Ninguém mais do que Cristiano Ronaldo sentirá a importância do momento. Pode-se apreciar mais o Ronaldo mais artístico e menos vitaminado de Manchester (como eu) ou a máquina física e goleadora de Madrid mas uma coisa é certa: suceda o que suceder Cristiano já tem lugar garantido na galeria dos grandes heróis da História do Futebol. Mas pode subir ainda mais alto, já amanhã.

Apesar do estatuto salvaguardado a fome de Cristiano certamente não está saciada e amanhã o seu apetite será imenso pois o momento é único. CR7 pode não só liderar a primeira Selecção conquistadora do futebol português como cimentar uma candidatura a nova “Bola de Ouro”, tenha lá isso a importância que tiver, mas para ele sempre teve alguma).

portugal-país-de-gales-euro-2016-goalpoint-cristiano-ronaldo
Os números de Cristiano frente a Gales (clique para ampliar)

Nos Estados Unidos Leo Messi, outro jogador inesquecível, terminou de joelhos, após protagonizar um torneio muito positivo. Cristiano tem a oportunidade de não só atingir um objectivo que Messi nunca conquistou (levar a sua Selecção à vitória) como fazê-lo contra (im)probabilidades bem mais surpreendentes.

Não faço parte de nenhum os “fan clubs“. Concordo com o ponto de vista de quem defende que temos muita sorte em coexistir e testemunhar o futebol de dois “monstros” futebolísticos incomparáveis. Mas uma coisa é certa: Cristiano tem uma oportunidade irrepetível de ascender ao patamar de “semideus da bola”, um Olimpo onde se senta outra lenda, para mim a maior, que também carregou uma equipa internacional às costas rumo à glória: Diego Armando Maradona.

PS – Não alinhando nos ataques xenófobos relativamente à selecção francesa não posso deixar de considerar profundamente infeliz a apropriação despudorada que os gauleses fizeram do “festejo viking” Islandês. Uma coisa é viver e promover uma sociedade multicultural, outra é o plágio descarado, infantil e despersonalizado. Ridiculo.