Na 11ª jornada da Liga NOS olhámos para o desempenho dos jogadores em prova, à procura dos melhores portugueses até então. Na altura, para aproveitar a paragem do campeonato para compromissos da selecção, elaborámos um “onze” apenas de atletas lusos, baseado nos GoalPoint Ratings, com alguns nomes que provavelmente não estava à espera. Mais uma vez os campeões da Europa vão jogar, esta sexta-feira – um jogo de preparação com o Egipto -, pelo que é chegada a hora de voltarmos a olhar, de novo, para os melhores portugueses na Liga.

Aborrece-me ver o valor que em Portugal dão aos estrangeiros, não vejo tanto valorizar o que é nosso, os jogadores portugueses“, afirmou Cristiano Ronaldo, na recente Gala Quinas de Ouro. O melhor do mundo gostará então deste exercício, através do qual identificamos algumas surpresas e confirmações. Desde o último “onze” 100% português passaram 16 jornadas, mas ainda assim há quatro jogadores que mantêm o seu posto nas nossas “escolhas”, todos eles representantes dos “três grandes”.

Sem espanto para quem acompanha as nossas equipas da jornada, há novos nomes que tomaram de assalto esta nossa equipa, com um novo guarda-redes, um ala que não pára de marcar e um ponta-de-lança que está a dar cartas numa das melhores equipas da Liga.

GoalPoint-XI-portugues-Liga-NOS-201718-J27-infog
Clique para ampliar

 

Cláudio Ramos (Tondela) 6.04 – Cinco presenças no “onze” da jornada e quatro distinções de MVP depois, Cláudio Ramos assume com total justiça o lugar de melhor guarda-redes português até à 27ª jornada. O 8.0 à 19ª ronda e o 8.2 à 24ª são os seus melhores registos. Um de quatro jogadores com nove defesas num só jogo (o recorde é dez), Cláudio Ramos é o “keeper” português com mais paradas a cada 90 minutos (3,4) e o segundo com maior percentagem de remates na grande área enquadrados defendidos, 64,8%, apenas atrás de Rui Patrício (72,2%), este com menos serviço.

Ricardo Pereira (FC Porto) 6.51 – Um dos resistentes em relação à 11ª jornada, mantendo uma nota média ligeiramente inferior. O rating de 9.4 à nona jornada continua a ser o feito mais extraordinário, isto num jogador que, até ao momento, registou dois MVP’s, tem dois golos marcados e três assistências e é o lateral-direito luso com mais acções com bola (79,1 por 90 minutos), mais remates enquadrados (0,3), mais ocasiões flagrantes criadas (0,6), mais desarmes (3,4), intercepções (2,1) e recuperações de posse (5,8). Uma época até agora em cheio a confirmar o que previmos.

GoalPoint-André_Almeida_2017_vs_Ricardo_Pereira_2017-infog
Clique para ampliar

 

Rúben Dias (Benfica) 5.86 – O central benfiquista tem feito um campeonato em crescendo, inclusive em termos ofensivos, com três golos nos últimos sete encontros. Defensivamente tem estado intratável, sendo o português na sua posição com menos desarmes falhados (9,1%) e menos dribles consentidos (0,1).

Miguel Vieira (Paços Ferreira) 5.59 – Primeiro marcou ao FC Porto e ditou a primeira derrota do líder. Logo a seguir fez o tento do empate 1-1 na casa do Estoril. Miguel Vieira está em grande forma e soma já quatro golos e duas assistências, o que não espanta, dado que é o defesa-central português com mais remates a cada 90 minutos (0,8). A defender é o que mais bloqueios de remate regista até ao momento (1,0), e o segundo com mais alívios (5,6).

Yuri Ribeiro (Rio Ave) 5.82 – Fábio Coentrão liderava entre os laterais-esquerdos lusos à 11ª jornada, mas uma segunda volta de bom nível de Yuri roubou o lugar ao sportinguista. O jovem de 21 anos tem tido uma temporada muito consistente e é o jogador português na sua posição com mais assistências por 90 minutos (0,3, num total de cinco) e mais tentativas de drible no último terço (1,9, sendo 0,9 delas eficazes).

Danilo Pereira (Porto) 6.00 – A ausência de Danilo dos relvados já vai longa, mas ainda assim o portista continua a ser o melhor “trinco” português, tal como era à 11ª jornada, mesmo que uns furos abaixo da temporada passada (regista apenas um golo e nenhuma assistência). O médio é o luso na sua posição que mais remata (1,2 a cada 90 mins), mais ocasiões flagrantes cria (0,2), que mais passes para finalização faz na grande área (0,4), o que apresenta melhor eficácia de passe (88%) e é o que, de longe, soma mais recuperações de posse (8,2).

Pizzi (Benfica) 6.21 – O benfiquista está longe do que foi em 16/17 e, embora mantenha o seu lugar nesta nossa equipa, também sofreu uma quebra no rating em relação à 11ª jornada. Mas a verdade é que o transmontano por aqui está, com alguns números interessantes: cinco golos, seis assistências, 91,5 acções com bola por jogo (máximo entre portugueses na sua posição), 2,1 passes para finalização, 84% de eficácia de passe, 0,4 ocasiões flagrantes criadas e 6,7 recuperações de posse. Continua a ser um jogador muito influente para as “águias”.

Bruno Fernandes (Sporting) 6.62 – O médio leonino já não marca com a mesma cadência que apresentou no início da época, mas continua a ser peça fundamental na equipa de Jorge Jesus. Os golos podem faltar mas não falta trabalho e produto. O médio regista oito golos e cinco assistências na Liga, com exibições que lhe valeram sete distinções de melhor em campo, dez presenças nas equipas da jornada e quatro nas do mês (o melhor de Agosto). Continua a ser o médio-ofensivo português com mais remates por 90 minutos (2,7), mais disparos de fora da área em futebol corrido (1,5) e mais passes para finalização (2,4).

Ricardo Horta (Sp. Braga) 6.21 Seis golos nos últimos quatro jogos do Sp. Braga originam uma das surpresas (ou talvez não) deste nosso “onze” luso de desempenho. Apesar da boa recente forma de Gelson Martins, Ricardo Horta – que tem ocupado várias posições no ataque – tem estado imparável, somando já dez tentos na Liga e cinco assistências. O “arsenalista” é também um jogador que procura sempre o remate, com 2,7 a cada 90 minutos, e uma taxa de conversão de 22,7% (a mais alta entre os portugueses na sua posição).

GoalPoint-Ricardo_Horta_2017_vs_Gelson_Martins_2017-infog
Clique para ampliar

 

Rúben Ribeiro (Sporting/Rio Ave) 6.25 – Só um jogador português a actuar nas alas supera o rating de Horta, e ele é o sportinguista Rúben Ribeiro (sendo que acrescenta aqui, com bastante peso, o desempenho ao serviço do Rio Ave). Escrevemos na peça da 11ª jornada que, a “morder os calcanhares” de Fábio Martins, estava Rúben Ribeiro. E o “leão” acabou mesmo por desalojar o minhoto. Rúben leva três golos e cinco assistências até ao momento, regista 83% de eficácia média de passe e impressionantes 61,6% de eficácia nos dribles que tenta. É também o jogador português na posição que mais faltas sofre/conquista – 4,8 por 90 minutos.

Aqui comparamos o seu desempenho com outra figura (Ricardo Esgaio) que, apesar de desalojada do anterior “onze” luso”, vai também assinando uma grande época pelos “guerreiros”, ainda que no flanco oposto.

GoalPoint-Ricardo_Esgaio_2017_vs_Rúben_Ribeiro_2017-infog
Clique para ampliar

 

Paulinho (Sp. Braga) 5.73 – O atacante do Braga é o ponta-de-lança português no nosso “onze”. Com dez golos e três assistências até ao momento, Paulinho destacou-se com um bis na 25ª jornada, ante o Estoril, que lhe valeu o seu melhor rating até ao momento, 8.1. O avançado bracarense é, até ao momento, o ponta-de-lança luso com melhor taxa de conversão dos seus remates – 21,3%.

Conheça também os jogadores que melhores desempenhos tiveram na 27ª jornada da Liga NOS.

Confira, igualmente, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga NOS! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”.

LIGA NOS | J27STATGPRMVP
1-1
1-2
1-1
0-2
2-0
2-1
2-1
1-4
2-0