Os 10 melhores ratings lusos nas Ligas europeias 19/20

-

Fim de época para as principais Ligas europeias. Após o balanço que realizámos à Liga NOS, com os 33 melhores ratings da prova, os 25 tops individuais juntamente com os destaques de Jogador do Ano, Jogador Revelação e Melhor GoalPoint Rating, é hora de olhar lá para fora, mas sempre de olho nos jogadores portugueses. Tal como fizemos em Outubro último, já em 2019/20, voltamos a olhar para os dez jogadores lusos com melhores ratings e desempenhos nas principais Ligas do “velho continente”.

Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França. Os respectivos campeonatos têm craques portugueses a dar cartas e, comparando o que se passava em Outubro com o desfecho destas provas, há diversos jogadores que mantiveram a bitola, e outros que a melhoraram, pelo que mantém os seus lugares neste top – composto por jogadores que disputaram pelo menos metade dos minutos possíveis nas respectivas competições. Mas há também protagonistas novos que vale a pena analisar, à luz dos seus desempenhos objectivos. Vamos a eles.

Do 10º ao 6º melhor rating

  • Na Liga espanhola (e ao serviço do Granada), somar o quarto rating mais elevado entre guardiões não é para todos. Mas Rui Silva, que está na sua quarta temporada no clube, conseguiu-o, e em grande estilo. É certo que foram 42 golos encaixados em 35 jogos, mas também 12 partidas sem sofrer golos.
  • Kévin Rodrigues tem sido associado a emblemas lusos, mas tem-se mantido por Espanha e registou o melhor rating luso na La Liga. Emprestado pela Real Sociedad ao Leganés, o médio/lateral-esquerdo fez um golo em 27 jogos, foi o quinto com mais cruzamentos de bola corrida (3,9 por 90m) e esteve muito bem no desarme (2,6).

  • Em Outubro tinha o segundo melhor rating dos portugueses nas principais Ligas europeias e volta a surgir entre os destaques. Miguel Veloso surge aqui com a oitava melhor “nota” lusa lá fora, e voltou a ser fundamental no Verona. Destaque para três golos e quatro assistências, os 1,9 passes para finalização por jogo e os 81% de eficácia de passe no meio-campo adversário.
  • E agora uma dupla do meio-campo do Wolverhampton. Rúben Neves, o homem dos golos bonitos, teve a quarta maior média de distância de remate (26,3) e foi o terceiro jogador com mais remates de fora da área (1,5), e destacou-se com impressionantes 9,0 recuperações de posse.

  • João Moutinho é como um relógio suíço. Época após época mantém a bitola alta e registou o sexto melhor rating luso na época. As seis assistências são o ponto alto estatístico, mas os 2,2 passes para finalização e os 82% de eficácia de passe no meio-campo adversário não são de ignorar.

Do 5º ao 2º melhor

  • O campeonato gaulês terminou sem que a 28ª jornada fosse sequer concluída, mas a Ligue 1 teve campeão, o Paris Saint-Germain. No que a portugueses diz respeito, Renato Sanches brilhou, sendo o quinto melhor português nas principais Ligas europeias. Foram três golos e uma assistência, com 1,8 remates por jogo, 2,1 passes para finalização e 3,0 dribles eficazes.
  • Não nos cansamos de falar de Ricardo Pereira. Uma lesão grave interrompeu a parte final da época do ex-Porto, mas ainda assim terminou como lateral com mais desarmes por jogo (4,3). E ainda fez três golos e duas assistências.
  • Damos agora um salto à Bundesliga para falarmos de Raphaël Guerreiro. O esquerdino tanto joga a lateral, como a médio-esquerdo mais defensivo. Seja como for, preenche todo o flanco esquerdo do Dortmund, tendo marcado oito golos e feito duas assistências e conseguido o 16º rating da Liga alemã.

  • E o segundo rating mais elevado entre os “tugas” lá fora esta época é de Bernardo Silva, que em Outubro liderava. Pep Guardiola penitenciou-se pela “temporada menos conseguida” de Bernardo, mas fazer seis golos e sete assistências na Premier League, com uma média de 2,3 remates por jogo, 2,3 passes para finalização e 68% de eficácia no drible não é para todos.

E o o “Rei” da diáspora é…

GoalPoint-Cristiano_Ronaldo_2018_vs_Cristiano_Ronaldo_2019-infog
Clique para ampliar

A grande figura entre os lusos nas principais Ligas europeias acabou por ser a grande figura da “bola” portuguesa. Cristiano Ronaldo voltou a superar-se e, na sua segunda época na “vecchia signora”, marcou mais sete golos em todas as competições (35-28) do que em 2018/19, e chegou aos 31 tentos na Serie A, mais dez que há um ano, e somente com mais dois jogos disputados. Registou mesmo o GoalPoint Rating mais elevado da Liga transalpina, com extraordinários 7.07.

Ronaldo foi o primeiro jogador a ultrapassar os 50 golos em três das principais Ligas europeias (inglesa, espanhola e italiana) e, no que toca à Liga italiana, foi mesmo o mais rápido a atingir a meia centena de tentos. As estatísticas mostram o porquê. O craque luso foi o jogador com uma média mais elevada de remates por jogo, com 6,4, tendo também registado mais enquadrados que todos os outros (2,5), algo que ajuda aos 59% de conversão de ocasiões flagrantes.

A questão que se coloca é: com 35 anos de idade e números destes, até onde poderá ir o avançado português na sua insaciável fome por novos recordes? A outra questão que o leitor coloca, e bem é: e o Bruno Fernandes? Uma pergunta pertinente.

GoalPoint-English-Premier-League-2018-Bruno-Fernandes-infog
Clique para ampliar

O craque do Manchester United não entra neste Top 10 por uma única razão, não cumpriu os requisitos de minutos mínimos, que no caso da Premier League era de 1710. Senão surgiria em segundo nesta nossa lista. O ex-Sporting chegou, viu e venceu em Old Trafford, merecendo assim uma menção honrosa, tendo feito 1162 minutos, distribuídos por 14 jogos, nos quais impressionou com oito golos e sete assistências. Pelo caminho uma variedade de prémios individuais, entre eles três de Jogador do Mês, da Premier League e da Associação de Jogadores Profissionais (PFA). Impressionante.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.