Qual o peso dos golos criados na sequência de lances de bola parada na Liga NOS 2017/18 e quem mais domina (e/ou depende) dos ditos? Cá estamos nós para dar resposta, com algumas surpresas.

Dos 614 golos marcados até à 25ª jornada da Liga NOS, 127 deles surgiram na sequência directa ou indirecta da marcação de uma bola parada, ou seja cerca de 20,7% dos tentos registados. Importa neste momento esclarecer que incluímos nesta análise os golos obtidos na sequência de livres directos, bem como aqueles que foram obtidos através de uma assistência directa (passe directo para acção de golo) ou indirecta (mais do que um passe até acção de golo) iniciada na marcação de um pontapé de canto ou livre directo/indirecto. Os golos de grande penalidade, apesar de também constituírem uma situação de bola parada, ficam fora desta contabilidade, por opção metodológica.

Da contabilidade dos resultados da “ciência” das bolas paradas resulta a seguinte tabela, que nos permite identificar não só quem mais golos obteve desta forma como também quem mais depende dos ditos, no total de golos marcados na Liga:

Golos marcados na sequência de bola parada na Liga 17/18 (à 25ªJ)

EquipaGLSGBP% PGBP
Sp. Braga551425.5%
Benfica671319.4%
Rio Ave311135.5%
FC Porto681014.7%
Boavista27933.3%
V. Setúbal27829.6%
Feirense23834.8%
P. Ferreira26726.9%
Belenenses22731.8%
Sporting CP49612.2%
Portimonense36616.7%
Tondela29620.7%
D. Aves27518.5%
Chaves31412.9%
Estoril23417.4%
Moreirense20420.0%
Marítimo21314.3%
V. Guimarães3226.3%

Legenda: GLS – Golos marcados à 25ª jornada; GBP – Golos obtidos directa e indirectamente de bola parada; % GBP – Peso dos golos criados de bola parada no total de golos marcados pela equipa
Fonte: GoalPoint / Opta

O Sporting de Braga, de Abel Ferreira, sobressai claramente, não só pela quantidade mas também pelo peso (um quarto) que os golos criados a partir de bolas paradas têm nos tentos “guerreiros”, sobretudo tendo em conta que os bracarenses são a terceira equipa mais concretizadora da Liga.

O Benfica é o único “grande” a marcar presença neste “top 3”, conseguindo suplantar, colectivamente, a visível influência que as bolas teleguiadas do portista Alex Telles (líder de assistências da Liga) têm na produção ofensiva do líder da prova.

Ainda antes do FC Porto surge o Rio Ave, de Miguel Cardoso, com duas particularidades: os vilacondenses não só são a equipa que mais depende dos lances de bola parada para marcar (cerca de 35%), como são também o emblema mais concretizador no que toca a livres directos, com seis golos obtidos desta forma, mais três que o concorrente mais próximo (Vitória de Setúbal, com três).

A restante tabela reserva menos surpresas, com duas excepções. Primeiro o Sporting, cujo treinador Jorge Jesus ainda esta semana reclamou créditos no que toca à forma como as bolas paradas (defensivas) são trabalhadas no futebol, mas que, com apenas seis golos obtidos dessa forma (tantos como Portimonense e Tondela), faz depender deste tipo de lances apenas 12% dos seus golos. Uma consulta à tabela seguinte permite perceber que existem pelo menos dois emprestados leoninos que podiam ter sido úteis a Jorge Jesus, neste particular. Em segundo lugar o Vitória de Guimarães, cuja época menos positiva encontra explicação parcial no fraco aproveitamento de cantos e livres: apenas dois golos obtidos dessa forma (nenhum de livre directo), com um peso de apenas 6% no total de golos “conquistadores”.

Quem são os protagonistas?

Não podíamos terminar esta análise sem revelar quem são os jogadores que mais acções para golo de bola parada arrecadam, até agora, na Liga, um “top” que acaba por complementar os dados apurados anteriormente, revelando um Rio Ave e um Porto com dependências bem individualizadas (João Novais e Alex Telles), versus um Braga e Benfica com uma eficácia nas bolas paradas mais “democrática”.

Jogadores com três ou mais acções para golo de bola parada

JogadorEquipaABPGLDAGBP
Alex TellesFC Porto718
João NovaisRio Ave145
Tiago SilvaFeirense505
Francisco GeraldesRio Ave224
JeffersonSp. Braga404
PizziBenfica303
BressanChaves303
CerviBenfica213
JardelBenfica303
Pedro NunoTondela213
André HortaSp. Braga303
Nuno PintoV. Setúbal213
David SimãoBoavista303

Legenda: ABP – Assistências directas/indirectas de bola parada, à 25ª jornada; GLD – Golos marcados de livre directo; AGBP – Total de acções para golo (directas e indirectas) para golo de bola parada
Fonte: GoalPoint / Opta