Electrizante. É desta forma que poderemos ilustrar a Serie A até à sua paragem. Decorridas 26 jornadas, a Juventus lidera a prova com 63 pontos, apenas mais um do que a sensacional Lazio e mais nove que o Inter, que tem um jogo em atraso.

O “onze” GoalPoint Ratings da Liga transalpina, que contempla os jogadores que tiveram mais de 1170 minutos em cena, também realça o equilíbrio que temos vindo a assistir desde Agosto de 2019: a Juve, octacampeã em título, empresta quatro jogadores, a vice-líder Lazio dois atletas, o mesmo número da surpreendente Atalanta, a máquina de fazer golos desta competição. Inter, Roma e Génova são os restantes emblemas representados. Vamos desvendar o nome dos escolhidos?

GoalPoint-Best-XI-Serie-A-1920-03.2020-infog
Clique para ampliar

E o MVP até Março foi…

Josip Ilicic (Atalanta) 7.77 – O estranho, ou não, caso de “Benjamin” Josip Ilicic “Button”. Aos 32 anos, o internacional esloveno vive uma espécie de segunda juventude. Os números, que iremos apresentar, atestam a qualidade da época do MVP do campeonato italiano até Março. Com 1475 minutos de utilização, distribuídos por 21 partidas, o avançado leva 15 golos apontados na prova21 em todas as competições –, igualando, desde já, a melhor marca da carreira que atingiu em duas temporadas – 2017/18 na Atalanta e os mesmos 15 na Fiorentina em 2015/16. Com uma média de 0,92 golos por 90 minutos, Ilicic tem comando a formação de Bérgamo, que ocupa um sensacional quarto lugar na Serie A, criando também 0,8 ocasiões flagrantes (máximo do campeonato) a cada 90 minutos, com um registo de 3,4 dribles eficazes (54,5%), 78,2 acções com a bola e 4,6 remates por 90 minutos (quinto valor mais alto). Dados que atestam a preponderância do experiente dianteiro na manobra ofensiva da equipa.

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Josip-Iličić-2-infog
Clique para ampliar

Os restantes “titulares”

Wojciech Szczesny (Juventus) 6.39 – “Recentemente disse que, quando estava em Roma, coloquei Alisson, o melhor guarda-redes do mundo, no banco. Agora, na Juventus, o meu substituto é um dos melhores da História. A conclusão que tiro é a de que sou, provavelmente, o melhor do mundo e da história”. As palavras de Wojciech Szczesny foram proferidas à Przeglad Sportowy em Setembro do ano passado. Talvez o polaco não seja uma unanimidade no que diz respeito a quem é o melhor guardião da actualidade, mas dizem os números que na Liga transalpina é ele quem mais ordena. Utilizado por Maurizio Sarri em 19 encontros, o antigo jogador do Arsenal e da Roma tem-se notabilizado pela segurança que transmite à equipa e apresenta uma média de 3,5 defesas, correspondentes a 79,8% de remates enquadrados defendidos, o valor mais alto da Serie A. Com 78,4% de defesas seguras, travou 67,3% nos tiros enquadrados na sua área, segundo valor mais elevado, tendo defendido todos os remates enquadrados de fora da área.

Juan Cuadrado (Juventus) 6.01 – A cumprir a quinta temporada consecutiva em Turim, Cuadrado tem sido peça fulcral no esquema de Maurizio Sarri. Apesar de ter sido contratado ao Manchester City, no mesmo período em que João Cancelo fez o percurso inverso, Danilo não tem tido argumentos para ultrapassar o colombiano no “poleiro” do lado direito da defesa da Juve. “Cuadradito”, como também é conhecido, contabiliza 23 chamadas à acção na competição1845 minutos de utilização -, tem um golo apontado e duas assistências e uma impressionante média de 91,8 acções com a bola. Defensivamente apresenta interessantes 2,2 desarmes por 90 minutos e somente 0,7 dribles consentidos. Com 3,0 cruzamentos de bola corrida por partida, destaque para os 28% de eficácia, um número bem acima da média.

Francesco Acerbi (Lazio) 6.11 – Com 23 golos consentidos, a melhor defesa da prova pertence à Lazio. Francesco Acerbi é um dos esteios da muralha “laziale”. O defensor de 32 anos entrou em acção em 24 jornadas – 2114 minutos jogados – e, além dos dois golos marcados e duas assistências, apresenta números interessantes no sector defensivo, nomeadamente no pragmatismo do seu jogo, com quase três alívios por 90 minutos, somando ainda 1,7 desarmes. Pelo ar ganha 66% dos duelos aéreos defensivos em que participa, mostrando segurança no passe, com 90% de eficácia global e 95% de entregas certas no seu próprio meio-campo.

Chris Smalling (Roma) 6.23 – Não é de estranhar que Paulo Fonseca queira ficar com o defesa-central a título definitivo. Emprestado pelo Manchester United, o internacional inglês pegou de estaca no “onze” da Roma, tendo sido utilizado em 21 partidas – 1890 minutos jogados – e assinado dois golos e uma assistência. Imprescindível no esquema do técnico português, o atleta de 30 anos tem demonstrado predicados na construção desde a linha defensiva, com 94% de passes certos no seu meio-campo (90% em termos globais). Além disso, Smalling, no alto do seu 1,94 cm, ganhou 75% dos duelos aéreos defensivos em que participou, quinto valor entre centrais. Apresenta o melhor rating entre os jogadores da posição. Very well, Chris.

