A Liga NOS está prestes a entrar na derradeira jornada da primeira volta, altura em que se farão os devidos balanços intercalares à prova, aos desempenhos colectivos e individuais dos intervenientes, numa tentativa de explicar os sucessos e insucessos, bem como os posicionamentos na tabela classificativa.

Não existe, certamente, um detalhe ou sector específico de uma equipa de futebol que explique, sozinho, o bom ou o mau desempenho de uma equipa, mas há, claramente, os que têm um peso grande sobre o que um conjunto consegue fazer, em especial com competições em que o que conta é a regularidade. Neste âmbito, poucos sectores contribuem tanto para a qualidade global de uma equipa e seus resultados como o defensivo, nomeadamente as duplas de centrais. “Nenhuma casa se constrói pelo telhado”, diz-se em “futebolês”, e poucas situações encaixam melhor nesta ideia do que as tais parelhas.

Olhámos para o topo da tabela e fomos ver qual o GoalPoint Rating médio das duplas com mais minutos na Liga em cada equipa, num exercício simples que reflecte claramente a ideia “a olho” sobre este sector nas diversas formações. Esticámos até ao sétimo classificado pela necessidade de incluir aqui a terceira dupla que mais tem brilhado em termos de desempenhos acumulados. Confira e surpreenda-se – ou não.

1. Porto – Felipe e Éder Militão – 6.26 🥇

Clique para ampliar

A primeira “não surpresa”. A generalidade dos observadores olha para o FC Porto e identifica de imediato a sua consistência defensiva como uma das bases para o sucesso recente do líder da classificação, nomeadamente pela qualidade da sua dupla de centrais. A chegada de Pepe pode baralhar um pouco as contas, mas até à 16ª jornada, Felipe e Éder Militão foram os garantes de uma qualidade defensiva no eixo, com um rating médio de 6.26 a que Iker Casillas só pode agradecer e que assegura a melhor defesa do campeonato, com apenas dez golos consentidos.

Fala-se na saída de Militão e até o jornal espanhol Marca dá conta do interesse do Real Madrid no brasileiro, algo que não espanta olhando para o desempenho deste jovem de apenas 20 anos, que está a arrasar na época de estreia na Europa. Mas atenção a Felipe, que não fica atrás (antes pelo contrário) naqueles que são os principais números para um jogador da posição. Quer esta dupla se mantenha ou se separe, parece certo que os portistas têm todas as condições para manterem a coesão demonstrada até agora.

2. Braga – Bruno Viana e Pablo Santos – 5.71

Clique para ampliar

Já se falou de uma maior permeabilidade defensiva do Sp. Braga, mas os números contrariam essa ideia. Com a segunda melhor defesa da Liga (a par do Belenenses, com 16 tentos sofridos), os “arsenalistas” têm confiado a Bruno Viana e Pablo Santos o seu eixo defensivo, e não se têm arrependido, certamente. São eles os dois centrais bracarenses com mais minutos na prova, mas há um outro jogador à espreita e que, se fizesse parte da dupla dos mais utilizados, faria subir o rating médio de 5.71 para outros números mais positivos.

Talvez já tenha adivinhado. Falamos de Raúl Silva, defesa-goleador que esteve de fora várias jornadas devido a lesão e que conta com apenas 540 minutos na Liga. O brasileiro regista, neste momento, um rating acumulado de 6.72 e não espantará se, em fases mais adiantadas da época, seja ele e mais um dos outros dois centrais que compõem agora a dupla entre os titulares. Soluções não faltam a Abel Ferreira.

3. Benfica РR̼ben Dias e Jardel Р5.49

Clique para ampliar

O Benfica tem tido uma época de sobressaltos, tendo já deixado sair o treinador Rui Vitória, numa altura em que se encontra a sete pontos da liderança. O sector defensivo tem sido um dos mais criticados esta época, algo que deixamos para o leitor a concordância ou não, olhando para os números dos dois centrais mais utilizados, Rúben Dias e Jardel. O comparativo com os centrais do líder FC Porto parece dar razão às críticas, em especial se analisarmos os desempenhos recentes de Rúben Dias, uma das boas surpresas da época passada.

Jardel tem disfarçado alguma instabilidade, em especial através da grande competência nos duelos aéreos defensivos (ganhou, até agora, 77%), mas parece evidente que há espaço para melhorar os números da dupla. O problema aparenta estar nas alternativas, pois Germán Conti e Cristian Lema parecem tudo menos apostas firmes, quer para o agora ex-técnico “encarnado” Rui Vitória, quer para Bruno Lage, o treinador interino.

4. Sporting – Coates e Mathieu – 6.05 🥈

Clique para ampliar

A época do Sporting merece uma análise mais profunda do que apenas sobre a sua dupla de centrais. Aliás, com 18 golos sofridos, é caso para dizer que a sua defesa é tudo menos impermeável, mas o paradoxo parece tomar conta da questão quando olhamos para o desempenho objectivo dos dois principais centrais, Sebastián Coates e Jéremy Mathieu.

Com boa qualidade de passe e quase intransponíveis nos duelos aéreos defensivos, os dois jogadores apresentam ratings acumulados muito interessantes para a posição, “pecando” apenas no baixo número de desarmes do francês e de intercepções do uruguaio. Seja como for, apenas André Pinto parece ser alternativa segura a estes dois nomes, mas somente em situação de castigo ou lesão de ambos.

5. Moreirense – Abarhoun e Ivanildo – 5.28

Clique para ampliar

A grande surpresa do campeonato chama-se Moreirense. Actualmente no quinto lugar, os cónegos coleccionam resultados surpreendentes, sendo o mais relevante a vitória por 3-1 em casa do Benfica. Contudo, não se pode afirmar categoricamente que se trata de uma equipa muito consistente em termos defensivos. É-o, certamente, para o que muitos poderiam esperar dela no início do campeonato, e a verdade é que os 20 golos sofridos têm bastado para a equipa ocupar um valoroso quinto lugar, a seis pontos do quarto, o Sporting.

Num sistema com uma linha defensiva muito alta e que provoca bastantes foras-de-jogo aos adversários (4 por jogo), o marroquino Abarhoun e o português Ivanildo são os centrais mais utilizados, com este último a apresentar o rating acumulado mais alto dos dois. O 5.11 de Abarhoun faz cair o rating médio de ambos, e percebe-se porquê. Os 34% de duelos aéreos defensivos ganhos são um número pobre para qualquer jogador na sua posição, compensado pela maior eficácia de Ivanildo neste pormenor, embora o português mostre fragilidades no passe (82% de certeza é baixo para um central) e até no número de desarmes por cada 90 minutos.

6. Vitória SC – Osorio e Pedro Henrique – 5.71

Clique para ampliar

Os vimaranenses têm agradado os adeptos com as suas exibições personalizadas, competência com a bola e futebol ofensivo e dominador. Na retaguarda, os 17 golos consentidos (tantos quanto o Benfica e menos um que o Sporting) são atestado de qualidade também a evitar que os adversários facturem.

Olhando para a dupla de centrais, Pedro Henrique surge como o grande pilar e líder. Se é verdade que também Osorio apresenta uma boa eficácia nos duelos aéreos defensivos, os seus números estão um pouco longe dos do brasileiro, que já por duas vezes ocupou um lugar entre os centrais nos nossos “onzes” da jornada. Seja como for, em conjunto já demonstraram ser uma das mais consistentes duplas do campeonato.

7. Belenenses – Gonçalo S. e Sasso – 5.80 🥉

Clique para ampliar

O olhar para as duplas de centrais dos primeiros sete classificados termina com o Belenenses. Vincent Sasso e Gonçalo Silva, juntos, registam um rating médio de 5.80, o terceiro mais elevado desta equação. Esta competência defensiva, que permitiu apenas 16 golos aos adversários até ao momento, justifica o sétimo posto ocupado pela formação orientada por Silas.

Os dois jogadores apresentam ratings semelhantes, sendo que não podemos deixar de destacar a grande competência de Sasso nos duelos aéreos defensivos e nas intercepções, com Gonçalo Silva a destacar-se nos alívios. Com um volume e eficácia de passe bem acima da média da Liga, servem na perfeição as ideias do modelo de Silas. Uma dupla para manter, com o médio-defensivo Nuno Coelho à espreita para qualquer necessidade de ocupar o lugar.