Paulo Lopes partiu a “loiça” (leia-se Taça)

O guarda-redes suplente do Benfica, Paulo Lopes, tem-se habituado a “trepar” balizas no último ano, após as diversas conquistas que o Benfica acumulou na época 2013/14 e ontem não foi excepção. No entanto, desta vez a coisa correu mal. O troféu da Supertaça é composto essencialmente por vidro e Paulo Lopes pagou caro o menor cuidado com que manuseou o troféu, partindo-o e ferindo-se no processo. O guarda-redes entra assim para uma galeria de jogadores e treinadores que não souberam lidar da melhor maneira com os símbolos das conquistas, na qual se destacam os casos de Sérgio Ramos na conquista da Taça do Rei em 2011 e a selecção germânica que terá danificado o troféu de campeã do mundo durante os festejos, mais recentemente.