[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Liverpool-Man Utd-English-Premier-League-201718
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Liverpool-Man Utd-English-Premier-League-201718
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Liverpool-Man Utd-English-Premier-League-201718-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O grande “clássico” do futebol inglês teve este sábado mais um emocionante capítulo. Em Anfield Road, Liverpool e Manchester United defrontaram-se em partida para a oitava jornada da Premier League, e não foram além de um empate sem golos, apesar da qualidade do encontro – uma repetição do desfecho da temporada transacta.

Os “reds” de Jürgen Klopp foram melhores que o United de José Mourinho em todos os aspectos fundamentais do jogo. O Liverpool atacou muito, perante um United encolhido e com recurso ao famoso “autocarro”. Os 62% de posse de bola para os da casa, os 19 remates contra apenas seis dos “red devils” (5-1 enquadrados) são, por si só, o espelho do encontro. Mas também nos cantos (7-3), na eficácia de passe (86%-75%) e no número de oportunidades flagrantes (2-0) os homens de Anfield foram melhores. Mas não marcaram, muito por culpa de David de Gea, o melhor do United, com cinco defesas, três a remates na grande área, e com um GoalPoint Rating de 6.0 – o único dos visitantes a atingir este rating.

Cinco jogadores do Liverpool suplantaram o 6.0, e o melhor em campo terminou com um rating de 7.5. Foi ele o brasileiro Firmino, que registou quatro remates (um enquadrado), cinco passes para finalização e quatro tentativas de drible eficazes.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner