Com o campeonato fechado e em tempo de balanços, o GoalPoint decidiu este ano trazer-lhe algo novo e exclusivo: os “parzinhos” da Liga NOS. “Do que se trata?”, pergunta o leitor, e bem. Falamos dos pares de jogadores que mais interagiram durante a época em variáveis fundamentais, seja de modo amigável… ou nem por isso.

Nos sete “tops” seguintes vai ficar a perceber quem foram os maiores “camaradas” no que respeita a ofertas de ocasiões, ou aqueles que chegaram ao fim da época sem se poder ver à frente, pelo trabalho que tiveram uns com os outros. Ora venha daí.

É só encostar

GoalPoint-Tops-Parzinhos-LigaNOS-1718-Passes-Para-Finalizacao
Clique para ampliar

No que respeita a grandes amizades, chega de Portimão a melhor dupla. Ou será do Japão? É que ambos jogavam lá até há bem pouco tempo. Talvez por isso Nakajima e Fabrício entenderam-se como ninguém, com o japonês a oferecer 19 ocasiões de remate ao brasileiro, e com reciprocidade. É que Fabrício também ofereceu 15 a Shoya, e cinco delas que acabaram por resultar em golo. Pode por isso disser-se que quem os levar de Portimão devia tentar levá-los em “pacote”.

Outra dupla que passou a temporada a abraçar-se foram os benfiquistas André Almeida e Jonas. O lateral português ofereceu 16 remates ao “pistolas”, com cinco deles a terminar em golo. Mas o homem com mais assistências (13) e passes para finalização (94) do campeonato foi mesmo Alex Telles, que teve no compatriota Felipe o seu melhor “comparsa”. O central finalizou 16% do total de ofertas de Alex.

GoalPoint-Tops-Parzinhos-LigaNOS-1718-Assistencias
Clique para ampliar

De ofertas de qualidade não se pode queixar Paulinho. O bracarense anotou 12 golos de bola corrida ao longo do campeonato, sendo que metade foram “prenda” de Ricardo Horta, fazendo deles a dupla mais profícua, a par de Bruno Fernandes e Bas Dost.

Na próxima página: os maiores pesadelos de Jonas