F evereiro foi o mês que veio apimentar novamente a luta pelo título da Liga NOS 19/20. A vantagem pontual de sete pontos que o Benfica tinha sobre o Porto esvaiu-se num abrir e fechar de olhos após duas derrotas comprometedoras dos “encarnados”, acompanhadas por uma grande quebra de forma.

Ora, o “onze” ideal GoalPoint Ratings do mês reflecte isso mesmo. Não só o Porto é o clube mais representado, com três jogadores, como o Benfica coloca apenas um, e na figura do seu guarda-redes. Vlachodimos tem sido “abono” durante toda a época, mas em Fevereiro acaba mesmo por conseguir algo raro em “onzes” mensais, que é o facto de vermos um guardião dos “grandes” na baliza.

Num mês com médias pontuais relativamente baixas e aproximadas, destaque ainda para o facto de termos oito “novidades” numa fase tão adiantada da época, e a primeira presença de um jogador do Boavista, restando assim o Aves como único clube sem presenças até ao momento.

GoalPoint-Onze-Mes-Fevereiro-Liga-NOS-201920-infog
Clique para ampliar
  • Odysseas Vlachodimos (Benfica) 6.68 – É difícil de acreditar, mas a fraca consistência do Benfica neste período fez dele o guarda-redes com mais defesas nos últimos quatro jogos, 19, no total. Para além do brilho entre os postes, Vlachodimos foi 100% eficaz nas cinco saídas da baliza a que foi obrigado.
  • Bebeto (Marítimo) 6.88 – Em boa hora José Gomes o recuperou para a titularidade. O brasileiro foi, neste período, o lateral-direito com melhor média de passes para finalização por jogo (2,7), teve sucesso em 38% dos 16 cruzamentos que tentou e foi quase inultrapassável a nível defensivo, permitindo apenas dois dribles para 15 desarmes que completou. Por muito pouco não foi o MVP mensal.
  • Zainadine Júnior (Marítimo) 6.83 – Não é de hoje que é um dos centrais mais valiosos do nosso campeonato. Em Fevereiro marcou um golo, não foi driblado uma única vez e venceu 77% dos duelos aéreos defensivos que disputou.

  • Ricardo Costa (Boavista) 6.48Doze acções defensivas a cada 90 minutos é um registo de que poucos se podem orgulhar, sobretudo quando se está à beira de completar 39 anos. Tal como Zainadine, ainda complementou o gigante trabalho defensivo com um golo e só perdeu uma vez a posse de bola no primeiro terço.
  • Alex Telles (Porto) 6.92 – Foi o melhor do mês e já é o melhor marcador do Porto no campeonato. Mais detalhes sobre o muito que produziu em Fevereiro: aqui.

  • André André (Vitória SC) 6.76Esteve quase um ano parado, mas não precisou de muito para regressar à boa forma, marcando aqui presença logo no primeiro mês em que completou mais de 180 minutos. Um golo, uma assistência e uma eficácia de 74% nos 14 passes verticais que tentou a cada jogo, são alguns dos bons registos que conseguiu em Fevereiro.
  • Sérgio Oliveira (Porto) 6.78 – Tal como André André, também esteve algum tempo parado e regressou em grande forma. Marcou, assistiu e foi gigante no trabalho sem bola. Só dois médios tiveram mais acções defensivas no terço intermédio do que Sérgio Oliveira, 3,1 / 90m, num total de 6,7 por jogo.
  • Otávio Monteiro (Porto) 6.75 – Já tinha marcado presença no “onze” mensal de Setembro e a sua consistência vale-lhe mais uma. Dificilmente é um dos preferidos dos adeptos, mas por tudo o que faz em campo será sempre um preferido dos treinadores. Em Fevereiro registou duas assistências e foi o médio com mais passes para finalização de bola corrida (2,4 / 90m), mas o mais impressionante é mesmo o seu trabalho sem bola, que se reflectiu numa média de 7,9 acções defensivas por jogo.
  • Marcus Edwards (Vitória SC) 6.80 – Tem sido uma das grandes revelações do campeonato e marca presença em “onzes” mensais pela segunda vez. Dois golos, uma assistência, eficácia de 43% nos cruzamentos e uma média de 3,0 dribles completos a cada 90 minutos são alguns dos registos que tem para apresentar em Fevereiro.

  • Ricardo Horta (Braga) 6.68 – Tal como o inglês do rival minhoto, terminou o mês com dois golos e uma assistência, e ainda foi o extremo com melhor média de remates enquadrados (1,4 / 90m) e passes para finalização (2,5 / 90m). Não tentou muitas vezes o drible (apenas quatro), mas teve eficácia de 100%.
  • Fábio Abreu (Moreirense) 6.66 – Que grande época está a fazer o angolano, que marcou em todos os jogos do Moreirense no mês de Fevereiro. Nem rematou muito (apenas nove no total), mas converteu 44% dos seus disparos em golo e ainda conseguiu uma assistência.

Menções honrosas

Entre os melhores neste período, mas que, por uma ou outra razão, não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Francisco Trincão (Braga) 7.49O melhor do mês de Janeiro voltou a estar em grande plano e só lhe faltaram 53 minutos em campo para repetir a dose.
  • Luciano Vietto (Sporting) 6.96 – Ocupando a posição de “número 10” deixada em aberto por Bruno Fernandes tem mostrado estar à altura. Pena ter falhado um jogo.
  • Matheus Magalhães (Braga) 6.66 – Ficou muito perto da pontuação de Vlachodimos, num mês em que defendeu 86% dos remates dirigidos à sua baliza.

Parabéns aos eleitos!

Descobre os anteriores “onzes” do mês GoalPoint neste link.

Nota metodológica: O “onze” foi elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 240 minutos na Liga NOS, no período em questão.