Ligue 1: Cinco craques a seguir em 22/23 🇫🇷

-

Madame et monsieur a edição 2022/23 da Ligue 1 já começou e com ela o espectáculo está garantido. Autêntico viveiro de talentos, o campeonato gaulês tem tido o condão de revelar, época após época, diversos craques que têm sido contratados a peso de ouro pelos principais tubarões europeus.

Quem rende os (muitos) craques de saída?

De  Boubacar Kamara (do Marselha para o Aston Villa), passando por Aurélien Tchouameni (do Mónaco para o Real Madrid), Cheick Doucouré (Lens para o Crystal Palace), Randal Kolo Muani (do Nantes para o Eintracht Frankfurt), Sven Botman (trocou o Lille pelo Newcastle), Zeki Celik (do Lille para a Roma) ou Hugo Ekitiké (do Stade Reims para o PSG), foram já muitos os nomes oriundos da Liga gauelsa que protagonizaram algumas das principais transferências do mercado de verão de 2022.

Perspectivando a temporada 2022/23, lançámos o desafio e perguntámos: quem serão os próximos cinco talentos “made in” Ligue 1 que prometem dar que falar nos próximos meses?

“A Liga francesa é, literalmente, a Liga dos talentos devido às especificidades do campeonato e da forma de jogar das equipas, da aposta em jogadores jovens com talento e fruto da daquilo que é o trabalho da formação que é desenvolvido. Brotam os talentos desde o primeiro classificado até ao último”

Quem o diz é Óscar Botelho, analista e comentador, que convidámos a escolher cinco talentos na “forja” para saltar de patamar. Eis as suas apostas, cobrindo cada um dos principais sectores do campo.

Alban-Marc Lafont

Apesar da tenra idade, aos 23 anos Alban-Marc Lafont já é um velho conhecido nestas andanças. Saiu de forma precoce do Toulouse para a Fiorentina em 2018/19, não obstante ter realizado 38 partidas, a experiência não correu de feição e regressou à casa de partida, a Ligue 1: a Ida para o Nantes foi um passo atrás para poder dar dois à frente”, salienta o comentador.

“Lafont é o capitão e pilar defensivo do Nantes. Contribuiu de forma decisiva para a conquista da Coupe de France e consequente apuramento para a Liga Europa, num clube que não ganhava nada há 21 anos. É um guarda-redes ágil, destemido, concentrado e felino como um gato pelo ar e pelo chão. Custa perceber como ainda permanece no Nantes porque é, literalmente, um guarda-redes para outros voos”

Com contrato até junho de 2024, o internacional sub-21 gaulês tem um valor de mercado cifrado em 16 M€ e chegou a ser associado ao interesse do Benfica, nas últimas semanas.

[ A estreia de Lafont na Ligue 1 22/23, já após a preparação deste artigo. Nada mau… ]

Malo Gusto

Lateral-direito com uma enorme voracidade ofensiva, Malo Gusto – tem raízes portuguesas – é, aos 19 anos, um dos nomes a seguir com toda a atenção. Tendo sido utilizado em 37 partidas na temporada que findou há alguns meses, na qual gizou cinco assistências, tem tudo para explodir…

[ O sumário de desempenho de Malo Gusto na Ligue 1 21/22 ]

 “É um jogador com sangue lusitano, um típico lateral da Ligue 1, que com a saída do Dubois (vai actuar no Galatasaray) ficou com o caminho livre para preencher o corredor, crescer e fazer piscinas. Intenso, agressivo, tem uma margem de progressão enorme. Tem atitude competitiva, cruzamento colocado e só passa despercebido a quem o nunca viu jogar”, observa Botelho.

Com contrato até 30 junho de 2024, Gusto tem um valor de mercado cifrado em 12 M€.

Youssouf Fofana

Até há poucas semanas, que reinava no centro do terreno do emblema do Principado era Aurélien Tchouaméni. O internacional francês protagonizou uma das transferências mais mediáticas neste Verão, trocando o Mónaco pelo Real Madrid. Os campeões europeus desembolsaram 80 milhões de euros – os valores poderão chegar aos 100 milhões de euros – e agora quem deverá puxar os galões será Fofana, Youssouf Fofana de seu nome. Para quem ainda não o conhece, como é que ele joga?

[ A última Ligue 1 de Fofana ]

“É um médio imponente e equilibrador, com uma vertente física, táctica e estratégica para catapultar o jogo dele num sector que ficou refém de Tchouaméni. É uma âncora para dar liberdade e criatividade a quem joga à sua frente e um tampão para quem joga atrás”, descreve Óscar Botelho.

Com contrato até 30 junho de 2024, o “box to box” de 23 anos tem um valor de mercado cifrado em 18 M€.

Loïs Openda

Chegando ao ataque, Óscar Botelho enumera dois nomes, o primeiro é belga e  “na época passada deixou água na boca e deverá emergir numa equipa estabilizada e muito competitiva que certamente vai procurar alimentar a sua veia goleadora. É explosivo e potente e vai criar perigo através dos três corredores. Formou-se na antecâmara dos talentos, que é a Liga belga, e já é internacional A, marcando e jogando desde os sub-15 com a camisola da Bélgica”, explica, referindo-se a Loïs Openda, que na temporada anterior ao serviço do Vitesse, emprestado pelo Club Brugge, foi utilizado em 50 encontros, apontou 24 “tentos” e orquestrou seis assistências.

[ Os 72 minutos de estreia de Openda já após esta análise. Faltou o golo (flagrante falhada) mas foi o 3º melhor em campo ]

Internacional A pela Bélgica, 22 anos, (três internacionalizações e um golo), Openda vinculou-se ao Lens até ao final de junho de 2027 e tem um valor de mercado de 7,5 M€

Luis Suárez

Para fechar a lista, Luis Suárez, do Marselha: “tem nome de craque e até joga na mesma posição do seu homónimo. Faminto, será uma dor de cabeça para qualquer adversário. Tem atributos para conquistar o Tribunal do Vélodrome e os “skills” para jogar em vários registos de ataque e modelos de jogo”, aponta Óscar Botelho.

[ Suárez estreou-se com um bis na Ligue 1 22/23 que até podia ter sido um hat-trick, não tivesse desperdiçado uma ocasião flagrante ]

O internacional colombiano, que nas duas últimas épocas no Granada carimbou 15 golos, seis assistências distribuídos em 75 jogos, tem um valor de mercado cifrado em 9,00 M€.

Leonel Gomes
Leonel Gomes
Amante das letras, já escreveu nos jornais A Bola, Público e o O Jogo, dedicando-se também ao Social Media Management desde 2014. Tornou-se GoalPointer na "janela de mercado" do verão de 2019.