O XI GoalPoint de Fevereiro 2022 da Liga Bwin ⭐

-

Fevereiro é o mês mais curto do ano, mas a acção foi muita e o “onze” GoalPoint Ratings deste período abarca quatro jornadas da Liga Bwin. No topo mais ou menos tudo na mesma, com o líder Porto a ter seis pontos de vantagem sobre o Sporting e dez sobre o Benfica, que aproveitou para se aproximar na ronda 24. “Dragões” e “águias” têm dois representantes cada, mas o grande destaque na equipa de Fevereiro é mesmo o “FamaShow”.

A excelente fase do Famalicão entre as jornadas 21 e 24, na qual venceu três vezes e só perdeu uma, precisamente na ronda 21 e em casa do campeão Sporting, promove a presença de três jogadores da equipa minhota, a mais representada. Repetentes em relação a Janeiro há dois nomes, mais do que habituados a estas andanças. Vamos aos detalhes, tendo em contra que este “onze” integra apenas jogadores que disputaram mais de 240 minutos no mês passado.

GoalPoint-Onze-Mês-Fevereiro-Liga-Bwin-202122-infog
Clique para ampliar
  • Paulo Victor (Marítimo) 6.71 – Um dos guarda-redes em maior destaque esta temporada na Liga Bwin. Em Fevereiro, o brasileiro do Marítimo voltou a estar em evidência e foi o melhor da posição, com o segundo número mais alto de defesas em termos absolutos (14) e médios (3,5 por 90 minutos), mas foi, de longe, o guardião com melhor percentagem de remates enquadrados defendidos, nada menos que 87,5%. Em relação às Expected Saves (xS), Paulo Victor evitou 2,8 golos (24,5%), um número relevante.
  • Ivo Rodrigues (Famalicão) 6.58 – E aqui está o primeiro de três jogadores do Famalicão. Ivo Rodrigues adaptou-se sem problemas à missão de fazer todo o corredor direito dos minhotos e foi o melhor lateral de Fevereiro. Entre jogadores da posição foi o que registou a média mais elevada de desarmes (4,1), de acções defensivas no meio-campo contrário e no terço intermédio (ambas 3,5) e no último terço (1,6), e a segunda de tentativas de drible (também 3,5).
  • João Basso (Arouca) 6.44 – O central do Arouca está a fazer uma excelente época, fugindo da irregularidade da sua equipa. Terceiro central em média de alívios por 90 minutos (5,8), ganhou 75% dos 3,3 duelos aéreos defensivos que disputou por 90 minutos, mas também teve peso no ataque, com um golo marcado. No passe o destaque vai para os 8,0 aproximativos, terceira melhor média.
  • Willyan Rocha (Portimonense) 6.87 – Uma dos habituais presenças nos “onzes”, que ainda assim andava um pouco afastado. Desta feita integra o “onze” como melhor central do mês passado, embora tenha jogado também a “trinco”. O brasileiro fez um golo e uma assistência nesta fase, foi o terceiro central em média de desarmes (3,1), o oitavo em intercepções (2,3) e o quarto em acções defensivas no primeiro terço (8,2).
  • Álex Grimaldo (Benfica) 6.57 – O lateral espanhol é um dos dois repetentes em relação a Janeiro e surge nos “onzes” do mês de 21/22 pela terceira vez. O benfiquista tem mantido uma aceitável regularidade, após adaptar-se às novas ideias de Nélson Veríssimo, de o utilizar um pouco mais por dentro. Em Fevereiro fez um golo e uma assistência, foi o lateral que mais passes para finalização fez em termos absolutos (10) e médios (2,6), e o segundo em dribles completos (6 em 9).

