A segunda volta da Liga NOS arrancou, sem surpresas no topo da classificação, com todos os candidatos ao título a somarem vitórias. Os minhotos alcançaram um triunfo folgado em casa do Nacional, enquanto o líder Porto não deu veleidades ao Chaves e goleou, em Trás-os-Montes, por 4-1. Já Benfica e Sporting tiveram de lutar para somar os três pontos, as “águias” no reduto do Vitória de Guimarães (1-0), os “leões” em casa ante o Moreirense, por 2-1.

Estes resultados tiveram reflexo no nosso “onze” da jornada, com base nos GoalPoint Ratings. A única surpresa é a ausência de jogadores do Braga, mas a goleada do FC Porto tem como consequência a presença de três “dragões” na nossa equipa, sendo a formação mais representada. As outras duas com mais do que um representante são Rio Ave e Marítimo, os insulares muito por culpa da consistência defensiva que demonstraram.

Numa jornada em que temos apenas um repetente em relação à ronda anterior, destaque para o facto de se registarem também só três estreias esta temporada.

GoalPoint-Onze-jornada-18-Liga-NOS-201819-infog
Clique para ampliar

 

Léo Jardim (Rio Ave) 6.7 – O único repetente em relação à 17ª ronda. O guarda-redes do Rio Ave, que foi o melhor jogador da jornada passada, volta a ter presença garantida, na sequência do nulo da sua equipa, em casa, com o Feirense. Ao todo, o brasileiro fez três defesas (máximo da ronda), duas a remates dentro da sua área, um deles ao ângulo, e ainda somou duas saídas pelo ar eficazes. Competência acima de tudo.

André Almeida (Benfica) 6.8 – O lateral benfiquista voltou a realizar uma bela exibição, daquelas que, à primeira vista, até poderá ter passado despercebida a muitos adeptos. Porém, é inegável o bom jogo do português, como mostram os números. Para além da assistência que fez para o único golo do jogo, Almeida somou dois passes para finalização, completou as três tentativas de drible, ganhou os dois duelos aéreos defensivos em que participou e registou 14 acções defensivas. Esta é a terceira presença do benfiquista.

Zainadine (Marítimo) 7.1 – O Marítimo vai em dois jogos consecutivos fora de casa em que sofre grande pressão adversária, mas mesmo assim ganha por 1-0 – primeiro ante o Boavista, e agora com o Santa Clara. Esses triunfos tiveram por base o seu sector mais recuado, em especial os seus centrais. O moçambicano foi o segundo melhor em campo nos Açores, graças aos impressionantes 15 alívios que realizou (máximo da ronda), num total de 21 acções defensivas, e a seis duelos aéreos defensivos ganhos (em seis).

Lucas Áfrico (Marítimo) 7.4Mas o melhor em campo nessa partida foi o colega no eixo defensivo. Lucas Áfrico esteve intransponível, com um total de 22 acções defensivas, entre elas 13 alívios, cinco desarmes e um corte decisivo, e ainda teve tempo de ir lá à frente fazer um passe para finalização.

Marcos Acuña (Sporting) 7.3 – O Sporting teve de lutar para vencer em casa o Moreirense e muito pode agradecer a Acuña por o ter conseguido. O argentino fixou o máximo de passes para finalização da jornada, nada menos que cinco, um deles acabando por ser a assistência para o golo de Nani. E ainda somou 14 recuperações de posse.

Héctor Herrera (FC Porto) 6.7 – O Porto não deu hipóteses ao Chaves, em Trás-os-Montes, com uma exibição competente em todos os sectores. No “miolo”, Herrera foi um autêntico pilar, registando dois passes para finalização, apenas sete entregas falhadas em 84, sete passes longos eficazes em oito e dez acções defensivas. Números que lhe garantem a quinta “chamada”.

Óliver Torres (FC Porto) 6.8 – O outro médio do Porto nesta equipa é Óliver. O espanhol voltou ao “onze” e não desiludiu, registando o segundo rating mais elevado do encontro, graças, entre outros detalhes, a 12 passes longos certos em 18, a 88 acções com bola e sete recuperações de posse.

Wellington (Portimonense) 8.4O melhor desempenho estatístico da jornada coube ao brasileiro do Portimonense. O extremo marcou os dois golos do triunfo algarvio em casa do seu anterior clube, o Boavista, no total de quatro remates (três enquadrados), sendo que somou dois passes para finalização, completou as duas tentativas de drible e ainda fez quatro desarmes e oito recuperações. Um “todo-o-terreno” com uma estreia auspiciosa nestes “onzes”.

Diego Lopes (Rio Ave) 6.6 – Os vila-condenses não conseguiram derrubar a muralha defensiva do Feirense, apesar do grande domínio. Ainda assim, o médio Diego Lopes esteve em bom plano, no ataque e nos momentos sem bola. Para além de dois passes para finalização e dois dribles completos em três tentativas, o brasileiro somou ainda dez recuperações de posse. Uma estreia esta temporada nos nossos “onzes”.

Moussa Marega (FC Porto) 7.0O melhor jogador na goleada do Porto ao Chaves. O maliano esteve em todas, registando duas assistências, três ocasiões flagrantes criadas em cinco passes para finalização, apenas falhou um passe e ganhou os dois duelos aéreos ofensivos em que participou.

Henrique Almeida (Belenenses) 7.2 – Uma das três estreias. A recepção do Belenenses ao Tondela deu empate e quatro golos, sendo que o avançado brasileiro foi o melhor em campo. Os seus dois golos foram alcançados em três remates (dois enquadrados), e venceu dois dos quatro duelos aéreos ofensivos em que participou.

Fechamos com os jogadores que lideraram o nosso “barómetro” de variáveis nesta jornada:

GoalPoint-Tops-Jornada-18-LIGA-NOS-201819-infog
Clique para ampliar

 

São estes os melhores da 18ª jornada da Liga NOS 18/19, parabéns!

Confira, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint ou no novo artigo-resumo da jornada, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga NOS! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”.

LIGA NOS | J18STATGPRMVP
0-3
1-4
0-1
2-2
2-1
0-1
2-1
0-2
0-0