A pausa na Liga NOS j谩 vai longa e ainda vamos ter que esperar uma semana at茅 ao recome莽o. No entanto, o pr贸ximo fim-de-semana j谩 traz de volta 脿 ac莽茫o todas as equipas, com a Ta莽a de Portugal a servir de “aperitivo” para uma oitava jornada que coloca em confronto directo os actuais seis primeiros classificados do campeonato. Um “domingo gordo” que inclui uma desloca莽茫o do Benfica a Tondela e as recep莽玫es de Porto e Sporting, a Famalic茫o e Vit贸ria de Guimar茫es, respectivamente.

O que tamb茅m est谩 de regresso, um pouco mais cedo do que o campeonato, 茅 o j谩 habitual bar贸metro GoalPoint. Nesta rubrica, tentamos perceber atrav茅s dos dados estat铆sticos como se comportam em campo as 18 equipas da Liga NOS. O que estar谩 por tr谩s do sucesso ou insucesso de cada uma delas e o que as diferencia entre si.

Clique para ampliar

No topo, um bem mais consistente que os outros

Surpreendentemente, o campeonato n茫o 茅 liderado neste momento por um dos cr贸nicos candidatos ao t铆tulo. O Famalic茫o 茅 a equipa-sensa莽茫o em Portugal e at茅 j谩 captou as aten莽玫es do resto do mundo, mas importa perceber se o resto dos n煤meros acompanham os 19 pontos correspondentes a seis vit贸rias e um empate. A resposta, muito resumidamente, 茅 n茫o. Com n煤meros de golos marcados e sofridos bem piores do que os registos correspondentes de expected goals (xG), pode dizer-se que os minhotos t锚m beneficiado sobretudo de uma grande efic谩cia ofensiva e alguma inoper芒ncia dos advers谩rios, ambas dif铆ceis de manter a m茅dio-longo prazo. Ofensivamente s茫o a equipa com a maior percentagem de ocasi玫es flagrantes convertidas (67%) e remates convertidos (16%), assim como de disparos enquadrados dentro da 谩rea (48%) e de remates enquadrados colocados (84%). Tudo indicadores de extrema efic谩cia. J谩 no que diz respeito 脿 capacidade defensiva, s茫o a terceira pior equipa em xG contra, apenas atr谩s de Mar铆timo e Aves. Nenhuma equipa permite mais ocasi玫es flagrantes (2,4) ou remates dentro da 谩rea (9,8) a cada jogo, e dificilmente essas dificuldades n茫o vir茫o ao de cima no futuro.

Entre os cr贸nicos candidatos, o FC Porto, 茅 de longe, o que tem os melhores registos. No que aos expected goals (xG) diz respeito, nenhuma equipa cria melhores oportunidades e permite t茫o poucas. Os “drag玫es” s茫o ainda a equipa que consegue manter mais tempo a posse de bola (m茅dia de 11,4 segundos por posse) e aquela que menos vezes a perde em zonas de perigo.

Com os mesmos pontos aparece o Benfica, mas h谩 dados preocupantes, sobretudo na dificuldade em acertar com a baliza advers谩ria. O terceiro melhor registo de xG a favor destoa do nono no que toca a remates enquadrados por jogo (3,7), quase metade dos do FC Porto. As “谩guias” t锚m ainda a curiosidade de ser a equipa que maior efic谩cia de passe permite aos advers谩rios (81,4%), o que tamb茅m destoa bastante do grande rival Porto (74,8%), que aparece no extremo oposto desse ranking.

Quanto o Sporting, os n煤meros est茫o longe de ser de “candidato”. A posse de bola elevada (quarta equipa com mais passes e terceira com melhor efic谩cia) n茫o 茅 acompanhada por um alto volume de cria莽茫o de ocasi玫es (apenas oitava em xG a favor), e defensivamente 茅 preocupante o volume de xG que permite (1,4 / jogo), maior do que o que cria (1,3 / jogo). A transi莽茫o defensiva 茅 dos pontos mais fracos do jogo do Sporting, e isso fica bem exposto no facto de os “le玫es” serem o emblema que permite as transi莽玫es mais r谩pidas (2,1 metros / segundo) em toda a Liga.

Com tend锚ncia a melhorar

Entre as equipas nas quais a classifica莽茫o n茫o corresponde 脿 qualidade de jogo, destaca-se sobretudo o Braga de Ricardo S谩 Pinto. O 11潞 lugar 茅 “mentiroso” e n茫o pode esconder alguns n煤meros dignos de registo. Os golos marcados (1,1 / jogo) n茫o t锚m acompanhamento nos xG a favor (1,4 / jogo) e at茅 no volume de remates enquadrados (5,4 / jogo, segundo melhor registo da prova), mas tal ter谩 tend锚ncia a melhorar, pois quase todas as ocasi玫es (89%) s茫o criadas em lances de bola corrida. Os “arsenalistas” s茫o ainda a equipa que mais cruza no campeonato (20,9 / jogo), com efic谩cia (25%) acima da m茅dia e uma das que menos perde a bola em zonas de perigo.

Tamb茅m o Rio Ave de Carlos Carvalhal (9潞 classificado) parece estar um pouco deslocado em rela莽茫o 脿 qualidade apresentada. S贸 o FC Porto cria mais xG por jogo do que os vila-condenses, que s茫o tamb茅m a segunda melhor equipa na percentagem de posses de bola transformadas em ocasi玫es de perigo (2,0%).

No fundo da tabela, mas com tend锚ncia para melhorar, est谩 o Pa莽os de Ferreira. Os pacenses s茫o a equipa com maior desfasamento entre golos e xG, tanto marcados como sofridos, e mantendo estes registos a tend锚ncia ser谩 para subirem na tabela. A falta de pontaria (apenas 22% de remates enquadrados dentro da 谩rea) n茫o durar谩 sempre e h谩 outros sinais encorajadores. S茫o a equipa com melhor efic谩cia nos passes longos (60%), passes longos para o 煤ltimo ter莽o (53%), assim como a segunda com melhores registos nos duelos a茅reos defensivos. O elevado n煤meros de faltas cometidas em zonas perigosas (5,2 / jogo) – que j谩 resultaram em tr锚s grandes penalidades – e os tr锚s cart玫es vermelhos podem explicar parte do insucesso pontual.

Outros casos interessantes

Um dos exemplos mais interessantes de uma equipa com estilo bem vincado 茅 o Boavista de Lito Vidigal. As dificuldades de cria莽茫o s茫o imensas, como bem se notam nos escassos 0,6 xG a favor por jogo, mas n茫o s贸. Os “axadrezados” criaram apenas tr锚s ocasi玫es flagrantes em sete jogos e um volume de remates dentro da 谩rea (3,8 / jogo) extremamente pobre. A dist芒ncia m茅dia de cada remate de bola corrida 茅 de 24,3 metros – o pior registo a n铆vel europeu – e a capacidade de constru莽茫o tamb茅m est谩 longe de ser boa, com a pior efic谩cia de passe vertical da prova (46%). No entanto, tudo isto 茅 contrabalan莽ado por uma capacidade defensiva bastante acima da m茅dia. Sendo a forma莽茫o que menos ocasi玫es flagrantes cria, tamb茅m 茅 aquela que menos permite. A equipa est谩 confort谩vel em oferecer a posse de bola ao advers谩rio (apenas 43% de posse), porque s茫o precisas em m茅dia 209 posses do advers谩rio at茅 conseguir criar uma ocasi茫o de perigo. Um n煤mero que contrasta, por exemplo, com as 56 do l铆der do Famalic茫o.

O Belenenses SAD, que fez quatro jogos com Silas e tr锚s com Pedro Ribeiro, 茅 outra das que tem um estilo de jogo bem vincado, apesar da tend锚ncia mostrar que n茫o vai ser tanto assim com o novo treinador. At茅 脿 sa铆da do actual t茅cnico do Sporting, nenhuma equipa mantinha cada posse de bola durante espa莽os de tempo t茫o longos (12,4 segundos), apesar de o jogo ser muito pouco vertical (apenas um metro de progress茫o por segundo) e objectivo (s贸 4,9% das posses resultavam em remates), ambos os piores registos do campeonato. Com Pedro Ribeiro, todos os registos come莽am a esbater-se, mas 脿 s茅tima jornada a equipa ainda mant茅m a segunda maior m茅dia de tempo por posse (11,3 segundos) e um alarmante n铆vel de perdas de posse no primeiro ter莽o (13,9 / jogo).

Pelo contr谩rio, o Mar铆timo 茅 talvez a equipa que mais “despreza” a posse de bola. Acerta apenas 176 passes por jogo – um registo dif铆cil de encontrar em toda a Europa – sendo que num dos jogos (vit贸ria em Pa莽os de Ferreira) terminou com somente 59 passes certos. 脡 ainda a equipa que mant茅m menos tempo cada posse de bola (7,2 segundos) e a 煤nica que faz menos do que dois passes em cada uma delas.

O bar贸metro voltar谩 daqui a algumas jornadas, para continuar a monitorizar a evolu莽茫o de cada um dos conjuntos da nossa Liga.