[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Nápoles-Benevento-Italian-Serie-A-201718-1-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Nápoles-Benevento-Italian-Serie-A-201718-1-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Nápoles-Benevento-Italian-Serie-A-201718-1-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Nápoles deu, no passado fim de semana, uma lição de futebol, na sua verdadeira essência. Muitos argumentarão que parte dos números de que vamos falar são apenas e só um “tiki-taka” levado ao extremo, e que tal não passa de futebol aborrecido. Porém, olhando para a totalidade das estatísticas mais relevantes da partida, percebemos que, por trás do futebol do Nápoles e do seu treinador, Maurizio Sarri, está uma concepção de jogo que privilegia o essencial: golos, entretenimento e, em suma, futebol no que ele tem de melhor. E um “hat-trick” de Dries Mertens.

Loucos pelo passe

A formação napolitana goleou o Benevento em casa por 6-0. O resultado, por si só, é digno de realce, mas a forma como foi conseguido é que nos chamou a atenção. Alguns dos números são pouco habituais, mesmo entre as melhores equipas nas principais Ligas europeias. Vale a pena olhar para eles.

O Nápoles terminou a partida com 910 passes tentados, e com uma eficácia de entrega de 92%, correspondente a 840 passes certos. Leu bem. Espantado? É natural que sim, em especial se tiver como referência a Liga NOS. Demo-nos ao trabalho de ver como está o cenário do passe esta temporada entre as equipas que, teoricamente, mais passes (e certos) realizam por jogo em Portugal, ou seja os “três grandes”. E o panorama é este:

EquipaAdversárioJornadaPasses certos
SportingTondela545
BenficaPortimonense504
BenficaBelenenses494
FC PortoMoreirense439
BenficaSp. Braga426

Esclarecido? Nós também. O fosso é grande no que toca à eficácia de passe entre uma equipa como o Nápoles e os “três grandes” em Portugal, e não se trata apenas de um fenómeno desta temporada. Em 2016/17 o Benfica dominou por completo esta estatística, ocupando os nove primeiros lugares do ranking dos jogos com mais passes certos – só o décimo posto apresenta uma equipa diferente, neste caso o FC Porto, com 545 passes eficazes – e nem assim esse domínio se aproximou deste caso do Nápoles. O máximo que os “encarnados” conseguiram na temporada finda foram 585 passes certos, à sétima jornada, ante o Feirense.

Ratings altos, poucas faltas

Mas os elogios ao Nápoles não se ficam por aqui. Neste encontro com o Benevento, dez jogadores napolitanos registaram um GoalPoint Rating igual ou superior a 6.0 e cinco tiveram 7.0 ou mais. Quatro atletas tentaram mais de 100 passes – Jorginho (180), Hamsik (156), Ghoulam (128) e Koulibaly (110) -, e dois – Jorginho (159) e Hamsik (130) – tiveram eficácia acima da centena de entregas. Koulibaly (99) e Ghoulam (96) ficaram perto. O melhor do Benevento terminou com 7.1, o seu guarda-redes, Vid Belec, que ainda assim somou oito defesas e acertou 12 de 17 passes longos.

A ajudar ao festival de futebol positivo, o facto de o jogo ter registado apenas 13 faltas – diga-se que tal ajuda também ao número elevado de passes, pois quanto menos forem as interrupções, mais futebol se joga. O Nápoles cometeu apenas seis, tantas quanto… os golos que marcou. Gostava de ver isto em Portugal? Nós também.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner