Porto ūüÜö Benfica | Quem chega mais forte ao primeiro cl√°ssico?

-

A pergunta tem m√ļltiplas rasteiras e n√£o √© de resposta f√°cil. Nem a daremos aqui neste espa√ßo de an√°lise pr√©-“cl√°ssico”, focado mais nos aspectos colectivos, onde tentaremos perceber em que detalhes de jogo e vari√°veis FC Porto e SL Benfica se superam mutuamente, antes do embate desta sexta-feira no Est√°dio do Drag√£o, a contar para a d√©cima jornada da Liga bwin. N√ļmeros que reflectem nove jornadas e que os apresentamos aqui para que possa tirar as suas ila√ß√Ķes e, qui√ß√°, prever o desfecho de mais um grande jogo de futebol em perspectiva.

O Benfica come√ßou a √©poca de forma arrasadora, chegando a ter cinco pontos de avan√ßo sobre um campe√£o aos solu√ß√Ķes. Entretanto, os “drag√Ķes” parecem ter reencontrado a sua melhor forma e vendem sa√ļde, enquanto o Benfica vem de alguns resultados d√ļbios, com quatro empates recentes, embora dois deles frente ao poderoso Paris Saint-Germain. Confirma-se o crescendo portista? √Č palp√°vel algum desgaste f√≠sico nos “encarnados”?

Duas forças ofensivas em confronto

GoalPoint-Preview-Jornada10-Porto-Benfica-Liga-Bwin-202223-infog

Para início de conversa, há a realçar o facto de que em confronto estarão o terceiro (Porto, com 22) e o segundo (Benfica, com 23) melhores ataques da prova, apenas atrás do Braga (24), o que por si só promete duas equipas à procura do golo, apesar de, naturalmente, este poder ser um jogo algo táctico nos primeiros minutos.

Os dados das √ļltimas cinco jornadas (infografia acima) mostram um Benfica com relativa superioridade em algumas das principais vari√°veis do jogo, na m√©dia de remates, nos enquadrados e, de forma bem vincada, na posse de bola, o que adv√©m, em grande parte, da capacidade benfiquista na press√£o e na reac√ß√£o √† perda de pose (j√° l√° vamos). Ambos os emblemas surgem com n√ļmeros muito semelhantes de Expected Goals (xG) a favor e contra, bem como de golos marcados (12-12) e sofridos (2-3), e com dois nomes em grande forma: o Jogador GoalPoint de Setembro, Mehdi Taremi, e o renascido Jo√£o M√°rio.

As estat√≠sticas de golos s√£o o reflexo da capacidade superior de ambos os conjuntos em diversos momentos de ataque, dos remates, √†s ocasi√Ķes flagrantes, passando pelos cada vez mais populares Expected Goals (xG). Os tops seguintes s√£o disso demonstrativo:

  • O Benfica √© l√≠der, √† nona jornada, na m√©dia de remates por jogo, com 20,4, sendo o Porto a terceira forma√ß√£o da Liga que mais dispara, com 17,8.
  • Os “encarnados” s√£o tamb√©m a forma√ß√£o que mais dispara de bola corrida, com 15,2, e mais uma vez os “drag√Ķes” surgem em terceiro neste detalhe, com 12,6.
  • Importante saber quais destes remates se encaminham para as balizas. Neste “pormaior”, os benfiquistas n√£o lideram, est√£o atr√°s do Braga, mas s√£o segundos, com 6,5 disparos enquadrados por jogo, seguindo-se os portistas mais uma vez em terceiro, mas bem perto, com 6,1.

[ xG dos remates de Porto (esquerda) e Benfica: a amarelo os golos, azul os enquadrados, quanto maior o círculo, maior o xG ]

Rematar é bom, mas a qualidade dos mesmos e o perigo que constituem são factores ainda mais relevantes:

  • O Porto assume aqui a lideran√ßa no que toca aos xG a favor (mapa em cima √† esquerda). Os portistas registam, nesta fase do campeonato, 22,9 golos esperados, o que na pr√°tica aponta para que estejam a “dever” um golo √† sua contabilidade na Liga bwin.
  • O Benfica surge logo a seguir, em segundo lugar, com 22,6 golos esperados, pelo que, arredondando, o seu pec√ļlio de golos est√° em linha com as ocasi√Ķes de que disp√Ķem.

