O XI GoalPoint de Janeiro 2022 da Liga Bwin ⭐

-

Janeiro terminou com o Porto a fugir à concorrência, o Sporting a vacilar com as suas primeiras duas derrotas na Liga, e o Benfica a cair a pique. Não espanta por isso que, como tem sido hábito esta temporada, os “dragões” sejam o emblema mais representado no “onze” GoalPoint Ratings do mês findo, com quatro elementos, incluindo o MVP. Ainda assim, os “encarnados” colocam dois nomes, tantos quanto o espectacular Gil Vicente, enquanto os “leões” ficaram, desda feita, de fora.

Tal como em Dezembro, este XI é composto apenas por jogadores que disputaram mais de 240 minutos nas quatro jornadas em análise, da 17ª à 20ª. Houve três repetentes em relação à equipa anterior. Vamos a eles?

GoalPoint-Onze-Mês-Janeiro-Liga-Bwin-202122-infog
Clique para ampliar
  • André Ferreira (P. Ferreira) 7.32 – Não nos lembramos de um fenómeno das redes, desde que há GoalPoint, como é o de André Ferreira. O guardião de 25 anos, formado no Benfica, viveu numa certa obscuridade até aqui, tendo mesmo passado as duas últimas épocas no banco do Santa Clara. Esta temporada, no Paços de Ferreira, explodiu, realizando exibições estupendas, umas atrás das outras. Em Janeiro repetiu o feito de Dezembro e é o dono da baliza do XI do mês, sendo sempre o melhor do Paços nas três jornadas que disputou – ficou de fora na 19ª. Segundo em defesas por 90 minutos (5,0) neste período, liderou na percentagem de remates enquadrados defendidos (88,2%), nos golos evitados em relação às Expected Saves (3,2) e na percentagem de tentos evitados (26,9). Incrível.

  • Zé Carlos (Gil Vicente) 6.14 – O lateral-direito do Gil Vicente está a acompanhar a época brilhante do emblema de Barcelos. Em Janeiro registou excelentes 2,1 desarmes por 90 minutos, foi o segundo lateral em tentativas de drible (3,3), o terceiro em eficazes (1,8), o quarto em acções defensivas no meio-campo intermédio (2,3) e teve excelente eficácia de cruzamento (21,4% numa média de 3,6). Nenhum outro lateral teve média mais elevada de acções com bola (94,3).
  • Matheus Costa (Marítimo) 6.68 – Os insulares estão a realizar uma excelente época desde que Vasco Seabra chegou ao clube e o brasileiro foi um dos beneficiados, com exibições que fizeram dele o melhor central de Janeiro. Autor de um golo, foi o jogador da posição com melhor média de desarmes (3,3), o segundo nos alívios de cabeça (2,0) e o que registou mais acções defensivas no primeiro terço (10,3).

  • Nicolás Otamendi (Benfica) 6.21 – O argentino é experiente, tem uma entrega ao jogo inatacável e nunca desanima, pelo que não espanta que tenha sido dos poucos benfiquistas a fugir ao naufrágio colectivo. Liderou Janeiro na média de intercepções entre centrais, com 3,3, foi o terceiro em acções defensivas no meio-campo contrário (1,3) , o quarto no terço intermédio e o segundo no último terço (0,5). Entre todas as posições foi o jogador com maior média de acções com bola (98,3).
  • Álex Grimaldo (Benfica) 6.91 – O melhor lateral de Janeiro, conseguindo fugir ao mau momento que o Benfica está a atravessar. O espanhol tem mantido uma boa regularidade, tendo feito um golo e uma assistência neste período. E não espanta, pois foi o lateral com melhor média de passes para finalização (3,3) e de ocasiões flagrantes criadas (0,8). Segundo da posição em eficácia de passe (88,3%), foi também o terceiro em remates de bola corrida (1,3).
  • Vitinha Ferreira (Porto) 6.78 – O fenómeno do meio-campo portista integra pela terceira vez consecutiva os “onzes” do mês. Pendular, inteligente, tacticamente perfeito, ainda não lhe vimos uma má exibição, espalhando qualidade a defender, a construir e a apoiar o ataque. Entre médios foi o que mais acções com bola registou em média (93,6, terceiro no global de posições), liderou nos passes de ruptura (0,9), na eficácia global de passe (91,4%), foi segundo nos passes aproximativos (6,0), terceiro nas conduções (2,7), bateu a concorrência dos médios nas intercepções (2,1) e nas acções defensivas no meio-campo contrário (2,4). Até cansa.

  • Pedrinho Moreira (Gil Vicente) 7.74 – Que grande época está a fazer o médio do Gil Vicente que, aos 29 anos, atingiu o auge da carreira. Pedrinho é o cérebro de todo o futebol dos “galos”, em praticamente todos os momentos, o verdadeiro “maestro” da equipa. Segundo médio com mais acções com bola (85,6), liderou em passes aproximativos (7,6), em passes para finalização (3,3, sendo 2,3 de bola corrida, segundo valor mais alto) e em ocasiões flagrantes criadas (1,0). Nenhum jogador, de todas as posições, registou melhor média de recuperações de posse (10,7). Pedrinho terminou com o segundo melhor rating acumulado de Janeiro.

  • Ricardinho (Santa Clara) 7.07 – O jovem extremo de 23 anos dos insulares está a “explodir” aproveitando o facto de estar a ser utilizado de forma bem mais regular. Autor de três golos em quatro jogos em Janeiro, incluindo um ao campeão Sporting, só o portista Evanilson marcou mais neste período, tendo convertido extraordinários 60% dos remates que fez. Ricardinho destaca-se pela velocidade, imprevisibilidade e drible, tendo tentado o gesto numa média de 4,8 vezes por 90 minutos, tendo sido o terceiro extremo em dribles completos (3,2).

  • Otávio (Porto) 7.59 – Díaz pode ter sido o “extravagante” da formação portista, mas a alma da equipa é outra. Otávio está a realizar, provavelmente, a sua melhor temporada de dragão ao peito, não só porque manteve as suas qualidades tácticas e de trabalho colectivo, mas também porque juntou a isso uma efectividade ofensiva invejável, que lhe permite ter três golos marcados e dez assistências nesta Liga. Em Janeiro marcou uma vez e fez três passes para golo, dois deles na última ronda (a 20ª), foi, entre alas, o que registou mais acções com bola (média de 78), ocasiões flagrantes criadas (1,7) e juntou a isso o máximo de desarmes entre extremos (3,7), de intercepções e acções defensivas no meio-campo contrário (4,7, este o valor mais alto entre todas as posições). Incrível.
  • Evanilson (Porto) 6.83 – A fechar o “onze”, mais um portista. O brasileiro está a atravessar o melhor período desde que chegou aos “dragões” e é o dono da posição de ponta-de-lança, com destaque para o “hat-trick” conseguido na visita à Belenenses SAD. Evanilson foi o melhor marcador da Liga em Janeiro, com quatro golos, e registou a melhor média de remates enquadrados (2,5), um verdadeiro perigo à solta, dada a sua grande mobilidade, mas também capacidade física.

Menções honrosas

Entre os melhores neste período, mas que, por uma ou outra razão, não couberam neste “onze”, estão estes craques:

  • Fábio Vieira (Porto) 7.67 – Que grande galo! Fábio Vieira está em grande forma, é uma das figuras do Porto, foi o jogador que mais assistências fez neste período (4), mas fica de fora por cinco minutos de utilização (236).
  • Paulo Victor (Marítimo) 6.76 – Muito bem o guardião brasileiro do Marítimo, que conseguiu o feito de realizar uma assistência em Janeiro e igualar o máximo absoluto de defesas (17). Mas com André Ferreira pela frente fica difícil.
  • Pablo Sarabia (Sporting) 6.32 – Uma das figuras do “leão” esta temporada, o espanhol é de uma regularidade assinalável. Fez dois golos e duas assistências em Janeiro, mas a concorrência foi demasiado forte.
  • Bruno Costa (Porto) 6.28 – A adaptação do médio a lateral-direito correu muito bem, mas os 207 minutos foram curtos para poder integrar as contas deste “onze”.
  • Mohamed Aïdara (Vizela) 6.12 – O central do Vizela foi uma das agradáveis surpresas deste mês findo, no qual fez um golo e foi um esteio da equipa, com 70% de duelos aéreos defensivos ganhos numa média de 3,3. Matheus Costa e Otamendi foram, ainda assim, melhores.

Parabéns aos eleitos!
Descobre os anteriores “onzes” do mês GoalPoint neste link.

Nota metodológica: O “onze” foi elaborado de acordo com o GoalPoint Rating médio dos jogadores que cumpriram mais de 240 minutos na Liga NOS, no período em questão.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.