O “onze” do mês de Novembro GoalPoint Ratings está aí, e com alguns nomes potencialmente surpreendentes. No entanto, o melhor deste período – que compreende as duas jornadas disputadas em Novembro e a 12ª, jogada no início de Dezembro, para totalizarmos três rondas (mínimo) – é um nome conhecido. Quase já enjoa falarmos tanto de Pizzi, mas o médio do Benfica obriga-nos a tal, mercê de uma sequência de exibições de grande nível. Será para continuar?

Entretanto, destaque para a influência insular nos sectores mais recuados (guarda-redes e central), a persistência de Nélson Semedo no “onze” do mês, a aparente consolidação de Martin Zeegelaar na defesa leonina e dois nomes que poucos esperavam ver na lista: Pedrinho e Daniel Podence. Na frente, uma “fortaleza voadora”.

Confira os 11 jogadores que mais contribuíram para o rendimento estatístico das suas equipas nas últimas três jornadas:

  • goalpoint-ratings-xi-novembro-2016-liga-nos-201617-infog
    Clique para ampliar

    Rui Silva (Nacional) 6.58 – O Nacional está, de novo, a viver um arranque de temporada complicado, ao ponto de ocupar o último lugar na Liga. Mas não será por culpa do seu guarda-redes, Rui Silva. O jovem de 22 anos sofreu seis golos nestas três jornadas, mas teve de lidar com 22 remates enquadrados. Destes defendeu 16 (o máximo neste período), 11 deles dentro da sua grande área.

  • Nélson Semedo (Benfica) 6.28 – O lateral benfiquista repete a presença do mês passado. Nelsinho volta a ser o melhor na posição graças ao muito que fez em termos ofensivos. Realizou uma assistência e fez seis passes para ocasião (o máximo entre os defesas, a par de Rafa Soares, do Rio Ave).
  • Coates (Sporting) 6.50 – O uruguaio voltou a estar em evidência. Fez uma assistência para golo, ante o Arouca, mas é na defesa que faz a diferença. Teve sucesso em oito dos dez desarmes que tentou e foi um dos líderes nas recuperações, com 24, ganhou 66% dos duelos e somou dez intercepções. Acima de tudo, manteve uma consistência e regularidade que o mantêm praticamente a salvo da crítica.
  • Maurício (Marítimo) 6.43 – O Marítimo conseguiu o feito de ser a primeira equipa a bater o campeão Benfica na presente Liga NOS e Maurício foi um dos esteios da equipa neste período, no qual os insulares bateram também o Braga e empataram com o surpreendente Chaves. O central marcou um golo ao Benfica (o da vitória) e ajudou a equipa a sofrer apenas um em três jogos.
  • Marvin Zeegelaar (Sporting) 6.26 – O holandês parece estar a agarrar o lugar na esquerda da defesa leonina, muito por culpa das últimas exibições. Destacou-se no ataque neste período, com cinco passes para ocasião (só Nelsinho e Rafa Soares conseguiram mais entre os defesas), mas também esteve sólido a defender, com 75% de desarmes completos (com manutenção da posse).
  • Pedrinho (P. Ferreira) 6.91 – O médio apresenta números interessantes para um jogador fora do ecossistema dos “grandes”. O Paços continua irregular, mas neste mês Pedrinho marcou um golo, fez seis remates em três jogos (nada mau para um médio), cinco passes para ocasião e podemos dizer que o jogo do Paços passa muito pelos seus pés – 175 toques, 18 recuperações.
  • Óliver Torres (FC Porto) 7.04 – O espanhol chegou quase entre a neblina como Dom Sebastião, demorou a interiorizar as ideias de NES, mas está finalmente a produzir o seu futebol. Nestes três jogos fez sete passes para ocasião (só Pizzi, 11, Salvador Agra, 9, e Corona, 8, somaram mais), registou 91% de passes certos e, talvez com surpresa, foi o terceiro médio com mais recuperações de bola, 28, batido apenas por Danilo Pereira (36) e Diogo Amado (29).
  • Daniel Podence (Moreirense) 7.01 – Talvez o nome mais surpreendente deste “onze”. O pequeno extremo do Moreirense, emprestado pelo Sporting, marcou dois golos em três jogos (em seis remates, quatro enquadrados), fez uma assistência, é o avançado com mais passes para ocasião nesta fase (nove) e está sempre em jogo – 127 toques na bola. Na 12ª jornada ficou a uma décima de um rating perfeito de “10”.
  • Gil Dias (Rio Ave) 6.65 – O extremo emprestado ao Rio Ave pelo Mónaco já havia brilhado contra o Sporting, mas voltou a fazê-lo neste mês. Jogador há muito destacado pelo GoalPoint, Gil Dias fez dois golos em cinco remates, três passes para ocasião e, mais espantoso, registou 16 recuperações de bola.
  • Bas Dost (Sporting) 6.50 – O avançado holandês foi contratado para fazer esquecer Slimani. Talvez seja uma tarefa ingrata, mas Dost está a deixar a sua marca pessoal no emblema leonino. É o segundo melhor marcador da Liga NOS e, nesta fase, marcou três golos, dois deles de cabeça, tudo isto em sete remates, quatro deles enquadrados. É, sem dúvida, um homem de área, onde tem números de respeito e quase imbatíveis.

Parabéns aos eleitos!

Clique para conferir o melhor XI GoalPoint Ratings Liga NOS de:

Nota metodológica: “Onze” elaborado tendo em conta o GoalPoint Rating médio de todos os jogadores que cumpriram um mínimo de 180 minutos jogados na Liga NOS.