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Chris-Smalling-infog
Clique para ampliar

Domenico Criscito (Genoa) 6.19 – No aflito Génova, em 17º lugar, um posto acima da “linha de água”, um nome tem estado em destaque. Falamos de Domenico Criscito, que aos 33 anos tem sido regular nas suas exibições e sobressaindo com alguns números que iremos destacar. Foram 19 encontros, distribuídos por 1624 minutos, nos quais apontou incríveis sete golos – nove se acrescentar a Taça de Itália. Este apetite voraz pelas redes contrárias reflecte-se em 1,0 remate a cada 90 minutos (segundo entre os centrais), ou seja, converteu 39% dos disparos que fez. Por não ser muito alto – 1,83 cm -, o italiano venceu apenas 47% dos duelos aéreos ofensivos, mas rente à relva é outra história, com 2,3 desarmes e 2,5 intercepções, segundo valor mais alto entre centrais.

Robin Gosens (Atalanta) 6.24 – O defesa com o rating mais alto. Gian Piero Gasperini não abdica do alemão, que tem 1750 minutos de utilização e uma veia goleadora assinalável com sete golos carimbados em 22 jornadas da Serie A e cinco assistências. Entre os laterais, Gosens é o terceiro que mais remata (2,0), destacando-se também na excelente eficácia de cruzamento, que ronda os 28%.

Marcelo Brozovic (Inter) 6.29 – Uma espécie de seguro de saúde na equipa de Antonio Conte. Com 1985 minutos de utilização, o médio segue à risca os “mantras” do treinador dos “nerazzurri”, defendendo com eficácia e depois atacando pela certa. Com três golos e cinco assistências, o croata é o médio-defensivo que mais remata (2,0 por 90 minutos), registando ainda apreciáveis 1,5 passes para finalização. Nas entregas é, aliás, o quinto médico com mais acerto (89%), e na retaguarda mostra-se sólido, com 2,5 desarmes, segundo valor mais elevado entre médios-defensivos. Um jogador de uma fiabilidade a toda a prova.

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Marcelo-Brozović-infog
Clique para ampliar

Luis Alberto (Lazio) 6.97 – Aos 27 anos, Luis Alberto está a fazer a época de consagração na alta roda do futebol internacional. O “rei” das assistências da prova, com 12 passes certeiros para golo, o médio marcou quatro tentos em 25 jogos – 2135 minutos jogados. Em média, o jogador “laziale” regista assinaláveis 83,8 acções com a bola a cada 90 minutos, tendo convertido metade das ocasiões flagrantes de que dispôs. O espanhol soma cerca de 3,0 remates, sendo o terceiro médio mais rematador, e também é aquele que mais passes para finalização regista (3,2, segundo em termos globais), o que não espanta se olharmos para o número de assistências.

Paulo Dybala (Juventus) 6.94 – Dos 13 golos que leva até ao momento na época, sete foram apontados nas 24 “rodadas” em que jogou na Liga. Nesses 1506 minutos em que esteve no relvado, a “Jóia” tem uma média de 4,5 remates, sexto registo mais alto na Serie A, o mesmo acontecendo com os passes para finalização (2,8). Com o passar da época, foi ganhando a confiança de Sarri e tem arriscado mais – 59,2% dribles eficazes, quase três dribles (2,7). Muitos pensavam que o argentino era incompatível em campo com Cristiano Ronaldo, mas o treinador da Vecchia Signora demonstrou que não é bem assim. Antes pelo contrário.

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Paulo-Dybala-infog
Clique para ampliar

Cristiano Ronaldo (Juventus) 7.06 – Com o segundo rating mais elevado da equipa, CR7 continua insaciável. Nas 22 jornadas em que foi utilizado, marcou 21 golos – média de 0,97 “tentos” a cada 90 minutos -, 13 deles nos derradeiros dez desafios. O português não pensa duas vezes sempre que faz “mira” ao alvo, com incríveis 6,0 remates, de longe o número mais elevado (o segundo, Lautaro Martínez, não passa dos 4,7), e 2,5 enquadrados (a média mais alta dos jogadores que estão nesta lista). Eficaz, converteu 53,3% das ocasiões flagrantes que dispôs, e levou a melhor em 52,4% dos duelos aéreos ofensivos em que interveio. E quem disse que o capitão da turma das “quinas” não dribla? A cada 90 minutos soma 3,3 tentativas, 1,9 eficazes (56,3%).

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Cristiano-Ronaldo-5-infog
Clique para ampliar

Parabéns aos eleitos!

Nota metodológica: O “onze” foi elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 1170 minutos na Serie A 2019/20.

Confira também:

🔸 O XI da Premier League
🔸 O XI da Ligue 1
🔸 O XI da Bundeliga