Quando Fernando Santos prometeu só regressar a Portugal muitos sorriram. Eu incluído. Mas a verdade é que quem se ri agora é um homem que nunca ficará conhecido pelas decisões de génio ou por um qualquer estilo de futebol muito próprio, ao longo da sua carreira mas que pode muito bem vir a ficar conhecido por algo que nenhum outro treinador português atingiu. E merece-o.

O futebol não é bonito. Pior que isso não parece sequer obedecer a uma ideia de jogo tão definida como alguns querem agora fazer crer. Quem por exemplo comrpeender a razão dos lançamentos longos para Ronaldo com homens como Adrien, João Mário ou Renato para conduzir a bola estará um passo à minha frente (o que, em boa verdade, não é difícil).

“Não será esta a hora de aproveitar a oportunidade para simplemente vencer, de modo a conquistarmos um hábito inerente aos “grandes” que, após as vitórias, decidem então como querem repetir a proeza?”

Alguns até acreditam agora que o terceiro lugar na fase de grupos foi uma escolha estratégica, quando todos sabemos que caiu no pé de um islandês, nos derradeiros minutos. A fórmula não é bonita? Não, mas a verdade é que… resulta.

O debate entre “ganhar” e “ganhar bonito” sempre existiu e sempre existirá no futebol. Mas no nosso caso essa discussão faria mais sentido se… alguma vez tivessemos ganho alguma coisa, a nível internacional. Quantas vezes não vimos a Itália levantar “canecos” assim?

Como se comparava o Brasil de 94 (vencedor) com o de 82 (um verdadeiro “Disneyworld” para uma certa visão do futebol, que partilho, mas que não venceu). A Italia de 82 era mais agradável à vista que Portugal de Santos? Não será esta a hora de aproveitarmos a oportunidade para simplemente vencer, de modo a conquistarmos um hábito inerente aos “grandes” que, após as vitórias, decidem então como querem repetir a proeza?

Portugal atinge a final com uma abordagem que confunde o adepto português. Alguns até se aborrecem, como eu me aborreci, durante os primeiros 45 minutos frente a Gales. Mas se, quando soar o apito final no próximo domingo, Cristiano Ronaldo erguer finalmente um troféu histórico para o futebol português o que há a dizer senão… parabéns e obrigado engenheiro?