A confiança está de volta na Seleção Brasileira. Depois de uma estreia preocupante com o empate diante da Suíça por 1 a 1, o Brasil conseguiu voltar a vencer e convencer na Copa do Mundo da Rússia, e segue firme na briga pelo hexacampeonato.

Muita expectativa entre os brasileiros

Apesar de ainda sofrer com o alto desemprego, a alta inflação e ver operações policiais como a “Lava Jato” revelarem, a cada dia que passa, novos personagens da corrupção política, o brasileiro começa a acreditar que pode ser feliz no meio de tudo isso e aposta que a seleção brasileira pode trazer de volta a alegria para o povo.

Não é por menos, o brasileiro é apaixonado por futebol e Copa do Mundo. É nesta época que eles conseguem “esquecer” os problemas e torcer pela seleção. Nas casas de apostas em futebol, a Seleção é a mais cotada para vencer o Mundial. Responsabilidade maior para os comandados de Tite em trazer a sexta estrela.

Grupo unido

Lesões de última hora, empate no jogo de estreia e polêmica do “cai cai” envolvendo sua principal estrela. O começo da Seleção Brasileira no Mundial da Rússia não foi dos mais fáceis. Mas situações como estas acabam servindo para fortalecer o grupo e deixá-lo mais unido.

Foi o que aconteceu no caso de Neymar, um dos jogadores mais  festejados no Mundial. O choro do camisa 10 após a vitória diante da Costa Rica fez o grupo se fechar e dar apoio ao atacante. O técnico Tite sabe muito da importância dessa união e vem trabalhando isso ao longo dos jogos.

Elenco estrelado

A Seleção Brasileira busca seu sexto título mundial com um dos melhores elencos da história das Copas. Neymar, Coutinho, Casemiro, Marcelo, Douglas Costa, Gabriel Jesus e Alisson são referências nos clubes onde atuam. Além disso, todos citados, com exceção do camisa 10 que vinha de lesão, vivem um bom momento em seus times e disputam o Mundial como jogadores renomados, titulares em qualquer equipe que atuarem.

Não é por menos. A Seleção Brasileira tem o terceiro elenco mais valorizado da Copa do Mundo 2018. O valor estimado é de 981 milhões de euros. Só os franceses e os espanhóis possuem um grupo mais caro.

O talento brasileiro foi comprovado na disputa da última Liga dos Campeões, maior competição entre clubes do mundo. Na decisão em Kiev entre Liverpool e Real Madrid, três brasileiros estavam em campo na disputa do título: Marcelo e Casemiro pelos espanhóis e Roberto Firmino pelos ingleses. Vale lembrar que Phillipe Coutinho também participou da campanha do Liverpool nesta competição. Ele deixou o clube durante a fase final da Champions para jogar pelo Barcelona.

GOAL POINT - SELEÇÃO BRASILEIRA - 2- 1200Retrospecto da Seleção

A busca pelo hexacampeonato começou na Copa do Mundo de 2006. De lá para cá, o Brasil amargou eliminações precoces e doloridas. Naquele mundial, por exemplo, o time comandado pelo técnico Parreira chegou nas quartas-de-final como favorito, mas acabou sendo surpreendido pela França. O gol de Thierry Henry é comentado até hoje pela displicência do lateral Roberto Carlos, que tinha obrigação de marcar o atacante e estava arrumando a meia durante o lance.

Em 2010, reformulação da Seleção. Novas apostas, principalmente no comando técnico. Dunga fazia sua estreia em Copas como treinador e era muito criticado por sua falta de experiência. No elenco, jogadores mais rodados mais poucos expressivos dentro da seleção como Robinho e Luís Fabiano. O Brasil chegou novamente as quartas-de-final. Considerado favorito, o time perdeu para a Holanda, de virada, por 2 a 1 e saiu fora da competição.

Na partida, mais um personagem negativo. Felipe Melo, que até vinha fazendo uma boa Copa, se atrapalhou com Júlio Cesar, que acabou falhando no gol de empate dos holandeses. Depois disso, o camisa 8 foi expulso e prejudicou o Brasil que não conseguiu segurar a força da Holanda.

Em 2014, expectativas renovadas. Uma Copa no Brasil era a grande chance de devolver a alegria de volta para o torcedor e acabar de vez com a síndrome de não conseguir vencer um Mundial em casa. Com Neymar como sua principal estrela, a Seleção conseguiu chegar à semifinal com muita dificuldade. A disputa de pênaltis nas oitavas-de-final contra o Chile foi sofrida, com direito a choro do capitão Thiago Silva, antes mesmo das cobranças.

Mesmo assim, o time conseguiu se classificar para a semifinal. O problema é que não iria contar com a sua principal estrela. Neymar se lesionou nas quartas-de-final diante da Colômbia e ficou de fora da partida diante da Alemanha. A ausência do craque foi sentida pelo grupo e o resultado todo mundo já sabe: muita desorganização em campo e 7 a 1 na conta.

Ainda tentando esquecer a tragédia em 2014, o Brasil vem firme na busca do hexacampeonato. A campanha no mundial da Rússia já impressiona com vitórias na raça. Será que desta vez vem? Qual o seu palpite? Agora é o México nas oitavas-de-final que vai sentir a força da nossa seleção.