A selecção está de volta para um duplo compromisso contra Bulgária e Bélgica, e Fernando Santos fez uma convocatória quase sem surpresas. À previsível estreia de Renato Sanches juntaram-se caras já habituais, com algumas chamadas a merecerem críticas tendo em conta a sua prestação esta época.

Há muito que a Selecção é muito mais do que apenas o que se joga em Portugal. As Quinas são hoje envergadas maioritariamente por jogadores que actuam um pouco por toda a Europa, fruto da total internacionalização do futebolista português, pós-Bosman. Mas colocando de parte essa realidade recorremos aos GoalPoint Ratings para encontrar o melhor lote de portugueses que actuam na Liga NOS, como sempre com base no seu desempenho estatístico. Na convocatória “real”, Rafa foi a única excepção entre jogadores dos três “grandes”, mas será que haviam outras boas opções a merecer uma oportunidade nesta fase de testes? Eis o resultado:

Liga NOS | O melhor XI "luso" até ao momento!
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Mika nas redes

Na baliza a titularidade vai para Mika. Curiosamente o habitual dono do lugar na selecção, Rui Patrício, até actua no nosso campeonato, mas com uma performance média de 5.53 está longe de fazer uma época ao nível do que já se viu noutros anos embora também acabe por pagar a factura estatística de jogar num grande. Mika por seu turno tem estado em grande, sofrendo apenas 18 golos nos 19 jogos em que foi titular, algo que contrasta e de que maneira com os 16 golos sofridos pelo Boavista nos 8 jogos em que Mika não actuou. A outra opção seria Marafona, guarda-redes de 28 anos que trocou o Paços de Ferreira pelo Braga a meio da época, e continuou no Minho a senda de boas exibições. Com Eduardo a aproximar-se do fim de carreira, qualquer um deles seria boa opção para 3º guarda-redes no Euro 2016.

Olhos postos em Figueiredo

A defesa é o sector com mais urgência em ser renovado na selecção nacional, e os GoalPoint Ratings apontam quatro opções que não figuram na lista de Fernando Santos. O polivalente André Almeida é sempre uma opção segura e tem cumprido (este ano mais à direita) no Benfica, mas é à esquerda que se dá um caso curioso de severa discordância com as opções do seleccionador. Apesar da recente subida de forma, Eliseu tem feito uma época muito aquem da qualidade exigível para um jogador de selecção (média GPR 5.34), e há no campeonato português um jovem para a sua posição que merece um olhar atento: Afonso Figueiredo. Com 23 anos e a cumprir a sua segunda época na Liga NOS, e após passar na formação de Sporting, Belenenses e Braga, o lisboeta tem crescido muito e parece estar pronto para outros patamares.

Ao centro o jogador mais novo entre os convocados é José Fonte que tem 32 anos, e é urgente começar a pensar na renovação. Os GoalPoint Ratings apontam mais um jogador do Boavista, Nuno Henrique, que estava a fazer uma época muito consiste até se lesionar, mas acima de tudo dois jovens que podem ser o futuro: Fábio Cardoso e Rúben Semedo. O primeiro está emprestado pelo Benfica ao Paços de Ferreira e apesar de não ser muito forte nos duelos, destaca-se ao nível da antecipação e do desarme, um pouco ao jeito de Ricardo Carvalho. Já Rúben Semedo, que também começou a época emprestado, assumiu-se como titular do Sporting, e se moderar alguns excessos poderá ser uma opção séria de futuro.

Tesouros no miolo

O meio-campo é onde há a maior concordância com as opções do seleccionador. O trio titular: Danilo, Adrien e João Mário está entre os eleitos, e dificilmente não estará no Europeu, assim como William Carvalho e Renato Sanches estão relativamente bem cotados nos GoalPoint Ratings (o médio leonino falha o banco por uma vaga, mesmo cumprindo a menos vistosa das suas três épocas). André André tem feito uma temporada acima de ambos mas está lesionado e em quebra de forma, veremos se recupera a tempo de justificar uma reentrada. Aqui não só não faltam opções como também não falta juventude, mas a olhar para algum jogador fora dos três grandes destaca-se Cafú do Vitória de Guimarães, com um GPR médio de 5,62.

Há “setas lusas” para lá do óbvio

Considerando os números que tem vindo a somar e a preponderância que ganhou no onze do Benfica, talvez a grande ausência entre os jogadores que actuam no futebol português seja a de Pizzi. Tendo em conta que Ronaldo está destinado a actuar como ponta-de-lança, e que Danny e Quaresma estão longe de ser jovens e/ou consensuais, a ausência do brigantino não pode deixar de causar estranheza. Curioso é o facto do outro titular nas alas ser um jogador do Braga… que não é Rafa. A estrela do Braga tem feito uma grande época mas sobretudo na Liga Europa, e internamente quem tem brilhado mais é Pedro Santos, que tem conseguido números de grande nível. À beira de completar 28 anos, o lisboeta está provavelmente no auge da sua carreira e uma recompensa pelas excelentes actuações que tem feito recentemente não teria ficado mal.

Na frente… a escassez de sempre

A frente do ataque foi uma das maiores fontes de polémica tendo em conta a chamada de Éder que tem apenas dois golos esta época, mas o que é certo é que também não é no futebol português que se encontram muitas opções para o lugar. Bruno Moreira do Paços tem sido muito nomeado tendo em conta os seus 14 golos na Liga, mas os GoalPoint Ratings indicam outra alternativa quase tão goleadora, mas mais jovem: André Claro. O jovem de 24 anos que também pode ser utilizado nas alas, voltou esta época a ser utilizado na sua posição de origem no 4-4-2 de Quim Machado, e tem correspondido com golos, alguns deles de belo efeito, justificando já o interesse de diversos clubes estrangeiros. Não tendo um GPR médio fenomenal, Claro é talvez a alternativa mais interessante que se pode encontrar na Liga NOS actualmente, para uma posição cuja escassez crónica é registada também no nosso rating.