Depois da Serie A, a viagem prossegue e, desta feita, vamos conhecer quem mais ordena na La Liga. O vice-líder Real Madrid é o emblema mais representado, com cinco jogadores, segue-se o Barcelona, com dois elementos.

Levante, Athletic de Bilbao, Eibar e Villarreal também dizem presente neste”onze” GoalPoint Ratings à paragem de Março, que reúne jogadores que cumpriram mais de 1215 minutos nesta edição 2019/20 do campeonato espanhol. Vamos aos detalhes.

GoalPoint-Best-XI-La-Liga-1920-03.2020-infog
Clica para ampliar

E o MVP até Março foi…

Lionel Messi (Barcelona) 8.07 – Não há volta a dar, o craque argentino foi o melhor jogador da La Liga até Março. Não obstante a época de altos e baixos do Barcelona, que lidera a prova com mais dois pontos do que o Real Madrid, mas sem encantar como em tempos idos, Messi tem sido Messi, e isso é muito. Ora vamos aos factos. Nas 22 jornadas em que foi utilizado, o camisola “10” apontou 19 golos – melhor marcador da prova com mais cinco golos do que o segundo colocado Benzema – e é, ainda, o “rei” das assistências com 12 passes mortíferos. Ao todo teve participação directa em 31 golos. A cada 90 minutos, o actual detentor do troféu FIFA World Player of the Year tem a média mais elevada de remates, com 5,0, e de tiros enquadrados (2,6). Aos 32 anos, Messi continua a espalhar magia, sendo o jogador com mais ocasiões flagrantes criadas (1,0), o segundo com mais passes para finalização (2,6) e é o líder nos passes de ruptura, com 1,2. A “Pulga” mantém intactos vários dos seu “skills”, entre os quais o drible. Lidera as tentativas na prova (8,3) e o máximo de eficazes (5,6). No último terço do terreno é o jogador que mais arrisca, tendo 5,2 dribles e 3,1 fintas com sucesso nesta zona do campo. Mais palavras para quê, na La Liga quem mais ordena é mesmo Lionel Andrés Messi Cuccittini.

GoalPoint-Spanish-La-Liga-2018-Lionel-Messi-infog
Clique para ampliar

Os restantes “titulares”

Aitor Fernández (Levante) 6.45 – Nem Ter Stegen (Barcelona), nem Courtois (Real Madrid) ou Oblak (Atlético de Madrid). O guarda-redes com melhor desempenho objectivo da competição milita no Levante. Falamos de Aitor Fernández. Aos 28 anos, o guardião tem estado em evidência no 13º classificado e, dos seus dados, realçamos alguns. É o guardião que mais teve de enfrentar remates na sua área, 11,1 a cada 90 minutos, sendo o jogador com a melhor percentagem de remates enquadrados defendidos (76%) e de “tiros” enquadrados na área travados (71%). Ágil, o espanhol tem uma média de 4,7 intervenções, liderando este capítulo. Da marca dos 11 metros, o colega do ex-sadino Rúben Vezo e do ex-“dragão” Hernâni é uma verdadeira muralha, já que deteve duas das cinco grandes penalidades em que foi colocado à prova em 27 encontros, o que dá uma média bastante interessante de 40%.

Dani Carvajal (Real Madrid) 6.13 – A locomotiva de Madrid. Em 22 partidas, o internacional espanhol apontou cinco tentos e ofereceu aos colegas de equipas cinco passes que culminaram em golo e é o terceiro lateral com mais passes para finalização (1,7) e o segundo em bola corrida (1,5). Mais maduro, Carvajal tem melhorado em termos defensivos as performances, como atestam os 2,3 desarmes, 1,3 intercepções e 6,0 recuperações da posse a cada 90 minutos. Uma das principais válvulas de escape dos “blancos”, o lateral-direito tem a terceira média mais alta da La Liga em termos de acções com bola – 95,2.

Raphaël Varane (Real Madrid) 5.90 – Do alto do seu 1,91 cm, Varane faz notar a presença em campo, sendo imperial nas alturas com 78% de duelos aéreos defensivos ganhos, o segundo valor mais alto entre centrais no campeonato espanhol, apenas ultrapassado pelo antigo jogador do FC Porto, Felipe (Atlético de Madrid), que tem 81%. No entanto, as dificuldades do campeão do Mundo francês aumentam nalgumas acções, tendo apenas 1,2 desarmes a cada 90 minutos e menos de uma intercepção (0,9). Nas 23 rodadas em que actuou marcou dois golos, fez uma assistência e ainda demonstrou ser um bom elemento para iniciar os lances ofensivos, com uma eficácia assinalável de 93% nas entregas no próprio meio-campo.

Iñigo Martínez (Athletic) 5.92 – Joga no País Basco o parceiro de Varane neste eixo defensivo. Nas 24 partidas do campeonato em que entrou em cena, Iñigo apresentou uma média de 1,5 desarmes, 1,3 intercepções, 4,2 alívios, números que ajudam o Athletic a ser a terceira melhor defesa com 23 golos consentidos, apenas atrás dos vizinhos de Madrid, Real e Atlético. Não sendo muito alto – 1,82 cm –, olhando para os padrões dos defesas-centrais –, o internacional espanhol levou a melhor em 71% dos duelos aéreos defensivos que protagonizou. Mesmo sem golos até esta paragem, foi o segundo defesa-central com mais remates (1,0) a cada 90 minutos.

