador do campeonato com 3,4 fintas bem-sucedidas a cada 90 minutos, apenas superado por Brahimi.

Extremo-Esquerdo:
Nico Gaitán (Benfica)
GP Rating: 6.84

Não há muito para dizer sobre Gaitán que ainda não tenha sido dito, mas se há número que o consagra como o mais forte desequilibrador do campeonato são os cinco passes para ocasião por jogo que produz. Para se ter a noção, veja-se que o segundo melhor neste parâmetro é Jonas com… 2,8. Estes números traduzem-se em uma assistência para golo por jogo, sendo o principal método de fornecimento o cruzamento (2,9/jogo) com 40% de eficácia. Gaitán já fora o nosso jogador do mês de Agosto, após ter sido o melhor jogador da Liga NOS 2014/15. Pode parecer que temos um “fetiche” mas… o “diabo” do argentino produz que se farta, com ou sem transferência milionária no horizonte.

Avançado:
Jonas (Benfica)
GP Rating: 7.26

É, de acordo com o GoalPoint Ratings, o melhor jogador do campeonato até ao momento. Os 4,9 remates por jogo, sendo 1,9 deles à baliza, convertidos em sete golos, já eram impressionantes o suficiente, mas além disso Jonas também cria inúmeras oportunidades para os seus companheiros como já foi dito acima. É difícil exigir mais a um atacante.

Ponta-de-Lança:
Suk (Vitória Setúbal)
GP Rating: 6.38

Fugir da hegemonia dos “três grandes” logo numa posição tão característica como a de ponta-de-lança é obra, mas o sul-coreano tem justificado, e de que maneira, esta eleição. Logo à segunda jornada fez aquela que ainda permanece como a melhor exibição do campeonato até ao momento. Uma nota de 9,7 resultado de dois golos (um deles de belo efeito), uma assistência, três ocasiões criadas e 15 duelos ganhos, entre outras coisas, chamaram a ele vários olhares, e Suk tem continuado a impressionar. Nas alturas é mestre, ganhando 5,8 duelos por jogo, superado apenas por Lisandro López.