O Sporting CP regressou ao comando isolado da Liga NOS, com mais três pontos que o SL Benfica e mais seis que o FC Porto. Os comandados de Jorge Jesus tiveram uma visita tranquila ao CD Nacional e venceram por 4-0. Competência no ataque, domínio absoluto e um adversário fraquinho foram os ingredientes perfeitos para uma goleada leonina ajustada ao que se passou em campo. No cômputo geral os suspeitos do costume voltaram a brilhar.

Liga NOS 2015/16 - Jornada 22 - Nacional vs Sporting
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Como demonstrativo da facilidade da vitória sportinguista o facto de a primeira defesa digna desse nome de Rui Patrício ter surgido de um livre directo, aos… 89 minutos. Só facilidades desde o arranque, pois Islam Slimani fez o 1-0 de cabeça logo aos três minutos, após um canto de João Mário. Olhando agora de uma certa distância, pode dizer-se que tudo ficou decidido nesse momento. Tanto na primeira como na segunda parte só deu Sporting e os números finais são elucidativos: 12 remates contra sete (5-2 enquadrados), 65,2% de posse de bola, 57,3% de duelos ganhos, nove disparos de dentro da área – reflexo das facilidades atacantes. E isto tudo com recurso a apenas seis passes para ocasião. Este foi o segundo jogo com menos passes para ocasião dos “leões” na presente Liga – curiosamente o registo mais baixo foi na vitória por 3-0 no Estádio da Luz, com o Benfica. Antes desta partida o Sporting tinha uma média de 12 destes passes por partida.

Adrien ampliou de penalty aos 51 minutos, João Mário (63′) fez o 3-0 em recarga a um remate de Slimani ao ferro e o próprio argelino (86′) fechou a contagem também de castigo máximo.

João Mário no epicentro do “furacão”

Tudo fácil para o Sporting, que soube lutar pela sua sorte. E quem mais contribuiu para essa fortuna foi mesmo João Mário, que esteve no epicentro de todo um futebol leonino que não deixou o Nacional respirar. O médio foi o mais valioso em campo fruto de 7.7 no GoalPoint Ratings. Para além do golo que marcou, pleno de oportunidade, fez ainda a assistência para o 1-0, realizou mais dois passes para ocasião, acertou 87,1% de 70 passes, tocou 102 vezes na bola e ganhou 53,8% dos 13 duelos individuais que disputou. Como um relógio suíço na mecanização sportinguista.

Destaque também para Slimani, que somou 6.4 no GoalPont Ratings, fruto de dois golos em quatro remates e dois passes para ocasião, mas também para Sebastián Coates. O uruguaio somou 6.6 e esteve implacável na defesa, com cinco intercepções, dois alívios e outros tantos desarmes. Do lado do Nacional apenas o guarda-redes Gottardi, com 5.6, merece destaque pela positiva.

LeaderBoard700x102JPEG

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS