Os analytics dos advers√°rios do Benfica na Champions 22/23 ūü¶Ö

-

Artigo originalmente publicado a 6 de Setembro de 2022

O Benfica recebe esta quarta-feira o PSG, na terceira jornada do Grupo H da Liga dos Campe√Ķes, ap√≥s vencer nas duas primeiras jornadas, a mais sensacional em casa da Juventus. Um agrupamento de reencontros com ex-jogadores (Renato Sanches e Di Mar√≠a) e ex-rivais (Vitinha e Nuno Mendes) e que n√£o √© nada simples para as “√°guias”, pois pela frente ter√° o milion√°rio emblema gaul√™s e as suas estrelas “gal√°cticas”, al√©m da Juve e dos israelitas do Maccabi Haifa, os quais os “encarnados” bateram na estreia por 2-0.

Em seguida olhamos para os advers√°rios do emblema da Luz, os analytics e as figuras das tr√™s forma√ß√Ķes. Acompanhe-nos.

Paris Saint-Germain, a constelação de estrelas

GoalPoint-Nantes-Paris-SG-French-Ligue-1-202223-Ratings

N√£o haver√° muito a contar sobre o “tubar√£o” franc√™s que a maioria dos adeptos de futebol conhece muito bem. Cr√≥nico campe√£o gaul√™s – a n√£o ser quando aparece um Lille um pouco do nada -, o Paris Saint-Germain √© uma das mais fortes forma√ß√Ķes do mundo, com um plantel repleto de estrelas que, na Ligue 1, faz “gato-sapato” de quase todos os advers√°rios, estando num n√≠vel muito acima dos demais. E este ano, com Christophe Galtier, promete fazer o mesmo na Champions League.

No campeonato francês é, naturalmente, líder à sexta jornada, com extraordinários 24 golos marcados, ainda que com Expected Goals um pouco abaixo (16,8, máximo na Ligue 1), ainda assim, comparando com os da Juventus, é um cenário muito diferente.

[ Da esquerda para a direita: Remates/xG, flagrantes criadas, dribles e condu√ß√Ķes aproximativas ]

O PSG √© tamb√©m a equipa mais rematadora (111), a que criou mais ocasi√Ķes flagrantes (25), a segunda em dribles tentados (167) e a primeira em completos (83), com uma enorme diferen√ßa no √ļltimo ter√ßo (42 para 27 do segundo, o Angers) – a azul, no mapa, os eficazes – e, comprovado pelo mapa da direita, tem no flanco esquerdo, onde caem muitas vezes Mbapp√© e Neymar, o corredor predilecto para conduzirem a bola para o ataque. Algo a ter em aten√ß√£o pelas “√°guias”.

Craques e mais craques

Só os GoalPoint Ratings deste trio assustam. Lionel Messi já leva três golos e seis assistências em seis jogos, com médias de remates só batidas por Mbappé, excelente nos passes para finalização e verdadeiramente imbatível nos dribles, tentados e eficazes. A seguir surge Neymar, que parece apostado em realizar uma das melhores temporadas desde que está em França, com incríveis sete golos e seis assistências em apenas seis jornadas, e finalmente Mbappé, com sete tentos, menor fulgor no passe e no drible, mas imprevisível.

Juventus, uma “vecchia” inc√≥gnita

[ Na √ļltima jornada da Serie A, a Juventus empatou em casa da Fiorentina ]

GoalPoint-Fiorentina-Juventus-Italian-Serie-A-202223-Ratings

A “vecchia signora” tarda em ressurgir com a for√ßa que lhe permitiu vencer v√°rias Ligas italianas seguidas. Esta √©poca refor√ßou-se bem, mas as les√Ķes de jogadores como Federico Chiesa e, mais recentemente, Paul Pogba, bem como alguns problemas f√≠sicos de Di Mar√≠a (vai falhar a estreia com o PSG) tem impedido a forma√ß√£o de Turim de atingir um n√≠vel mais elevado, ocupando √† quinta jornada o s√©timo posto do campeonato italiano, j√° com tr√™s empates, e somente sete golos marcados.

[ Os remates/xG (√† esquerda), os dribles e condu√ß√Ķes e as ac√ß√Ķes defensivas da Juve na Serie A 22/23 ]

N√£o espanta a pouca pontaria, pois a Juve √© apenas a terceira equipa da Serie A em Expected Goals (xG) a favor at√© ao momento, pobres 5,3, sendo que marcou mais dois golos do que seria esperado pela produ√ß√£o ofensiva de situa√ß√Ķes de qualidade. Sem Chiesa e com Di Mar√≠a apenas a espa√ßos, Vlahovic e companhia t√™m menos possibilidade de brilhar, n√£o espantando por isso que a Juve esteja bem discreta em termos estat√≠sticos esta temporada, nos principais indicadores.