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Top5-Team-20-10-2022-Flagrantes-Criadas-infog

Os dois rivais do “cl√°ssico” desta sexta-feira tamb√©m lideram na qualidade das suas ocasi√Ķes. O Benfica √© a equipa da Liga que mais ocasi√Ķes flagrantes cria por jogo, cerca de 3,7, quase mais uma que os 2,9 que os “azuis-e-brancos” fabricam, e apenas o Braga aproxima-se dos dois da frente. Um detalhe que poder√° ter um peso grande no jogo do Drag√£o, no n√ļmero de golos, caso se confirmem estas tend√™ncias.

Benfica melhor na qualidade de passe

O n√ļmero elevado de remates est√°, obviamente, ligado directamente ao n√ļmero de passes para finaliza√ß√£o que as equipas conseguem, detalhe em que, mais uma vez, o Benfica lidera e o Porto surge em terceiro. Contudo, a grande diferen√ßa entre as duas equipas nas entregas est√° na efic√°cia global de passe, algo que influencia, tamb√©m, na posse de bola – que, como vimos, pende claramente para o lado “encarnado”.

  • A equipa de Roger Schmidt √© a que apresenta melhor r√°cio de passes completos, atingindo os 87,3% nesta fase do campeonato, seguido de perto pelo Sporting.
  • O Porto, esse, surge somente em s√©timo lugar neste particular, com 81,7% de efic√°cia, um n√ļmero bem longe do l√≠der e rival de sexta-feira. Ter√° este detalhe peso?

N√£o espanta, por isso, que o Benfica surja como a forma√ß√£o com mais ac√ß√Ķes com bola por jogo, uma m√©dia de 870,8, bem acima das 673,7 dos “drag√Ķes”, quarto melhor conjunto da Liga.

Dribles, um problema para o Porto resolver

Esta estatística depende não só da qualidade dos executantes, mas também da filosofia de jogo de cada equipa. Porto e Benfica são, necessariamente, equipas diferentes em muitos aspectos, não tanto no talento dos seus jogadores, mas na abordagem que assumem nos seus jogos. No drible, as diferenças saltam à vista.

  • O Benfica √© a segunda equipa da Liga bwin 22/23, atr√°s do Sporting, em tentativas de drible por jogo, chegando √†s 23,7 por partida. Na efic√°cia destes lances tamb√©m se posiciona atr√°s dos “le√Ķes”, com 9,8 conclu√≠dos, correspondendo a um acerto de 41,3%.
  • Na percentagem de conclu√≠dos, o Porto n√£o est√° muito atr√°s, com 40,6%, mas os n√ļmeros globais s√£o distintos. A equipa de S√©rgio Concei√ß√£o √© apenas a oitava em tentativas de drible, com 20,8 por jogo, o que se pode explicar pelo maior pragmatismo e objectividade na forma como o Porto ataca. Nos dribles eficazes os “drag√Ķes” surgem, mais uma vez, em oitavo na Liga, com 8,4.

Estes n√ļmeros podem n√£o ter um impacto grande na forma de olhar para o pr√≥ximo “cl√°ssico”, por√©m h√° um detalhe que pode ter um peso grande na partida, se se confirmarem as estat√≠sticas de √©poca, e que S√©rgio Concei√ß√£o ter√° de abordar.

  • O Benfica √© a forma√ß√£o da Liga que menos dribles permite aos oponentes, apenas 6,5 por partida.

[ Os dribles consentidos de Porto (à esquerda) e Benfica na Liga ]

Duas panelas de press√£o

Uma das caracter√≠sticas do Porto campe√£o em 2021/22 era a capacidade de press√£o em zonas adiantadas no terreno, nomeadamente no meio-campo advers√°rio. As sa√≠da de Vitinha, um dos jogadores que mais pressionava bem √† frente, para o Paris Saint-Germain, e o arranque aos solu√ßos de Ot√°vio (link), em parte devido a les√Ķes, mudaram um pouco o paradigma. Agora, com Schmidt, √© o Benfica a liderar neste detalhe, na Liga e na Europa.

