O campeonato aproxima-se do fim e, visto que faltam apenas duas jornadas para o seu término, este será o último “onze” do mês GoalPoint da época 2017/2018. Ao todo foram oito os “onzes” mensais, com grande destaque, em número de presenças, para o mais que provável campeão, FC Porto.

ClubePresençasJogadores distintos
Porto2811
Benfica148
Sporting10.57
Braga86
Chaves44
Estoril42
Rio Ave3.53
Marítimo33
Portimonense33
Tondela31
Vitória Setúbal22
Boavista11
Feirense11
Moreirense11
Paços de Ferreira11
Vitória Guimarães11
Aves00
Belenenses00

Os “dragões” tiveram 28 presenças, exactamente o dobro do segundo classificado da tabela, Benfica que, pela primeira vez, em Abril não colocou nenhum jogador no “onze” ideal do mês. Seguiu-se o Sporting, com 10,5 presenças – Rúben Ribeiro entrou em Janeiro, quando jogou também pelo Rio Ave – e o Braga com oito. Desportivo das Aves e Belenenses foram os únicos clubes que nunca conseguiram colocar jogadores nesta rubrica.

A nível individual o grande vencedor foi Alex Telles, dono da sua posição em seis ocasiões, 75% das possíveis. Brahimi, Bruno Fernandes e Jonas foram os que deram mais luta, ficando a apenas uma presença do brasileiro. Fora dos “grandes” o destaque é Cláudio Ramos, que desde Janeiro só falhou um dos meses, e conseguiu assim três presenças.

Mas vamos então conhecer os melhores do mês de Abril:

GoalPoint-onze-mes-Abril-2018-Liga-NOS-201718-infog
Clique para ampliar
  • Cláudio Ramos (Tondela) 6.36 – Mais um mês quase perfeito para o português. Ao todo, Cláudio parou 15 dos 19 remates dirigidos à sua baliza, um deles de grande penalidade, e não falhou nenhuma das sete saídas pelo ar que arriscou. O mês culminou com o prémio de melhor em campo na Luz.

  • Ricardo Pereira (Porto) 7.16 – Já muito foi escrito no GoalPoint sobre o lateral-direito com melhor rating a nível europeu. É o seu segundo prémio de jogador do mês.
  • Jubal (Vitória Guimarães) 6.13 – Em cima do gongo, o Vitória consegue a sua primeira presença neste rubrica. Jubal tem melhorado com José Peseiro e, para além de ter conseguido um golo, fez mais dois remates de cabeça, ambos enquadrados. Nos duelos defensivos venceu 69% dos que disputou pelo ar e 100% pelo chão.
  • Rafik Halliche (Estoril) 6.61 – Um dos melhores centrais do campeonato, repete a presença de Dezembro. Em Abril, Halliche marcou dois golos, a Portimonense e Benfica, mas ainda foi imperial lá atrás, terminando o mês como o central com mais desarmes (2,75 por jogo) e o quinto que mais passes interceptou (3 por partida). Pelo ar também esteve quase imbatível, vencendo 82% dos duelos que disputou.
  • Alex Telles (Porto) 6.43 – Começa a ser repetitivo falar de Alex Telles. Mais uma vez tem número de avançado, com dois golos e uma assistência, e criou 2,5 passes para finalização a cada jogo, a melhor média entre laterais.
  • Héctor Herrera (Porto) 6.49 – Para os portistas bastava ter sido o autor do golo na Luz para merecer esta distinção, mas aqui as eleições são mais do que emocionais. Com bola, Herrera acertou 84% dos passes que tentou e 100% das suas cinco tentativas de drible, enquanto sem bola está no “top 10” dos médios com mais desarmes (3,0 / 90m) e recuperações de posse (7,75 / 90m) do mês de Abril.
  • Sérgio Oliveira (Porto) 6.47 – E que bom parceiro de meio-campo tem tido Héctor Herrera. Desta feita, Sérgio não marcou nem assistiu, mas foi uma “carraça” com muita qualidade técnica. Foi o segundo médio com mais dribles eficazes a cada 90 minutos (2,5), apenas atrás de Zivkovic, e só foi superado por Fejsa e Tissone nos desarmes (4,2 / 90m), ficando ainda no “top 5” de centro-campistas que mais passes interceptaram (2,5 / 90m).
  • Bruno Fernandes (Sporting) 7.03 – Foi o segundo melhor de Abril, mas a “medalha de ouro” também lhe assentava bem. Três golos e três assistências significam que o português teve intervenção directa em dois terços dos golos que o Sporting marcou no mês de Abril. Foi ainda o terceiro, apenas atrás dos “feirenses” Crivellaro e Tiago Silva, que melhor média de passes para finalização registou (3,1 / 90m).
  • Matheus Pereira (Chaves) 6.87 – “Roubou” o lugar de melhor extremo-direito do mês a Gelson Martins 6.51, e veremos se não fará o mesmo em Alvalade na próxima época, caso Gelson saia. Matheus anotou um golo e uma assistência, mas foi ainda o segundo com melhor média de dribles eficazes (4,75 / 90m), apenas atrás do inevitável Brahimi, e aquele que mais faltas conquistou em Abril. Foram 24 em apenas quatro jogos, numa incrível média de seis por jogo, 2,5 delas no último terço.
  • Yacine Brahimi (Porto) 6.72 – As assistências nunca foram o seu forte, mas este mês fez por isso, apesar de não ter registado nenhuma. De bola corrida, só Ricardo Horta (2,4 / 90m) criou mais passes para finalização entre os extremos-esquerdos do que Brahimi (2,3 / 90m). Foi ainda o desequilibrador habitual no drible, com 66% de eficácia nas 32 situações de um-para-um que arriscou.
  • Paulinho (Braga) 6.33 – O português anotou mais três golos no mês de Abril, e já vai em 13 na Liga NOS 17/18. A par de Raúl Jiménez, foi o ponta-de-lança que mais rematou (4,0 / 90m), sendo que 60% deles foram na direcção da baliza, ao contrário dos 39% do mexicano. Mais, dos oito remates enquadrados que contabilizou em Abril, 75% foram direccionados aos ângulos da baliza. Mas Paulinho não é só golo, pois foi ainda o ponta-de-lança com mais passes para finalização (2,4 / 90m).

Menções honrosas

Entre os melhores no mês de Abril, mas que, por uma ou outra razão não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Gelson Martins (Sporting) 6.51 – A atravessar provavelmente a sua melhor fase da época, ficou muito perto de Matheus Pereira, graças a um golo, uma assistência e três dribles eficazes a cada 90 minutos.
  • Lucas Evangelista (Estoril) 6.39 – Podia ter somado a sua terceira presença, não fosse um jogo menos feliz na Vila das Aves – 3,7 remates e 3,7 faltas sofridas a cada 90 minutos foram os seus números de maior destaque.
  • Antonio Briseño (Feirense) 6.33 – Ficou a 40 minutos de entrar no “onze” do mês, visto que só foi titular nas últimas duas jornadas. Ainda assim apontou dois golos decisivos e venceu 73% dos duelos aéreos defensivos que disputou.

GoalPoint-T-shirts-2017-bannerParabéns aos eleitos!

Nota metodológica: “Onze” elaborado tendo em conta o GoalPoint Rating médio de todos os jogadores que cumpriram um mínimo de 240 minutos na Liga NOS em Abril.