Html code here! Replace this with any non empty text and that's it.

Após 26 jornadas da Liga NOS, o panorama das equipas mais indisciplinadas (e das menos), começa a ganhar forma. Se olhando para o estilo de jogo de algumas formações não espanta o número de cartões amarelos e vermelhos vistos, já outros casos merecem nota de destaque pela surpresa. Falamos apenas de estilos de jogo, sublinhando desde já que qualquer observação não pretende olhar para uma hipotética maldade dos lances castigados, e muito menos questiona de justeza ou possíveis erros de arbitragem. Essa é outra praia que não a nossa.

Importa talvez olhar em primeiro lugar para um comparativo possível com a época 2013/14. Não será necessário efectuar esse paralelismo com a mesma 26ª jornada da temporada passada, uma vez que, em menos jornadas de 2014/15 já foram ultrapassados os números registados na anterior competição. Em 30 rondas (240 jogos) foram mostrados 1371 cartões amarelos, 52 vermelhos por segundo amarelo e 46 directos, o que totaliza 98 expulsões. Em 26 jornadas de 2014/15 (234 partidas) os amarelos saíram do bolso dos árbitros em 1392 ocasiões e já se registaram 102 expulsões, consequência de 66 duplo-amarelos e 36 vermelhos directos.

MAIS EXPULSÕES EM MÉDIA

Olhando apenas para as expulsões totais, e fazendo uma média, vemos que no total temos agora uma Liga NOS mais indisciplinada que a anterior, pois foram mostrados 0,44 vermelhos por jogo – sendo que 0,28 foram por segundo amarelo e 0,15 por mostragem directa -, contra os 0,41 da época passada. Em 2013/14, porém, os vermelhos directos foram em maior número, 0,15 contra 0,15 desta edição (0,22 por acumulação, para 0,28 da prova que ainda decorre).

E quem contribui mais para estes números? Novamente olhando para os totais, o Boavista lidera esta tabela indesejada – cá está a questão do estilo de jogo, aguerrido, dos “axadrezados” -, com 11 vermelhos (0,4 por jogo), seguido dos aflitos Penafiel e Vitória de Setúbal, ambos com dez, e do Gil Vicente e do Sporting CP, com oito. Neste total, os outros dois grandes, SL Benfica e FC Porto, somam duas e três cartolinas vermelhas, respectivamente. O Penafiel é mesmo o “rei” dos vermelhos directos, contabilizando já seis – é mesmo a equipa que menos minuto precisa por cada cartão, 25,7), seguido do V. Setúbal com cinco, sendo que, dos seus 11, o Boavista soma oito por acumulação.

Em relação aos “três grandes” é de referir que dos oito vermelhos dos “leões”, apenas um foi directo, sendo sete por acumulação. O Benfica viu um de cada e o FC Porto dois directos, sendo que os “dragões” são a formação cujos cartões são mais espaçados, com um total de um cartão a cada 44,2 minutos.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: OS “BEM COMPORTADOS” E O QUADRO DISCIPLINAR COMPLETO