Após apresentarmos Douglas Jesus, a “muralha” vitoriana, como melhor jogador no mês de Novembro (para que não fiquem dúvidas, as últimas três jornadas), chega a hora de eleger os dez que o acompanham. Douglas traz consigo um colega de equipa, mas o destaque no que diz respeito a clubes vai para o Sporting, que coloca três jogadores no “onze”, um deles, Bruno Fernandes, o único repetente em relação à eleição anterior.

Esta é uma equipa com brasileiros e portugueses em igual número e que pela primeira vez em muito tempo não apresenta nenhum jogador do FC Porto. Mas falemos do que fizeram os craques do mês que findou.

GoalPoint-Onze-do-Mes-Novembro-2018-Liga-NOS-infog

  • Douglas Jesus (Vitória SC) 7.52Sobre Douglas está quase tudo dito. O Vitória está há três jogos sem sofrer golos e, nesse período, o brasileiro fez um total de 12 defesas.

  • Kalindi Souza (Nacional) 7.03 – Após três épocas no Penafiel, na Segunda Liga, chegou à Liga NOS via Funchal e está-se a mostrar um lateral muito interessante. Neste período fez uma assistência e foi mesmo o defesa-direito com mais passes para finalização de bola corrida (sete). O perigo que cria com a bola nota-se também nas muitas faltas que sofre (5,3 / jogo), mas também se notabilizou a defender, com 3,3 desarmes e 3,0 intercepções a cada partida. Teve o melhor rating mensal de um lateral esta época.
  • Vincent Sasso (Belenenses) 6.40 – Se lembrarmos que chegou a Portugal para jogar no Beira-Mar, percebemos que a sua carreira por cá já vai longa (sexta época), mas esta será, porventura, a sua melhor temporada de sempre. Em Novembro marcou no único remate que fez e voltou a mostrar-se peça fundamental na primeira fase de construção do Belenenses: 65 passes por jogo (segundo melhor registo), com 88% de eficácia. Defensivamente venceu os nove duelos aéreos que disputou.
  • Marcão (Chaves) 6.43 – Após uma boa época no Rio Ave, tem feito o mesmo em Chaves. Acertou 73% dos 22 passes longos que tentou – melhor registo entre centrais -, mas também foi soberano a defender, perdendo apenas dois duelos, entre os muitos que disputou nos últimos três jogos.

  • Claudemir (Braga) 6.30 – Chegou a Braga com a difícil missão de substituir Vukcevic, mas tem superado os desempenhos do montenegrino. Voltou a anotar uma assistência e teve o melhor registo de passes para finalização (1,7 / jogo) entre jogadores da sua posição. Foi ainda muito importante nos equilíbrios defensivos e só Anderson Carvalho (Santa Clara) fez mais desarmes por jogo do que ele (quatro).
  • André André (Vitória SC) 6.99 – É “no castelo” que ele se sente mesmo bem. Tem sido fundamental na melhoria do Vitória e já tinha merecido menção honrosa no mês passado. Só o seu colega Mattheus teve melhor eficácia de passe global e vertical que André André (88% e 81%, respectivamente), mas o ex-“dragão” mostrou mais capacidade de progressão, com 1,7 dribles eficazes a cada jogo.
  • Bruno Fernandes (Sporting) 7.12 – Um golo e uma assistência foram o seu pecúlio em Novembro, mas a influência de Bruno Fernandes foi muito para além disso. Os três passes para finalização a cada jogo só foram superados por Pizzi e Chiquinho, entre centro-campistas, mas Bruno Fernandes mostrou-se muito também sem bola, com umas relevantes 4,7 acções defensivas por jogo nos últimos dois terços do terreno.
  • João Camacho (Nacional) 7.17 – Este extremo madeirense de 24 anos foi o terceiro melhor jogador no mês de Novembro. Marcou dois golos, ofereceu um e ficou no “top 5” da sua posição em eficácia de passe (82%) e de drible (70% em dez tentativas). Se tiver continuidade, é provável que a ilha da Madeira se torne demasiado pequena para o seu talento.
  • Rafa Silva (Benfica) 6.96 – O extremo está, sem dúvida, a fazer a sua melhor época desde que chegou ao Benfica, ao ponto de ser o melhor marcador da equipa. Em Novembro foram dois golos, tal como dois por jogo foram os passes para finalização que ofereceu de bola corrida. Mas onde Rafa mais brilha é no drible. Em Novembro foram 3,7 a cada 90 minutos, com uma estrondosa eficácia de 79%.
  • Bas Dost (Sporting) 7.34 – Regressado de lesão, foi de longe o melhor ponta-de-lança do mês e por pouco não bateu Douglas. Marcou quatro golos em dez remates, sete deles de cabeça, e não só pelos remates deu nas vistas no jogo aéreo. Nos 6,9 duelos aéreos ofensivos que disputou a cada jogo, teve uma eficácia de 70%, número que só não é tão impressionante porque falamos de Bas Dost.

Menções honrosas

Entre os melhores neste período, mas que, por uma ou outra razão não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Chiquinho (Moreirense) 6.94 – Marcou na Luz e assistiu contra o Portimonense, mas as ofertas para golo foram tantas e tão boas que terminou o mês com 1,7 expected assists (xA).
  • Diego Galo (Aves) 6.86 – Seguia lançado para ser um dos centrais titulares mas falhou a jornada 11. Nos dois jogos que disputou fez 13 alívios e não perdeu nenhum duelo aéreo defensivo.
  • Jonas (Benfica) 6.61 – O melhor Jonas está de volta. Marcou três golos e terminou o mês com a mais alta média de remates (4,5 / jogo) e disparos enquadrados (2,1 / jogo).
  • Rafa Soares (Vitória SC) 6.56 – Ainda é uma das maiores esperanças portuguesas para a posição de lateral-esquerdo. Três passes para finalização por jogo, num lateral, são sempre de assinalar.

GoalPoint-Banner-Passatempo-10-1819Parabéns aos eleitos!

Nota metodológica: O “onze” é elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 180 minutos na Liga NOS, no período em questão.