Os ingleses chamam-lhe key pass. Aqui chamamos-lhe passe para ocasião. Chame-lhe o que quiser é algo nuclear no futebol ofensivo: a capacidade para oferecer, através do passe, uma ocasião de golo a um colega de equipa bem posicionado para terminar uma jogada com a bola… no fundo das redes. Alguns destes passes terminam em assistência, outros nem por isso, mas nem por isso perdem o valor. E há um português que, para lá de se ter tornado recentemente a contratação mais cara de sempre do Benfica, oferece mais razões para surgir nos títulos. O seu nome é Pizzi e encontra-se entre os líderes europeus do passe para ocasião. Vamos aos números.

Passeio generoso no Estoril

Com mais sete passes para ocasião somados neste fim-de-semana, Pizzi elevou a sua média de passes para ocasião a cada 90 minutos para uns impressionantes 3.6. O número ficou de tal forma na retina que fomos compará-lo com os melhores da Europa neste capítulo e eis como o brigantino se compara aos demais:

#RankingJogador (Clube)PPO /90m*
Ozil (Arsenal)3.7
Pizzi (Benfica)3.6
=Payet (West Ham)3.6
Ljajic (Inter)3.4
=De Bruyne (Man City)3.4
Neymar (Barcelona)3.3
=Di Maria (PSG)3.3
Gaitán (Benfica)3.2
=Duda (Malaga)3.2
=Valbuena (Lyon)3.2

Fonte: GoalPoint.pt / Opta   *PPO /90m – Média de passes para ocasião efectuados a cada 90 minutos jogados

 

Nesta altura da época, e considerando a produção nas respectivas Ligas, Pizzi apenas é superado por Mesut Ozil, no que respeita às ocasiões de golo criadas (pelo passe), o que mesmo relativizando o nível do campeonato português em relação aos restantes, não deixa de impressionar.

Pizzi chutão

Mas além das ocasiões de golo, Pizzi voltou a revelar-se certeiro no remate, algo que demonstra a sua versatilidade e lhe acrescenta ainda mais valor, senao vejamos o quanto rematam o lote de jogadores anteriormente referido:

Jogador (Clube)Rem /90m*
Ozil (Arsenal)1.4
Pizzi (Benfica)2.9
Payet (West Ham)1.9
Ljajic (Inter)2.7
De Bruyne (Man City)2.0
Neymar (Barcelona)4.2
Di Maria (PSG)3.3
Gaitán (Benfica)1.5
Duda (Malaga)1.9
Valbuena (Lyon)2.3

Fonte: GoalPoint.pt / Opta   *Rem /90m – Média de remates efectuados a cada 90 minutos jogados

 

Apesar de ser superado por Ozil e igualado por Payet nos passes para ocasião, quando toca a criar ocasiões por intermédio do próprio remate, Pizzi não só supera os dois criativos da Premier League por larga margem, como também demonstra uma apetência para o disparo ao nível dos melhores, algo que tem valido muito ao Benfica.

Carote?

Num mês em que Pizzi foi anunciado como a contratação mais cara da história do Benfica, fomos ver quanto vale este tipo de jogador, e tentar perceber se à luz destes os números, os muitos milhões parecem bem ou mal empregues:

Jogador (Clube)Milhões (€)
Ozil (Arsenal)50
Pizzi (Benfica)14
Payet (West Ham)15
Ljajic (Inter)11
De Bruyne (Man City)74
Neymar (Barcelona)88.2
Di Maria (PSG)63
Gaitán (Benfica)8.4
Duda (Malaga)0.7
Valbuena (Lyon)5

Fonte: Transfermarkt

 

O golo está caro, e jogadores capazes de os criar com frequência também. Pizzi está longe de ter sido um jogador barato para a realidade portuguesa, mas visto por este prisma, está abaixo da média do que custam “lá fora” os jogadores que atingem números de excelência nestes domínios.

Resta saber se o número 21 é capaz de manter o nível na segunda metade da época, e se também se consegue mostra na Champions League, onde o seu registo de passes para ocasião por 90 minutos é mais baixo (2.2). Se assim for, os 14 milhões estarão (desportivamente) rentabilizados e de que maneira.