O futebol não é só feito de equipas que ocupam lugares cimeiros, ou de jogadores que ajudam formações a conquistar os troféus mais importantes. Em todas as épocas surgem futebolistas que mostram qualidade extra, mesmo integrados em conjuntos com ambições mais modestas. Nomes que muitas vezes dão “saltos” de carreira à custa do seu bom desempenho.

Esta época, apesar de atípica, não foge à regra. Assim, decidimos olhar alguns dos jogadores que mais brilharam na Liga 19/20, à margem da luta pelo título ou alinhando em equipas actualmente à margem do acesso às provas da UEFA. Seleccionámos três por posição, com base nos GoalPoint Ratings.

Guarda-redes

Giorgi Makaridze (Vitória FC)

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Giorgi-Makaridze-infog
Clique para ampliar

O nome do georgiano surge amiúde nos nossos “tops”, listas de destaque e “onzes”. Após integrar a equipa da Liga NOS que mais se destacou até à paragem da competição, em Março, Makaridze é, naturalmente, o guarda-redes com melhor rating entre clubes fora dos lugares europeus. Foram 11 jogos em sofrer golos, 3,3 defesas a cada 90 minutos (segundo valor mais elevado), correspondentes a 76% de disparos enquadrados defendidos (também segundo mais alto), 72% de remates defendidos na sua grande área (máximo da Liga) e 95% de saídas pelo ar eficazes.

Marco Pereira (Santa Clara) – Paweł Kieszek (Rio Ave)

O segundo guardião nesta análise com melhor rating é um dos esteios do Santa Clara. Marco Pereira tem sido de uma consistência a toda a prova, como mostram as 3,3 defesas a cada 90 minutos, as 75% de paradas a disparos enquadrados, números muito aproximados aos de Makaridze. Peca nas saídas pelo ar, apresentando somente 44% eficazes, mesmo não passando das 0,4 por jogo. Ainda assim foram nove os jogos sem sofrer golos.

A época do Rio Ave tem sido muito positiva, com destaque para a grande eficácia ofensiva e para a excelência na circulação progressiva, mas na baliza tem outro “porto seguro”. Kieszek tem tido mãos de ferro quando colectivamente a equipa não impede lances de finalização aos adversários, contando com o terceiro melhor rating fora dos lugares europeus. Ao todo somou oito jogos sem sofrer golos até ao momento, fruto de 2,7 defesas por 90 minutos, 74% de defesas a disparos enquadrados e 94% de saídas pelo ar eficazes. As 81% de defesas seguras do polaco são o valor mais alto da Liga.

Defesas-direitos

João Aurélio (Moreirense)

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-João-Aurélio-infog.jpg
Clique para ampliar

Um dos laterais-direitos em melhor forma até à paragem do campeonato, João Aurélio, é´o nosso destaque para a posição. O jogador do Moreirense não apresenta números ofensivos de grande relevo, uma assistência e um golo (logo contra o FC Porto) mas, na hora de defender, mostra-se extremamente fiável. Os seus 3,3 desarmes a cada 90 minutos são o melhor registo entre defesas-direitos da Liga e as 2,7 intercepções o segundo.

Carraça (Boavista) – Falaye Sacko (Vitória SC)

Descemos um pouco no mapa (antes de voltarmos a subir) para olharmos para o segundo rating mais elevado, entre defesas-direitos fora da zona europeia. Carraça, jogador do Boavista, surge aqui como um elemento que tenta equilibrar a competência defensiva com o contributo ofensivo. Dois golos e duas assistências em 20 jogos não são pecúlio de somenos, sendo que o “azadrezado” fez em média 1,6 remates e quase um passe para finalização, a cada 90 minutos. Na retaguarda registou 1,6 desarmes e uma intercepção.