No ataque, a preocupa√ß√£o maior da equipa transalpina √© o uso das faixas laterais, como indicam as condu√ß√Ķes aproximativas e at√© o local dos dribles eficazes no mapa do centro, em cima (tracejados e estrelas), natural numa equipa que esta temporada tem Kostic √† esquerda, bem colado √† linha, Di Mar√≠a na direita ou mesmo Cuadrado a subir e a causar estragos, tentando depois construir lances para os atacantes. √Ä aten√ß√£o do Benfica tamb√©m a filosofia defensiva da equipa. A Juve, √† boa maneira italiana, n√£o √© uma forma√ß√£o de press√£o em zonas adiantadas, nem mesmo interm√©dias. Pelo mapa da direita d√° para perceber o posicionamento mais recuado nas ac√ß√Ķes defensivas, e n√£o ser√° de espantar que tal aconte√ßa perante os “encarnados”.

Sem Pogba e Chiesa, com Vlahovic e Di “Magia”

Vlahovic, o goleador s√©rvio, ser√° a principal preocupa√ß√£o para o Benfica, pois as outras estrelas ainda n√£o est√£o no patamar desejado. Chiesa s√≥ agora est√° a regressar aos treinos, ap√≥s uma grave les√£o num joelho. Pogba ser√° operado ao menisco e s√≥ dever√° regressar a tempo do Mundial do Qatar, pelo que o ponta-de-lan√ßa, que conta com quatro golos nesta Serie A em quatro partidas, dever√° ser alvo das maiores aten√ß√Ķes por parte de Otamendi e companhia.

Sobra ainda Di María. Alguns problemas físicos limitaram o argentino, ex-Benfica, a apenas 146 minutos no campeonato, suficiente, porém, para um golo e uma assistência. Nota-se ainda falta da capacidade de drible que o caracteriza (ainda não completou nenhum), mas até à próxima semana, o extremo deverá recuperar e, seja qual for a sua condição, poderá decidir um jogo a qualquer momento.

Maccabi Haifa, um perigoso desconhecido

[ O jogo da 2ª mão do play-off contra o Estrela Vermelha, que apurou o Maccabi Haifa ]

GoalPoint-Crvena-Zvezda-Maccabi-Haifa-Champions-League-QL-202223-Ratings

O advers√°rio que todos queriam calhou no grupo do Benfica. Os israelitas n√£o s√£o, contudo, favas contadas. Que o diga o Olympiacos, equipa grega, treinada ent√£o por Pedro Martins, que era favorita na segunda pr√©-eliminat√≥ria e foi goleada em casa pelo Maccabi Haifa, por 4-0. Um dos l√≠deres do campeonato de Israel, a forma√ß√£o de Haifa assenta o seu jogo numa filosofia atacante, seja num 4-3-3 declarado, em num sistema de 3-5-2 como utilizou ante o Estrela vermelha (infografia acima). Em ambos os casos, por vezes exp√Ķe-se em demasia na defesa. √Č aqui que o Benfica poder√° explorar as suas fraquezas, pois √© no sector mais recuado que falta mais qualidade ao conjunto.

A press√£o ofensiva e a procura do golo s√£o, por isso, priorit√°rias para o Maccabi, e sabendo da apet√™ncia do Benfica por pressionar bem √† frente, sufocando os seus advers√°rios, √© bem prov√°vel que consiga aproveitar a menor solidez israelita para acumular golos, mas tamb√©m expor-se ao seus perigosos jogadores da frente. Destes destacam-se nomes como Dolev Haziza, Omer Atzili, Tjaronn Chery, Frantzdy Pierrot ou Ali Mohamed, os jogadores que mais contribuem para os golos e as jogadas de ataque, com assinal√°vel qualidade. Aten√ß√£o √† velocidade e √†s transi√ß√Ķes do Maccabi Haifa.

Possibilidades de o Benfica passar √† fase seguinte. Tem-nas, claro est√°, mais que n√£o seja porque a Juventus n√£o est√° propriamente a viver momentos de brilhantisto e o Maccabi Haifa √© um advers√°rio totalmente ao alcance dos “encarnados”. O Benfica ter√° de come√ßar bem, a vencer, e se quer sonhar com o apuramento ter√° de levar de vencida os israelitas nos dois jogos.

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com mais de duas décadas de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.