O FC Porto venceu o Maccabi Tel-Aviv por uns esclarecedores 3-1, resultado que apenas peca por escasso tal a superioridade e produção ofensiva oferecida pelos “dragões”, que teimam em mostrar a sua melhor face na prova máxima de clubes, tal como já sucedia na época passada.

Lopetegui, aproveitando para rodar algumas opções, não abdicou dos três “homens fortes” do Porto nesta Champions, André André, Layún e Aboubakar, com os dois primeiros a terem influência directa no resultado (um golo mais assistência, e uma assistência, respectivamente). Já Aboubakar mostrar-se-ia pela produção ofensiva inversamente proporcional ao acerto demonstrado.

ISRAELITAS COM “TELLADOS” DE VIDRO

O jogo mostrou de imediato um Maccabi apostado em contrariar a fraca imagem deixada no Dragão, mas o impulso seria de pouca dura: os “dragões” assumiriam não só o domínio das operações com rapidez como chegariam ao golo aos 19 minutos por intermédio de Tello, solicitado por André André, quando já somavam algumas ocasiões perigosas.

O intervalo chegaria com 12 remates para os “azuis-e-brancos” contra apenas três dos israelitas, com um 1-0 que dava ideia de desperdício face ao demonstrado ascendente portista.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: ANDRÉ E LAYÚN SILENCIAM TEL-AVIV