bonus-60-goal-point-parceiros-apostas-desportivas-700x90

A terceira jornada da Liga NOS 2019/20 ficou marcada pelo grande “clássico” entre Benfica e FC Porto. Os “dragões” foram ao Estádio da Luz vencer – e convencer – por 2-0, num jogo controlado pelos comandados de Sérgio Conceição do princípio ao fim, graças a uma estratégia bem definida que anulou as principais forças benfiquistas.

O Sporting aproveitou para ultrapassar os rivais e assumir a liderança do campeonato, ao vencer por 3-1 na visita ao Portimonense, numa partida com um arranque de loucos. A acompanhar os “leões” no topo está o surpreendente Famalicão, que empatou na visita ao Vitória de Guimarães.

Mas o foco esteve mesmo no “clássico”. Não é muito habitual saírem jogadores destes grandes jogos para os “onzes” da jornada, com base nos GoalPoint Ratings, mas desta feita sim. O FC Porto empresta dois futebolistas a esta equipa, que reflectem a tendência da partida: consistência defensiva, competência atacante. Pepe e Zé Luís são os nomes que integram as nossas “escolhas”. Mas há dois outros clubes com dois representantes cada, o Vitória de Guimarães e o Rio Ave, este último graças à goleada sobre o Desportivo das Aves por 5-1, que teve um protagonista iraniano perto de alcançar a nota máxima.

Vamos aos craques.

GoalPoint-Onze-jornada-3-Liga-NOS-201920-infog
Clique para ampliar

 

Eduardo (Sp. Braga) 6.9 – De regresso a Braga, Eduardo foi o grande responsável por os “arsenalistas” terem somado um ponto na visita ao Gil Vicente, mesmo após terem estado a ganhar. Os gilistas pressionaram, conseguiram o empate, mas o guarda-redes impediu danos maiores, com cinco defesas, duas delas a remates na grande área, um deles dirigido a um dos ângulos superiores.

Bruno Santos (Paços de Ferreira) 7.1 – Os pacenses somaram o primeiro ponto na Liga, no empate 1-1 em casa do Boavista, e o lateral-direito dos “castores” foi o melhor em campo, com um registo de dois passes para finalização, outros tantos dribles completos (100%), oito recuperações de posse e 12 acções defensivas.

Zainadine (Marítimo) 6.9 – Os insulares averbaram a primeira derrota caseira de sempre ante o Tondela, mas o central esteve muito bem em diversos momentos do jogo. Para além de ter ganho os sete duelos aéreos defensivos em que participou, somou ainda 15 acções defensivas (entre elas nove alívios) e fez uma assistência.

Pepe (Porto) 6.8 – O Benfica não conseguiu atacar a não ser com bolas longas ou cruzamentos e, neste contexto, Pepe sente-se perfeitamente confortável. No grande “clássico” da ronda, o internacional luso fez 16 acções defensivas, dez das quais alívios, recuperou oito vezes a posse de bola e ainda sofreu três faltas.

Mamadu Candé (Santa Clara) 7.0 – O nulo nos Açores com o Belenenses teve um protagonista na defesa. O lateral-esquerdo dos insulares foi o melhor em campo, com dois passes para finalização, três cruzamentos eficazes em sete tentativas e ainda dez acções defensivas, com destaque para três bloqueios de cruzamento.

Filipe Augusto (Rio Ave) 7.7Os vilacondeses golearam e realizaram uma grande exibição caseira ante o Aves, e Filipe Augusto foi um dos protagonistas. O médio fez um golo, no único remate que tentou, e esteve em todas, com uma assistência, o máximo de acções com bola na partida (122), 12 recuperações de posse e quatro desarmes.

João Carlos Teixeira (Vitória SC) 7.3Os vimaranenses não foram além de um empate caseiro 1-1 (segundo consecutivo), na recepção ao Famalicão, num jogo equilibrado e com futebol de ataque dos dois lados. João Carlos Teixeira foi uma das figuras nessa filosofia de jogo, ao apontar o golo da sua equipa. O médio somou ainda dois passes para finalização e completou as suas três tentativas de drible.

Raphinha (Sporting) 8.2Grande exibição do extremo brasileiro, que arrancou um golo estupendo logo aos dois minutos da visita do Sporting a Portimão, e acabou por bisar na segunda parte. Ao todo, Raphinha enquadrou os três remates que fez e completou metade das seis tentativas de drible.

Davidson (Vitória SC) 8.1 – Um de dois repetentes em relação à segunda ronda da prova. Davidson foi o melhor no empate entre Vitória e Famalicão, com um impressionante registo de seis remates (dois enquadrados), uma assistência, três cruzamentos certos em sete, cinco dribles completos em sete e ainda quatro desarmes. É obra.

Zé Luís (Porto) 7.7 – Mais uma grande exibição do cabo-verdiano. O ponta-de-lança voltou a marcar, desta feita no Estádio da Luz, e terminou o “clássico” com números de respeito: um golo, dois remates (ambos enquadrados), dois passes para finalização, seis de dez dribles eficazes e três duelos aéreos ofensivos ganhos em sete. O outro repetente em relação à jornada passada.

Mehdi Taremi (Porto) 9.7 – A grande figura da jornada. O iraniano ex-Al-Gharafa fez um “hat-trick” frente ao Aves, em somente 73 minutos, convertendo a todos os remates enquadrados que fez (num total de quatro disparos). O ponta-de-lança criou ainda duas ocasiões flagrantes em três passes para finalização e ganhou dois de quatro duelos aéreos ofensivos.

Fechamos com os jogadores que lideraram o nosso “barómetro” de variáveis nesta jornada:

GoalPoint-Tops-Jornada-3-Liga-NOS-201920-infog
Clique para ampliar

 

São estes os melhores da 3ª jornada da Liga NOS 19/20, parabéns!

Confira, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga NOS! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”.

LIGA NOS | J3STATGPRMVP
0-0
5-1
0-2
1-1
2-3
0-0
1-3
1-1
1-1