Mundial 2014: Os cinco veteranos em destaque

Miroslav Klose lidera um conjunto de jogadores que, pela sua idade e desempenho, merecem destaque neste Mundial (foto: AGIF/Shutterstock)
Miroslav Klose lidera um conjunto de jogadores que, pela sua idade e desempenho, merecem destaque neste Mundial (foto: AGIF/Shutterstock)

Veteranos que se destacam num Campeonato do Mundo. Não é certamente um acontecimento que diferencia o Brasil 2014 face a outros Mundiais. Mas perante a velocidade, exigência atlética e rigor táctico com que se joga (ou procura jogar) futebol nos dias de hoje, torna-se ainda mais admirável sempre que um jogador que, em teoria (e muitas vezes na prática), já entrou na fase descendente da carreira, se destaca no maior evento desportivo do planeta.

Diversos jogadores mereciam semelhante referência (Cahill, van Buyten) mas decidimos escolher quatro jogadores (um por sector) que, bem para lá dos “trintas” (fronteira discutível e encarada de diferente forma consoante o ponto do globo onde nos encontremos), mostraram não só não estar “acabados” para o futebol como foram decisivos no desempenho das suas equipas. Iremos comparar o seu desempenho pessoal neste Mundial com o que protagonizaram no decurso da última época ao serviço dos seus clubes, para melhor percebermos o quanto se destacaram e merecem um lugar nas páginas que se escreverem sobre o Campeonato do Mundo de 2014.

 

1. Tim Howard, o “Capitão América”

 

O "Capitão América" bateu recordes (foto: Philipp Zachl/WC)
O “Capitão América” bateu recordes (foto: Philipp Zachl/WC)

Nome: Tim Howard
Idade: 35 anos
Peso: 95kg
Altura: 1,91m
Posição: Guarda-redes
Clube: Everton FC (Ing)
Internacionalizações: 103

Timothy Mathew Howard terminou a sua prestação mundialista sob a áura de herói americano (houve quem incluísse o seu nome na entrada da Wikipédia respeitante ao ocupante do cargo de Secretário da Defesa dos EUA), uma imagem merecida para um verdadeiro capitão que soube manter os Estados Unidos em jogo até ao apito final de diversos encontros, o mais importante dos quais o Bélgica – EUA a contar para os oitavos-de-final – para muitos, um dos melhores senão o melhor jogo do torneio, no qual bateu o recorde de defesas num só jogo com 15 bolas impedidas de conhecer o fundo das suas redes.

Howard acaba por corporizar no Brasil a velha máxima de que a idade apura os guarda-redes, o que, não sucedendo certamente com todos, aconteceu no caso de Tim, um gigante habituado a travar as dificuldades que se lhe atravessaram no caminho, as pessoais (sofreu de síndrome de Tourette o que, segundo o próprio, quase impediu a sua carreira desportiva) e as desportivas (falhou a afirmação ao serviço do Manchester United).

Guardião da baliza do Everton FC desde a época 2007/08 Howard esteve ao mais alto nível no Brasil, como é possível constatar através dos dados de desempenho comparados: apesar de ter sofrido seis golos em quatro partidas, Howard fez mais defesas por golo sofrido do que durante toda a época na exigente Premier League (3,5 remates travados por cada golo sofrido contra 2,5 na Liga inglesa). Uma média de 5,3 defesas por jogo (sobretudo assente nas suas exibições nos jogos com Portugal e Bélgica, ambas merecedoras do prémio de “homem do jogo FIFA”). Howard aproveitou ainda para melhorar o seu desempenho na hora de colocar bolas nos pés dos seus colegas, com uma eficácia de 75%, quando apenas havia atingido os 68% ao serviço do clube na última época. É caso para Tim dizer: – I’m not done yet.

 Mundial 2014Pr. League 2013/14
Jogos437
Minutos3903262
Golos Sofridos (m p/jpg)1.51
Defesas (m p/ jg)5,32,6
Defesas p/ golo sofrido3.52,6
Eficácia Distribuição (%)75%68%