Muito se tem discutido sobre o suposto “despesismo” dos clubes portugueses neste Verão, com particular incidência no caso do FC Porto, mas a realidade dos números demonstra um defeso bem mais equilibrado e proveitoso, não só para os “três grandes”, mas para a globalidade dos emblemas que disputam a Liga NOS.

“TRÊS GRANDES” COM SALDO POSITIVO DE… 103 MILHÕES

Sendo certo que algumas aquisições realizadas terão impacto sobretudo na folha salarial (ex: Iker Casillas) e que ainda perspectivamos um mês de actividade até ao fecho de mercado, a verdade é que os “três grandes” gastaram, até esta segunda-feira (27 de Julho 2015), cerca de 42 milhões de euros em aquisições, o que representa um corte de cerca de 58% face aos 101 milhões investidos em 2013/14.

Acreditando que Benfica, Porto e Sporting ainda incorrerão em “despesas” neste defeso, a verdade é que, no que respeita a saídas, os três principais clubes já ultrapassaram o registo do ano passado, ao somarem cerca de 145 milhões em vendas contra os 127 com que encerraram o “horário comercial” de 2013/14, um crescimento de aproximadamente 14% que poderá não ficar por aqui.

SPORTING INVESTE MAIS DO QUE O BENFICA

O Sporting CP poderá ainda influenciar de forma determinante as contas finais: os “leões” investiram até ao momento mais o que o Benfica (7,9 contra 7,7 milhões de euros dos “encarnados”), com ambos os clubes

Mercado 14/15 dos "grandes"
Clique para conferir o saldo dos “grandes” em 2014/15

lisboetas bem longe dos valores despendidos há um ano: 40 milhões por parte das “águias”, 17,9 pelos “leões”. Mas enquanto o Benfica já ultrapassou as vendas homólogas, o Sporting ainda está longe dos 23,7 milhões “facturados” anteriormente: os “verde-e-brancos” encaixaram até agora 9,2 milhões, registo inferior não só aos rivais como também face ao Braga e ao Vitória de Guimarães.

LIGA NOS COM BALANÇO DE… 150 MILHÕES POSITIVOS

Os números ainda baixos do Sporting acabam por retirar protagonismo aos de Alvalade na análise global da actividade de mercado dos clubes da Liga NOS, onde para lá de Porto, Benfica, Braga e Guimarães também o Rio Ave se destaca entre os cinco clubes com o saldo positivo mais elevado.

Os números mostram, até agora, que o futebol português vai abordando este defeso com equilíbrio, pois não só o saldo global é positivo em 150 milhões de euros, como nenhum dos 18 clubes regista, neste momento, um balanço negativo entre compras e vendas.

No entanto, nem tudo são rosas e também aqui se afirma o desequilíbrio óbvio entre os dois (ou mesmo três) mundos do futebol português. O facto de Porto e Benfica reclamarem para si cerca de 74% das vendas da Liga NOS e de existirem, neste momento, oito clubes da Liga sem quaisquer receitas com saídas de jogadores neste defeso são sinais claros de que, sendo certo que o defeso demonstra sinais de saúde, os benefícios da mesma não atingem necessariamente todos os intervenientes.

Notas metodológicas:

1 – Os números utilizados pelo GoalPoint nesta análise são, como é habitual em temas relacionados com mercado e transferências, oriundos do Transfermarkt.

2 – Os negócios de André Gomes e Rodrigo, realizados entre o Valência e o SL Benfica não estão contemplados nos totais analisados, apesar de (no nosso entender erradamente) surgirem novamente referidos nesta janela de mercado devido à comunicação de mercado emitida pelos clubes envolvidos mas cuja natureza e análise detalhada confirma a nossa opção pela contabilização em janela anterior.