José Ángel (Eibar) 5.97 – A fechar as contas da defesa, surge um antigo jogador do FC Porto e que partilha o balneário com os lusos Rafa Soares e Paulo Oliveira. José Ángel, que teve uma passagem fugaz pela Cidade Invicta, com 29 jogos distribuídos em duas temporadas, está a realizar uma temporada assinalável no Eibar. Com 21 presenças, o lateral-esquerdo mostra-se eficiente a executar as tarefas defensivas e tem uma média de 2,0 desarmes, 1,3 intercepções e 7,0 recuperações de posse – em segundo se olharmos para os dados dos laterais – a cada 90 minutos. Atrevido no ataque, apresenta no registo pessoal um golo e uma assistência, mas é no drible que mais se destaca, com uma eficácia de 74,2%, o quarto valor mais elevado entre os laterais que jogam na La Liga.

Casemiro (Real Madrid) 6.40 – Zidane não abdica dele e percebe-se porquê. O antigo jogador do FC Porto é um seguro de garantia nos “merengues”. Utilizado em 25 partidas, é o jogador com mais recuperações de posse (8,8), sendo, ainda, intratável nas intercepções (2,2), onde é o quarto jogador neste capítulo e o sexto se verificarmos a média de desarmes por 90 minutos, com 3,4 acções. Mas o raio de acção de Casemiro não se limita ao processo defensivo, com três golos marcados e duas assistências, pelo que não pensa muito quanto tem de visar o alvo – é o médio-defensivo com a média mais elevada de disparos, com 1,4.

Toni Kroos (Real Madrid) 6.94 – Na sexta época consecutiva em Madrid, Kroos continua a espalhar magia, com exibições de gala. Exímio, raramente falha um passe e apresenta uma eficácia elevadíssima: é o jogador que tem a melhor eficácia de passe, com uns sensacionais 93,7% e, ainda, é o dono da maior eficácia de passe no seu meio-campo (95,5%), da melhor eficácia no meio-campo contrário (92,7%) e, “uff”, a melhor eficácia de passes no último terço (90,3%). Nos passes longos, o germânico não deixa os créditos por pés alheios e prossegue como o melhor elemento da prova: são 8,7 tentativas e uma eficácia de 88,3% a cada 90 minutos. Nos 24 duelos que realizou, marcou três golos – é o segundo médio-centro com mais remates (2,1) -, fez cinco assistências – quinto da posição com mais passes para finalização (2,4) – e foi o quarto jogador com mais acções com a bola – 94,7.

GoalPoint-Spanish-La-Liga-2018-Toni-Kroos-infog
Clique para ampliar

Santi Cazorla (Villarreal) 6.97 – Qual Fénix, após um longo calvário devido a inúmeras lesões que chegaram a colocar a carreira em risco, Santi Cazorla demonstra que nada é impossível na vida. O experiente jogador de 35 anos apresentou o segundo melhor rating, apenas atrás do omnipresente Messi. Nas 24 jornadas que actuou, o internacional espanhol marcou oito golos, gizou seis assistências, sendo o líder da prova nos número de passes para finalização (2,7) por 90 minutos e o quarto atleta com mais passes para remate na grande área (1,9). O “mago” espanhol ainda tem alguns truques e mantém números excelentes no que concerne aos dribles, com 2,9 tentativas e uma eficácia de 64,4%. Sensacional.

GoalPoint-Spanish-La-Liga-2018-Santi-Cazorla-infog
Clique para ampliar

Luis Suárez (Barcelona) 6.39 – Quem diria? Mesmo sem jogar desde 9 de Janeiro devido a uma lesão grave que contraiu no menisco externo do joelho direito, no desaire do Barcelona ante o Atlético de Madrid (2-3), numa das meias-finais da Supertaça espanhola, o uruguaio junta-se a Benzema nesta dupla de ataque. Nas 17 jornadas em que foi utilizado apontou 11 golos, estando apenas atrás de Messi e do camisola 9 do Real Madrid, e tem sete assistências, sendo um dos vice-líderes com os valores mais alto de passes que terminaram em golo – apesar de registar somente 1,3 passes para finalização a cada 90 minutos. O dianteiro de 33 anos continua letal no último terço do terreno, com quase quatro remates – 3,7 –, a quarta média mais alta, e o segundo com mais disparos enquadrados (2,1), ficando apenas atrás do amigo e colega de equipa Messi. Dos quatro duelos aéreos em que interveio, em 17 rodadas, venceu todas estas acções. Praticamente recuperado da mazela que o apoquentou nos últimos meses, Suárez poderá reforçar a equipa de Quique Sétien caso a La Liga recomece.

Karim Benzema (Real Madrid) 6.37 – Para Didier Deschamps, seleccionador de França, Benzema poderá não contarpassar de um “kart”, mas para Zinédine Zidane o avançado é um “Fórmula 1” e a temporada do avançado tem sido assinalável. Mais predador, tem alvejado muito a baliza adversária – é o segundo jogador nesta variável -, apresentando uma média de 3,9 remates, sendo que 1,7 dessas tentativas foram enquadradas à baliza e marcou 14 golos, numa classificação liderada por Messi. Apesar de estar com mais olhos para as redes contrárias, o gaulês continua a ser altruísta, e assinou seis assistências, somando, por 90 minutos, tem 1,8 passes para finalização. Chapeau, Karim Benzema.

GoalPoint-Spanish-La-Liga-2018-Karim-Benzema-infog
Clique para ampliar

Parabéns aos eleitos!

Nota metodológica: O “onze” foi elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 1215 minutos na La Liga 2019/20.

Confira também:

🔸 O XI da Premier League
🔸 O XI da Ligue 1
🔸 O XI da Bundesliga
🔸 O XI da Serie A