Perfil: Maâzou, um avançado diferente

    Oito golos em 11 jogos esta época pelo Marítimo na Liga portuguesa fazem de Moussa Maâzou uma das figuras da prova e esta semana voltou a estar em destaque.

    Clique na infografia para ler em detalhe (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)
    Clique na infografia para ler em detalhe (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)

    Em 2013/14 chegou a Portugal como um desconhecido, apesar de no seu currículo contar com passagens por clubes importantes do futebol europeu. Moussa Maâzou, avançado de 26 anos do Níger, reforçou o V. Guimarães na época transacta, após passagens por emblemas como o Bordéus, CSKA de Moscovo ou Mónaco. Agora, no Marítimo, está a mostrar a qualidade goleadora que não conseguiu provar na “cidade-berço”, sendo já uma das figuras do campeonato. E voltou a marcar na 11ª jornada.

    Moussa Maâzou não é um avançado típico. É alto e forte, mas não é um verdadeiro homem de área. É veloz e tecnicista, mas não é um extremo. Destaca-se, sobretudo, por estas quatro características, aparentemente inconciliáveis para um atleta com a sua fisionomia. Talvez por isso registe desempenhos tão distintos nos dois emblemas portugueses que já representou. Em Guimarães deu nas vistas pela sua presença física, velocidade e facilidade com que se esquivava às marcações, mas no final da época somou apenas seis golos, quatro na Liga portuguesa, dois na Liga Europa. No início desta temporada foi dispensado pelos minhotos e reforçou o Marítimo, e nestes poucos meses de Liga já leva oito golos, liderando a tabela de melhores marcadores da prova, a par de Jackson Martínez e Anderson Talisca. Destaque para os dois tentos apontados fora com o Paços de Ferreira e Sporting.

    A sua força física, mobilidade e velocidade fazem dele um atacante muito perigoso em lances de transição rápida, de contra-golpe, nos quais pode aproveitar as suas capacidades para fugir aos adversários contrários e aplicar o seu potente remate. Uma das qualidades de Maâzou é, precisamente, o disparo à baliza, e esta época soma uma média de 4,3 remates por jogo, com relevantes 92,3% de pontaria. O aproveitamento concreto dos seus “tiros” em golo cai para cerca de 17%, mas tal deve-se à sua avidez pela baliza, o que lhe permite, ainda assim, somar os tais oito golos em 11 jogos disputados (seis a titular).

    Nos restantes vectores, destaque para uma assistência para golo registada até ao momento, os 0,2 passes para ocasião por partida, bem como para os 81,5% de eficácia média de passe. Números que ajudaram o atacante a tornar-se no destaque da semana do GoalPoint.

    Porém, Maâzou precisa de melhorar em alguns aspectos, em especial a movimentação dentro da grande área contrária, a procura de espaços na mesma e a reacção no momento de acorrer a passes ou cruzamentos. Esta menor capacidade do jogador não o torna no elemento ideal para equipas de ataque continuado com um elemento mais talhado para ataque posicional. Por outro lado, necessita de esfriar os ânimos. O recente episódio em que atirou a bola para longe ao saber que não seria ele a apontar uma grande penalidade demonstra alguma instabilidade emocional que o pode prejudicar no futuro. Seja como for, a “locomotiva” do Marítimo é um jogador para seguir com atenção no futuro próximo.