Fernando Santos vai anunciar no próximo dia 17 de Maio, esta quinta-feira, o grupo de 23 jogadores que vão à Rússia em representação de Portugal. Entretanto, já foi também anunciada a pré-convocatória, um lote de 35 nomes de onde sairá a lista final.

Este é um dia sempre muito aguardado por qualquer adepto, sedento de ver os seus preferidos entre os eleitos, com justificações mais ou menos ponderadas. Confessamos que no GoalPoint também é um momento esperado. O acesso a uma infinidade de dados estatísticos sobre quase todos os jogadores portugueses, ao serviço dos seus clubes e também da selecção, que resultam num modelo de avaliação de desempenho – o nosso GoalPoint Rating – , coloca-nos numa posição até de alguma responsabilidade, no sentido de indicar aqueles que, numa óptica de avaliação de rendimento quase pura, deveriam fazer parte dos 23 finais.

Nas próximas páginas vamos analisar, posição a posição, todos aqueles que têm entrado nas escolhas do seleccionador, mas também alguns que não têm mas… provavelmente deviam. Daí, chegaremos ao lote final de 23 convocados GoalPoint, que não é necessariamente melhor que o de Fernando Santos – o seleccionador conhece melhor os jogadores noutras vertentes – mas sim aquele que a nível de rendimento está mais próximo da perfeição.

GUARDA-REDES

Mundial-2018-Convocados-GoalPoint-GR-QuadroNo que toca aos guarda-redes, a selecção continua bem servida, e até terá que cometer inevitavelmente uma pequena injustiça. A primeira opção, Rui Patrício, teve em 17/18 uma das melhores épocas da sua carreira e os bons desempenhos na selecção não apresentam motivos para que perca o lugar de número 1. Quanto a Anthony Lopes, apesar de nunca ter estado muito feliz de “quinas” ao peito, continua a apresentar excelentes desempenhos ao serviço do Lyon e é entre todos aquele que está mais confortável a jogar fora dos postes.

A pequena injustiça será deixar de fora Cláudio Ramos. O guarda-redes do Tondela esteve na última temporada ainda melhor do que na passada e quase iguala Rui Patrício em muitos dos seus parâmetros estatísticos. O problema para Cláudio (mas boa notícia para Portugal) é que Beto também fez uma época fabulosa na Turquia, com a curiosidade de ser um grande especialista em grandes penalidades. Das últimas seis que enfrentou, defendeu quatro, algo que até pode vir a fazer muita falta…

LATERAIS-DIREITOS

Mundial-2018-Convocados-GoalPoint-LD-QuadroEsta é, provavelmente, a posição com a maior fartura de opções de qualidade. A confiança de Fernando Santos tem ido para Cédric, Nélson Semedo e João Cancelo, todos eles com bons motivos para estarem no Mundial, mas é o outsider Ricardo Pereira aquele que apresenta o melhor e mais equilibrado desempenho nas últimas duas épocas.

O lateral do FC Porto, que até já tinha estado na nossa lista para o Euro 2016, foi o melhor jogador português da Liga NOS 17/18 de acordo com os GoalPoint Ratings, e os seus números mostram bem o porquê. Apesar de jogar algumas vezes como extremo, consegue ainda assim ser aquele que mais desarmes faz em média nos últimos dois anos, falhando uma percentagem muito baixa para quem arrisca tantos nesses duelos. A sua velocidade e boa leitura de jogo permitem-lhe ainda interceptar 1,8 passes a cada jogo, quase o dobro de Cédric. Apesar de não ser tão forte no cruzamento, Ricardo é aquele que mais perigo cria junto da área, devido à frequência com que procura zonas interiores, à semelhança de Nélson Semedo.

Cédric tem a sua favor a tendência para cruzar, algo muito procurado no modelo de jogo da selecção graças a Cristiano Ronaldo, mas a sua forma caiu a pique em 17/18 e seria um pouco injusto chamá-lo tendo em conta a qualidade de opções e o facto de Ricardo já estar perfeitamente habilitado em funções defensivas, algo em que Cédric também tinha vantagem.

Para jogos em que seja preciso um lateral mais ofensivo, João Cancelo leva ligeira vantagem em relação a Nélson Semedo, até pela qualidade dos seus desempenhos pela selecção. Toda a gente terá mais fresca na memória a expulsão frente à Holanda, mas nas outras seis internacionalização A de que dispôs, Cancelo teve desempenhos brilhantes, apontando três golos, por exemplo. O ex-Benfica ainda não conseguiu verdadeiramente convencer em Barcelona e atravessa uma fase de menor confiança.

GoalPoint-João_Cancelo_2017_vs_Nélson_Semedo_2017-infog
Clique para ampliar

Parece-nos que Ricardo Pereira tem necessariamente que estar neste lote, mas entre os três já referidos, Cédric Soares, Nélson Semedo e João Cancelo, qualquer que seja a opção de Fernando Santos não será difícil de entender.

Na próxima página: Várias “surpresas” na defesa