  • Pêpê Rodrigues (Famalicão) 6.44 – Na génese da boa fase do Famalicão está também Pêpê. O médio-defensivo marcou um golo em Fevereiro, mas é a sua capacidade de dar equilíbrio ao meio-campo que lhe garantiu a presença nesta equipa, graças a uma sequência de belas exibições. Destaque para os 87,3% de eficácia de passe, sexto valor mais alto entre médios, os 92,6% de eficácia nas entregas para o terço intermédio (segundo valor), mas também os 1,8 passes para finalização (4º).
  • Vitinha Ferreira (Porto) 6.91 – O segundo repetente em relação a Janeiro. O médio portista mantém uma qualidade e uma regularidade extraordinárias e em Fevereiro foi o jogador com maior média de acções com bola por 90 minutos, nada menos que 92,6. Além de um golo marcado, Vitinha completou 88% dos passes realizados (5º entre médios), liderou nos centrocampistas em conduções (4,1), conduções aproximativas (2,4), e ainda registou 2,9 desarmes por 90 minutos, 1,8 intercepções e 10,9 recuperações de posse (máximo).

  • João Carlos Teixeira (Famalicão) 6.97 – O terceiro jogador do Famalicão. Contratado em Janeiro ao Feyenoord, o criativo chegou, viu e venceu, deixando uma marca forte na produção da equipa. Nas quatro jornadas em análise fez dois golos e duas assistências, foi o sexto jogador que mais rematou por 90 minutos (3,3), o terceiro em disparos em bola corrida (2,7), o segundo em enquadrados (2,1), registando acção directa em 57,1% dos golos marcados pelo Famalicão consigo em campo.
  • Ricardo Horta (Braga) 7.20 – Uma das figuras deste campeonato. O atacante português do Braga está, provavelmente, a realizar a sua melhor época de sempre e surge pela segunda vez em equipas do mês esta temporada, apresentando desta feita o segundo melhor rating. Em Fevereiro foi um dos segundos melhores marcadores, com três tentos, fez uma assistência, e assinou o máximo absoluto de passes para finalização (18) e de ocasiões flagrantes criadas (4).

  • Mehdi Taremi (Porto) 6.93 – O iraniano atravessou um período de seca concretizadora, mas em Fevereiro a sua influência no ataque portista foi fundamental, compreensivelmente ainda mais pela saída de Luis Díaz, em Janeiro. Neste mês findo fez um golo e aproveitou o seu posicionamento, muitas vezes nas costas de Evanilson e até na ala esquerda, para ser, a par de Fábio Vieira, o jogador que mais assistências realizou. Apesar da mobilidade, terminou o mês com o máximo de acções com bola nas áreas contrárias (30) e foi, a par de Petar Musa, o jogador com mais remates feitos (18) e mais disparos de bola corrida (14).

Menções honrosas

Entre os melhores neste período, mas que, por uma ou outra razão, não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Adel Taarabt (Benfica) 7.12 – O médio marroquino ressurgiu com grande energia nos últimos jogos e estaria neste “onze” caso tivesse jogado mais de 240 minutos – fez 185.
  • Pablo Sarabia (Sporting) 7.06 – O espanhol é o jogador leonino em melhor forma, fez dois golos e uma assistência e fica de fora porque jogou apenas 215 minutos em Fevereiro.
  • Fábio Vieira (Porto) 6.86 – A maior fonte de fantasia e inspiração no Porto, após a saída de Luis Díaz, Fábio fez um golo e três assistências no mês passado, mas ficou tapado por outros ratings mais altos.
  • Gustavo Sauer (Boavista) 6.82 – O brasileiro dos “axadrezados” tem sido um dos culpados pela boa fase da equipa de Petit, com um golo e duas assistências, mas sofre do mesmo “mal” que Fábio Vieira, tapado por melhores desempenhos.
  • Adrián Marín (Famalicão) 6.52 – O lateral do “Fama” ficou a escassas seis centésimas de desalojar Grimaldo e tornar-se no quarto jogador dos minhotos neste “onze”. Em Fevereiro fez um golo e duas assistências.
  • Nino Galović (Arouca) 6.34 – O central croata tem feito uma bela dupla com João Basso no Arouca, mas o seu colega, tal como Willyan, impedem a sua presença na equipa.

Parabéns aos eleitos!
Descobre os anteriores “onzes” do mês GoalPoint neste link.

Nota metodológica: O “onze” foi elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 240 minutos na Liga NOS, no período em questão.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.