Um FC Porto absolutamente afirmativo, 100% vitorioso e com oito golos marcados em três jogos domina o “onze” ideal do mês de Dezembro, com cinco jogadores.

Este é um “onze” com algumas curiosidades, desde logo o facto de contar com apenas três portugueses – um deles o melhor do mês, Licá -, mas que prima ainda pelo desígnio da novidade. Dos 11 nomeados, apenas um, Bas Dost, tinha marcado presença numa das nossas equipas mensais esta época, com base nos nossos GoalPoint Ratings. Vamos aos eleitos!

GoalPoint-Onze-do-Mes-Dezembro-2018-Liga-NOS-infog
Clique para ampliar

 

  • Ricardo Ferreira (Portimonense) 6.89 – Pode parecer estranha a eleição de um guarda-redes que sofreu cinco golos em três jogos (quatro deles no Dragão), mas Ricardo Ferreira esteve em muito bom plano nas últimas três jornadas. Para além das 12 defesas que realizou – só Helton Leite fez mais – destacou-se a sair da baliza, com 100% de eficácia nas cinco saídas aéreas e nas quatro saídas pelo chão que realizou. Foi também o guardião com melhor eficácia no passe longo (49%) e vertical (84%).
  • Jesús Corona (Porto) 6.46 – O ano passado escrevemos que era dos mais subvalorizados da Liga NOS, também no capítulo defensivo, e Sérgio Conceição percebeu isso. Em Dezembro fez dois jogos como lateral e, sem surpresa, foi um dos melhores do seu posto, a começar pela eficácia de cruzamento (43%), mas foi no drible que mais se destacou. Enquanto os restantes laterais-direitos completaram em média 0,6 dribles a cada 90 minutos, Corona completou… 4,3. As 8,3 acções defensivas por jogo, com apenas um drible consentido, validam a adaptação.
  • Éder Militão (Porto) 6.39 – Sem surpresa, os rumores sobre a sua saída precoce aumentam. Éder Militão continua a espalhar classe defensivamente, e isso fica bem evidente nos seus números de Dezembro. Não consentiu qualquer drible, interceptou 2,7 passes por jogo, bloqueou quatro remates e venceu 71% dos duelos aéreos defensivos que disputou.
  • Pedro Henrique (Vitória SC) 6.43 – O Vitória atravessa uma excelente fase e, em parte, deve-se ao seu capitão. O brasileiro marcou o golo da vitória contra o Rio Ave e foi o central com mais acções defensivas no primeiro terço (36) em todo o campeonato no mês de Dezembro. Para além disso, não consentiu nenhum drible e só fez quatro faltas, nenhuma delas em zonas perigosas.
  • Álex Grimaldo (Benfica) 6.14 – O espanhol está com números de autêntico extremo e o seu papel na manobra ofensiva “encarnada” é cada vez mais fundamental. Em Dezembro marcou num dos quatro remates que tentou e assistiu numa das quatro finalizações que ofereceu. Foi ainda o segundo lateral-esquerdo com mais dribles completos a cada 90 minutos (1,3).

  • Danilo Pereira (Porto) 6.22 – O “trinco” é a trave-mestra do meio-campo dos “dragões”. Acertou 90% dos 142 passes que realizou em Dezembro e foi o médio com melhor eficácia de passe vertical (77%). Com 2,7 intercepções a cada 90 minutos, Danilo foi o rei desta variável entre os centro-campistas e registou ainda 8,0 recuperações de posse a cada jogo.
  • Rafael Costa (Boavista) 6.73 – Rafael ganhou o lugar a Idris no meio-campo axadrezado e tem justificado a aposta. Ofereceu um golo a Mateus no último jogo, mas podiam ter sido mais, visto que terminou o mês com quatro passes para finalização. Apesar de não ter marcado, também se mostrou perigoso na meia-distância – em que é especialista (três remates enquadrados) -, e acertou 69% dos seus passes verticais, variável em que ficou apenas atrás de Gedson, Bruno Fernandes e Pizzi, na sua posição.
  • Licá (Belenenses SAD) 7.21 – O melhor jogador do mês, graças a quatro golos, uma assistência e outros detalhes que já destacámos aqui.
  • Brahimi (Porto) 6.97 – Parece estar a regressar à sua melhor forma. Em Dezembro ganhou o primeiro prémio de melhor em campo esta época, mas mais do que isso, fez dois golos e voltou a ser o rei do drible, com 4,5 completos a cada 90 minutos e uma eficácia de 62% nas suas tentativas. Conquistou ainda 3,5 faltas por jogo e até foi um dos quatro extremos com mais tentativas de desarme (4,2 / 90 minutos).

  • Bas Dost (Sporting) 7.16 – O holandês foi o segundo melhor jogador em Dezembro, muito graças aos quatro golos que marcou. É certo que três deles foram de grande penalidade, mas também é verdade que duas delas foi ele quem as conquistou. De resto, mesmo com Keizer, continua a mostrar-se fundamental nas bolas aéreas que ganha, com uma eficácia de 67% nas 18 disputas ofensivas em que participou.

  • Tiquinho Soares (Porto) 6.99 – Regressou à titularidade e tem mostrado que as suas qualidades estão intactas. Marcou dois golos, assistiu outro e até esteve associado a cinco ocasiões flagrantes, três no remate e duas no passe. Foi ainda fundamental no apoio defensivo: nenhum ponta-de-lança fez tantas acções defensivas no primeiro terço (2,8 / 90m) como ele no mês de Dezembro.

Menções honrosas

Entre os melhores neste período, mas que, por uma ou outra razão não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Dyego Sousa (Braga) 7.42 – Uma pequena lesão fez com que não fosse titular em Tondela, daí que não tenha somado minutos suficientes. Ainda assim, marcou quatro golos em Dezembro e, no tempo que esteve em campo, fez 12 remates.
  • Rául Silva (Braga) 7.37 – O central falhou o jogo do Estádio da Luz por ter sido expulso na Taça da Liga, mas tinha feito uma exibição soberba contra o Feirense. Em 180 minutos concretizou os cinco dribles que tentou, e até conquistou uma grande penalidade.
  • Mamadou Loum (Moreirense) 7.15 – Tem sido uma das revelações da época. Em Dezembro marcou um golo e registou 4,5 acções defensivas por jogo no terço intermédio, mais do que qualquer outro jogador.
  • Jonas (Benfica) 6.89 – Voltou a ter um papel decisivo numa fase difícil do Benfica, e ficou a apenas uma décima de Soares, graças aos três golos que marcou.

GoalPoint-Banner-Passatempo-10-1819Parabéns aos eleitos!

Descobre os anteriores “onzes” do mês GoalPoint neste link.

Nota metodológica: O “onze” é elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 180 minutos na Liga NOS, no período em questão.