Mercado 14/15: Benfica, Porto e Sporting investiram 100 milhões

Após analisarmos números, nacionalidades e posições fazemos agora contas ao deve e haver dos "três grandes" neste mercado.

Os três grandes investiram, no conjunto, cerca de 100 milhões de euros (infografia: Goalpoint)
Os três grandes investiram, no conjunto, cerca de 100 milhões de euros (infografia: Goalpoint)

No primeiro momento de análise do mercado de Benfica, Porto e Sporting neste defeso já percebemos uma aposta pouco surpreendente em estrangeiros (32 em 41 reforços). Fazemos agora contas ao que compraram e venderam os “três grandes”.

101 milhões de investimento

Os três candidatos investiram neste mercado cerca de 101 milhões de euros obtendo em vendas e empréstimos cerca de 127 milhões. Um balanço positivo de cerca de 26 milhões de euros, como é também hábito e suposto num mercado eminentemente fornecedor das grandes Ligas europeias, embora inferior a defesos anteriores de proveitos mais “gordos”.

Analisamos agora os números de cada um dos grandes.

 

SL Benfica: A estranha estratégia de comprar para ceder

 

Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Bertrand/Shutterstock infografia: GoalPoint)
Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Bertrand/Shutterstock infografia: GoalPoint)

Os campeões nacionais fecharam o mercado com um balanço positivo marginal de 1,6 milhões, entre aquisições e saídas, o mais baixo dos três grandes, com o custo médio por aquisição mais elevado (2,9 milhões por reforço).

O exercício académico de cálculo de resultados com base não no valor de transferência, mas sim no valor de mercado dos atletas transaccionados, coloca os “encarnados” também com um risco mais aprofundado (-22,8 milhões de euros), mas convém interpretar estes números à luz da juventude de diversas apostas significativas das “águias” (Cristante, Talisca são exemplos), casos em que é habitual pagar-se muito acima do valor de mercado actual. Samaris foge, no entanto, a esta lógica e será talvez o jogador de valor mais inflacionado e difícil de perceber, até à luz dos valores de mercado de jogadores oriundos do mercado grego e da mesma nacionalidade (ex: o avançado Mitroglou transferiu-se em Janeiro de 2014 do Olympiacos para o Fulham por 12 milhões).

O factor mais curioso que decorre da análise da actividade de mercado dos “encarnados” é, no entanto, o facto de novamente voltar a contratar para imediatamente ceder, por empréstimo (Luis Felipe, Candeias) ou mesmo venda (Djavan).

O Benfica utilizou até agora nos quatro jogos oficiais realizados 29% dos jogadores contratados.