A Liga NOS ainda agora começou e, apesar da entrada em cena do VAR (ou talvez por isso mesmo), a discussão sobre as razões pelas quais o árbitro devia ou não ter puxado do apito ocupa já a habitual posição central do debate “futebolístico”.

Quem nos acompanha sabe que não nos metemos nessas novelas, mas não deixamos de acompanhar tudo aquilo que é objectivamente sancionado pelo “juiz” no terreno de jogo, nomeadamente as faltas, sofridas e cometidas por jogadores e equipas, uma variável sempre presente nos relatórios de jogo GoalPoint. Findo o primeiro mês, quem foram os jogadores mais faltosos e aqueles que mais faltas sofreram (ou ganharam)? Eis a resposta.

Os mais faltosos: de Claude a Filipe Augusto

Não admira encontrar um tondelense, Claude Gonçalves, na liderança dos jogadores com mais faltas cometidas à quarta jornada, ou não fosse o Tondela o clube com mais infracções somadas, 87 (mais oito que o emblema seguinte, o Feirense). No entanto, se atentarmos à média de faltas por cada 90 minutos jogados, o médio “auri-verde” fica-se pelo terceiro posto, com 4,5 infracções, batido por dois sul-americanos dos “grandes”: Filipe Augusto (5,5) e Rodrigo Battaglia (4,9), também eles primordialmente incumbidos de tarefas de contenção no “miolo”.

GoalPoint-Faltosos-4J-LigaNOS-201718-infog
Clique para ampliar

Os mais “castigados”, de Allano a Rúben Ribeiro

Entre os jogadores mais “castigados” encontramos craques que, pela sua natureza ofensiva, criatividade e/ou abordagem ao jogo, acabam por naturalmente forçar o erro do adversário. São eles Allano (um estorilista em destaque no nosso “onze” mensal), Etebo e Tomané, todos homens avançados, seguidos por dois “criativos” que alinham ambos sob as ordens de Miguel Cardoso: Francisco Geraldes e Rúben Ribeiro, do Rio Ave.

GoalPoint-Faltas-sofridas-4J-LigaNOS-201718-infog
Clique para ampliar

Para terminar, duas curiosidades colectivas, que complementam a identificação do Tondela como a equipa mais faltosa à quarta jornada: o Sporting CP é a formação que conquistou mais faltas até agora (78), sendo o FC Porto aquela que menos as cometeu (50).