As principais Ligas do futebol europeu chegaram ao fim. Títulos e objectivos colectivos à parte, muitos foram os jovens que mostraram qualidade acima da média ao longo de uma época longa e exigente, na qual a regularidade e consistência são muito importantes – e ajudam a definir quais os craques estão mais preparados para as exigências ao mais alto nível.

Já na primeira metade da temporada havíamos olhado para os jogadores Sub-21 que estavam a dar cartas nos seus clubes no arranque das provas, e agora, finda a temporada, voltamos a fazê-lo – atletas que nasceram a partir de 1 de Janeiro de 1998, com um mínimo de 1531 minutos de utilização. Assim, elaborámos um “top 10”, com base no desempenho objectivo reflectido nos GoalPoint Ratings, dos jovens que em 2018/19 brilharam acima de todos os outros no seu escalão etário nas principais Ligas europeias – Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França e Portugal. Há alguns nomes que confirmam as boas indicações dadas no arranque da época, e há dois da Liga NOS que integram este lote. Um deles ocupa mesmo o pódio. Confira.

Um lote de talento polivalente

10. Óscar Rodríguez (Leganés)

GoalPoint-Spanish-La-Liga-2018-Óscar-Rodríguez-infog
Clique para ampliar

O médio, emprestado pelo Real Madrid, tornou-se num dos principais nomes do Leganés, que conseguiu a manutenção na La Liga espanhola. Médio-centro por excelência, mas que pode actuar também como médio-ofensivo, Óscar fez quatro golos e três assistências, mostrando boa apetência pelo remate.

Entre os jogadores com mais de 1530 minutos, foi o terceiro médio-centro com média mais elevada de remates por jogo (2,2) na Liga espanhola, cerca de metade deles de fora da área. E foi o oitavo da sua posição a realizar mais passes para finalização, nada menos que 1,7 – 1,5 deles na grande área contrária. Um “patrão” a manter debaixo de olho.

9. Ibrahima Konaté (Leipzig)

GoalPoint-German-Bundesliga-2018-Ibrahima-Konaté-infog
Clique para ampliar

O jovem francês do Leipzig acumulou o oitavo melhor GoalPoint Rating da temporada na Bundesliga. Acabado de fazer 20 anos, foi um titular indiscutível da equipa da Red Bull, destacando-se sobretudo no futebol aéreo: o seu 1,92m de altura permitiu-lhe vencer 72% dos duelos aéreos defensivos em que participou, o sexto valor mais alto entre todos os centrais na Liga alemã – numa média de 4,0 duelos por jogo, quarto mais elevado.

No final registou ainda apreciáveis 2,1 intercepções por jogo, nono entre centrais, não mostrando qualquer tipo de problema para afastar o perigo da forma mais pragmática possível – 4,5 alívios por 90. Um jogador com números muito interessantes e com boa margem de progressão.

8. Houssem Aouar (Olympique Lyon)

GoalPoint-French-Ligue-1-2018-Houssem-Aouar-infog
Clique para ampliar

Um dos jogadores que em Novembro já destacávamos como estando a ter um excelente arranque de época, na altura com cinco golos e uma assistência. O médio-centro do Lyon não marcou com tanta regularidade a partir daí, terminando com sete tentos, mas melhorou a forma como serviu os companheiros de equipa, com um total de sete assistências.

No global manteve a apetência pelo remate e para os passes para finalização, bem como os seus números defensivos, mas não se pode dizer que tenha “explodido”, sendo que a consistência foi um dos seus principais atributos ao longo da época. Ainda com 20 anos, a sua polivalência e boa leitura de jogo podem levá-lo a altos voos.

7. Kai Havertz (Leverkusen)

GoalPoint-German-Bundesliga-2018-Kai-Havertz-infog
Clique para ampliar

O alemão de apenas 19 anos voltou a realizar uma excelente temporada pelo Leverkusen, a terceira na equipa principal – é regularmente utilizado desde 2016/17. Um polivalente, que pode actuar como médio-ofensivo, centro ou extremo-direito, marcou nada menos que 17 golos esta época na Bundesliga – com mais três assistências no registo -, muito por culpa da sua facilidade de remate, que o torna no segundo médio-ofensivo da Liga alemã 2018/19 com mais disparos por jogo (2,7).

Com 50% de ocasiões flagrantes convertidas, mas somente 1,1 passes para finalização por 90 minutos (número baixo para um jogador na sua posição), Kai Havertz está a formar-se cada vez mais como um finalizador por excelência, mais do que um armador de jogo.

6. Manuel Locatelli (Sassuolo)

GoalPoint-Italian-Serie-A-2018-Manuel-Locatelli-infog
Clique para ampliar

De Itália tarda em aparecer uma fornada de jovens talentos, mas até que tal aconteça, Manuel Locatelli tem feito o seu trabalho pelos jogadores transalpinos. A qualidade de passe deste médio-centro, que pode também actuar a médio-defensivo, é uma das suas imagens de marca, tendo terminado a época com 87% entregas certas, 84% no meio-campo adversário.

Para além disso, entre os médios-centro da Serie A foi o terceiro com um maior registo de passes para finalização por jogo (2,0), algo que contribuiu para as quatro assistências ao serviço do Sassuolo, onde se encontra emprestado pelo Milan – jogou três temporadas na formação principal dos “rossoneri”.

5. Trent Alexander-Arnold (Liverpool)

GoalPoint-English-Premier-League-2018-Trent-Alexander-Arnold-infog
Clique para ampliar

As exibições deste jovem lateral-direito pelo Liverpool correm mundo. A prestação frente ao Barcelona na épica recuperação dos “reds”, nas meias-finais da Champions League, é, provavelmente, a que ficou na retina – em especial o pontapé de canto para o 4-0 -, mas Trent Alexander-Arnold realizou uma época extraordinária também na Premier League.

Ao todo, o defesa de 20 anos fez 12 assistências na Liga inglesa, apenas atrás das 15 de Eden Hazard (Chelsea) e das 14 de Ryan Fraser (Bournemouth) – sendo o lateral com mais passes para golo em Inglaterra. Para além disso, foi o quarto lateral com mais passes para finalização (1,8), terceiro com mais cruzamentos (4,7) e ainda registou 25% de eficácia nestes lances, um número acima da média.

4. Éder Militão (FC Porto)

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Éder-Militão-infog
Clique para ampliar

Uma das revelações da Liga NOS e do futebol europeu. O brasileiro, que chegou no início da temporada ao Porto oriundo do São Paulo, pegou de estaca a central nos “dragões”, com exibições de grande nível, transportadas também para a lateral-direita, posição que passou a ocupar com regularidade com a chegada de Pepe. Uma época de nível que levou o Real Madrid a pagar €50M para garantir o jovem de 21 anos.

Com o sétimo rating mais elevado da Liga portuguesa (o mais alto entre defesas), Militão registou a quinta mais alta percentagem de eficácia em duelos aéreos defensivos entre centrais na Liga, apresentando números muito consistentes também ao nível de desarmes e intercepções. Um caso sério no futebol internacional.

Na próxima página: o pódio com um português