O que joga Ronaldo, três anos após a “dispensa” de Madrid?

-

“Quando o rei faz anos” é uma expressão que se usa para descrever algo que acontece raramente. A verdade é que o “rei” faz mesmo anos, mas no caso de Cristiano Ronaldo, que esta sexta-feira completa 36 “primaveras”, raridade nos golos é algo que não lhe assiste. O capitão da Selecção Nacional continua a marcar que se farta e a “jogar muito”, apesar de, ao longo das épocas, várias vezes lhe terem vaticinado o declínio, em especial em Espanha, de onde saiu em 2017/18. Hoje, no seu aniversário, muitos adeptos do Real Madrid (e não só) lamentam a partida do português da la Liga, pelo muito que tem dado à Juventus.

O comparativo entre a última temporada de Ronaldo nos “merengues” e a actual não deixa margem para dúvidas. A qualidade está lá, o caracter decisivo das suas exibições mantém-se e até melhorou em alguns detalhes. A começar pelo drible. Já no início de 2019/20, aquando de uma declaração de Fabio Capello – “Em Espanha, ele [Cristiano] acelerava e deixava os adversários pelo caminho. Agora quem o faz é Dybala e Douglas Costa. Ronaldo não dribla um adversário há três anos”  -, analisámos este detalhe do jogo do craque luso e percebemos que as palavras do prestigiado técnico italiano eram desajustadas da realidade. E essa ideia sai agora reforçada.

Ronaldo quase que duplicou o número de dribles eficazes a cada 90 minutos, passando dos 1,2 para os 2,0, e tal acontece porque também tenta mais este gesto (passou de 2,3 tentativas para 3,4, aumentando a eficácia de 53% para 59%). Esta estatística andará, certamente, de mãos dadas com facto de na Juventus jogar muitas vezes colado à linha do lado esquerdo, o que proporciona mais estes momentos. E também tem influência no número de remates, pois agora vagueia também por terrenos mais longe das áreas. Na La Liga, Cristiano disse adeus com 5,2 remates de bola corrida a cada 90 minutos, passando agora para 3,8 (7,0 – 5,0 disparos em termos globais). Mas na conversão desses remates, o salto qualitativo é ainda positivo.

Já para deixar de parte o argumento “só malta de penálti”, é de referir que CR7 passou de uma conversão de 14% de remates de bola corrida para 17%, sendo que no global a subida foi de 15% para 20%. E os dados das duas temporadas intermédias (18/19 e 19/20, para as quais deixamos infografias em baixo) voltam a confirmar a consistência de Ronaldo com a camisola da “vecchia signora”. Teremos craque até quando?

[ Os números de CR7 nas duas épocas anteriores, na Serie A ]

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR