Após um arranque aos tropeções, o campeão europeu aplicou dupla “chapa seis” nos mais recentes compromissos inseridos na campanha de qualificação para o Mundial 2018, frente a Andorra e Ilhas Faroé.

Mas para lá de Portugal e dos seus “heróis”, com Cristiano e André Silva à cabeça, quem são os líderes do desempenho, por posição, após as três primeiras rondas do apuramento? Eis o melhor onze GoalPoint Ratings, seguido da habitual análise.

Qualificação Mundial 2018 | O melhor XI europeu à 3ª jornada!
Clique para ampliar

Fique agora com os motivos estatísticos da escolha destes onze:

  • Moris (Luxemburgo) 7.18 – Jogou contra Suécia e Bielorússia, fazendo 17 defesas para apenas dois golos sofridos. Números muito pouco habituais num guarda-redes do Luxemburgo e qua ajudaram a garantir um ponto fora, na deslocação a leste.
  • Kimmich (Alemanha) 7.52 – De regresso à lateral-direita, continua a confirmar a grande forma que vem apresentando no Bayern. Já leva um golo, uma assistência e cria uma média de 2,7 oportunidades por jogo, a 2ª maior da qualificação, entre os laterais.
  • Arnason (Islândia) 7.10 – O veterano do Malmo marcou um golo contra a Finlândia e já leva duas assistências. Números impressionantes para um central, complementados, entre outras coisas, com uma média de 5,7 alívios por jogo.
  • Koscielny (França) 7.06 – Surpreendemente é o jogador com a melhor média de acções defensivas na fase qualificação (15,7 por jogo), um registo habitualmente dominado por defesas de selecções mais humildes. Soma ainda duas assistências e ganha 75% dos duelos aéreos.
  • Stafylidis (Grécia) 7.44 – O lateral do Augsburgo marcou um golo importante contra a Estónia e ainda não sofreu nenhum golo no tempo que esteve em campo. A ajudar a isso estão os seus cinco desarmes por jogo, a 2ª média mais alta da qualificação.
  • Marin (Roménia) 8.21 – Estreou-se esta semana na selecção e deixou tremenda promessa. Um golo e uma assistência na estreia, e uma média de 91% de passes certos e quatro passes para ocasião por jogo. Tem apenas 20 anos e joga no modesto Vitorul.
  • Pjanic (Bósnia) 8.30 – Teve o primeiro 10.0 GoalPoint Ratings da qualificação europeia sem marcar qualquer golo. Já leva quatro assistências em três jogos e uma média de 6,9 passes para ocasião a cada 90 minutos. Está um monstro.
  • Promes (Holanda) 8.24 – Anda um pouco escondido pela Rússia mas tem sido sempre titular da selecção. É o jogador com a melhor média de opotunidades criadas de bola corrida (4,4) e já marcou dois golos.
  • Payet (França) 8.09 – O melhor jogador do Euro 2016 continua em grande forma na sua seçecção. Já tem um golo, uma assistência e cria uma média de 5,7 oportunidades por jogo, apenas atrás de Pjanic.
  • Lewandowski (Polónia) 8.38 – Já marcou cinco golos na fase de qualificação, um a cada 54 minutos, a cada jogo cria uma média de três oportunidades, sofre quatro faltas e ainda ganha 67% dos duelos aéreos. Fantástico.
  • Ronaldo (Portugal) 9.13 – Um golo a cada 36 minutos, oito remates por jogo e uma média de 4,5 faltas sofridas, muitas delas em zonas perigosas. Está bem que não jogou o jogo mais difícil, mas são números impossíveis de passar ao lado.

Voltaremos ao tema quando o calendário chamar por nós, até lá regressa o futebol europeu de clubes, aqui no GoalPoint.

Nota metodológica: “Onze” elaborado tendo em conta o GoalPoint Rating médio de todos os jogadores portugueses que cumpriram um mínimo de 315 minutos jogados na Liga NOS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here