De novo no Minho, com foco no Vitória de Guimarães. Falaye Sacko foi, na época passada, um dos mais consistentes da posição e, nesta temporada vai, aos poucos, assumindo protagonismo, depois de uma primeira metade marcada por lesões. Veloz e forte no apoio ofensivo, fez 1,5 passes para finalização por 90 minutos e conseguiu relevantes 25% de eficácia nos 3,8 cruzamentos de bola corrida que arrancou. Defensivamente, destaque para os 2,2 desarmes.

Defesas-centrais

Zainadine Júnior (Marítimo)

Clique para ampliar

Quem acompanha de perto as análises GoalPoint sabe que Zainadine Júnior tem sido um jogador em destaque recorrente, com desempenhos estatísticos muito interessantes. Em 2019/20 foi eleito quatro vezes MVP em partidas do Marítimo, integrando três vezes os “onzes” da jornada. O central moçambicano leva um golo e uma assistência na Liga e tem mantido uma grande regularidade, independentemente do momento colectivo dos insulares. Forte no jogo pelo ar (69% de duelos aéreos defensivos ganhos), não facilita, registando até ao momento 5,7 alívios por 90 minutos, bem como 1,7 intercepções. Um dos mais fiáveis jogadores maritimistas.

Fabiano Leismann (Boavista) – Jadson (Portimonense)

Regressamos ao Bessa para destacar um defesa brasileiro. Fabiano tem alternado a posição de lateral-direito com a de central, sendo mais utilizado nesta última. Não espanta, por isso, que apresente nesta fase 70% de duelos aéreos defensivos ganhos, bem como uma grande qualidade no passe. Nos momentos defensivos o destaque vai para os 2,2 desarmes por 90 minutos, bem como para as 2,0 intercepções, segundo valor mais alto da Liga entre centrais, apenas atrás de Jadson Cristiano

E por falar no jogador do Portimonense, damos um salto ao Algarve para analisar uma das figuras da equipa. O brasileiro é intratável pelo ar, tendo ganho até Março 79% dos duelos aéreos defensivos em que participou, segundo valor mais alto da Liga entre jogadores com mais de 1080 minutos (participou em 2,4 desses lances por 90). Por outro lado, é implacável na facilidade com que intercepta lances adversários, como referimos anteriormente, e quando sobre no terreno é um perigo. São já três os golos apontados por Jadson na Liga, sendo que no Portimonense apenas Dener tem mais tentos que o defesa.

Defesas-esquerdos

Henrique Gomes (Gil Vicente)

O jogador natural de Barcelos, e formado no Gil Vicente, tem 24 anos, mas só esta época (na qual regressou ao clube de origem) se estreou no principal escalão do futebol luso. E esse facto não lhe tem atrapalhado a progressão de Henrique Gomes, sendo o lateral-esquerdo com melhor rating nesta análise. Os seus 3,4 desarmes por 90 minutos são o registo mais elevado entre laterais da Liga, enquanto as 2,0 intercepções também não envergonham ninguém. Realce para os 29% de eficácia que atingiu até Março nos 2,1 cruzamentos realizados, bem acima da média, e para as três assistências, apesar de registar somente 0,7 passes para finalização.

Bruno Teles (P. Ferreira) – Matheus Reis (Rio Ave)

O jogador de 34 anos, que já passou pelo Vitória de Guimarães e Rio Ave, está a ter uma época positiva no Paços de Ferreira. Bruno Teles é um defesa-esquerdo que tenta manter a consistência, sem abdicar de subir no terreno, pelo que apresenta 1,6 desarmes e 1,3 intercepções por 90 minutos, ao mesmo tempo que soma 1,2 passes para finalização por partida. Um atleta fiável, embora não lhe possam pedir grandes feitos técnicos (somente 0,6 dribles completos por jogo).

Matheus Reis é um nome que começa a estar nas bocas do mundo, em especial por já ter sido apontado ao FC Porto, para colmatar a possível saída de Alex Telles. Na terceira temporada em Portugal, segunda no Rio Ave, o brasileiro mostra-se mais competente nos momentos defensivos do que ofensivos, com 2,1 desarmes a cada 90 minutos e 1,3 intercepções.

Na próxima página: os homens do “miolo”