[ Ac√ß√Ķes defensivas de Porto (√† esquerda) e Benfica na Liga 22/23 ]

  • O Benfica lidera, com larga vantagem, na m√©dia de ac√ß√Ķes defensivas que realiza nos meios-campos advers√°rios, nada menos que 18,7. Um n√ļmero que oblitera a concorr√™ncia n√£o s√≥ em Portugal, como nas principais Ligas europeias. Para termos uma ideia, a segunda que mais destas ac√ß√Ķes regista por jogo nas Ligas Top 5, mais Liga bwin, √© o Leeds United, com cerca de 16.
  • Outro indicador √ļtil na avalia√ß√£o da qualidade da press√£o defensiva das equipas √© o PPDA, que mede o n√ļmero de passes permitidos at√© ser realizada uma ac√ß√£o defensiva. Este indicador, dominado pelo Porto¬†(at√© a n√≠vel europeu) nos √ļltimos anos, √© agora liderado (tamb√©m a n√≠vel Europeu) pelo Benfica, com apenas 3,6 passes permitidos at√© interven√ß√£o defensiva, contra os 4,4 do FC Porto. Conv√©m no entanto ter em conta que √© ainda um pouco cedo para leituras conclusivas neste participar, sendo tamb√©m importante relembrar que os drag√Ķes enfrentaram j√° dois advers√°rios do habitual G4 – Sporting e Braga – curriculum que o Benfica que ir√° entrar no Drag√£o ainda n√£o apresenta.
  • O Porto continua a fazer muito este tipo de ac√ß√Ķes e √© segundo em Portugal, mas n√£o passa das 14,2 por encontro, uma diferen√ßa grande em rela√ß√£o ao Benfica. Teremos uma forma√ß√£o da casa mais na expectativa e um visitante mais subido?

Trancas na porta

[ Os remates permitidos por Porto (à esquerda) e Benfica na Liga bwin 22/23 ]

Em consequência da pressão exercida por Porto e Benfica sobre os seus adversários, não espanta que os dois rivais sejam das equipas que menos remates permitam aos adversários.

  • O Benfica surge, mais uma vez, com melhores n√ļmeros que o Porto quando o assunto √© remates permitidos. As “√°guias” s√£o a equipa da Liga que menos disparos consente aos advers√°rios, somente 5,2 por jogo, o mesmo acontecendo nos disparos na sua grande √°rea, que n√£o passam dos 2,7.
  • Por√©m, os homens da Invicta tamb√©m n√£o facilitam, sendo a segunda equipa neste detalhe, com 7,9 remates permitidos, 4,6 na sua grande √°rea (tamb√©m segundo valor mais reduzido).
  • Ainda que o Porto queira esperar pelo Benfica e aproveitar as costas da defesa subida das “√°guias” – algo expect√°vel tendo por base o que analis√°mos anteriormente sobre posse de bola e press√£o -, acontece que os “encarnados” conseguem, ainda assim, manter os seus advers√°rios controlados, concedendo apenas 0,9 remates por jogo ap√≥s passe vertical. Neste pormenor, o Porto √© quinto, pelo que os “drag√Ķes” poder√£o correr um risco grande, caso tentem partir para cima dos lisboetas sem salvaguardar as suas costas.

Pelos ares domina o drag√£o

O Porto, por√©m, tem uma arma que pode ser decisiva neste “cl√°ssico”, a sua capacidade no jogo a√©reo, algo que, no futebol moderno, tem um peso cada vez maior, quer no futebol corrido, quer nas bolas paradas.

  • O Porto √© a equipa com maior percentagem de duelos a√©reos defensivos ganhos, nada menos que 65,5%, algo que sobe para os 72,2% quando esses lances acontecem na √°rea dos “azuis-e-brancos”. O Benfica √© apenas o sexto nos duelos a√©reos defensivos ganhos (58,4%), e 13¬ļ nos que acontecem na sua grande √°rea (46,7%). N√ļmeros que devem preocupar os respons√°veis t√©cnicos benfiquistas.
  • Na frente, nos duelos a√©reos ofensivos, a coisa equilibra-se, mas ainda assim com vantagem portista, que chega aos 56,4% ganhos, perante os 55,9% dos benfiquistas. Na √°rea advers√°ria, a forma√ß√£o da Luz lidera, com 65,3% ganhos, com o Porto em terceiro (58,6%).

[ Duelos aéreos de Porto (à esquerda) e Benfica na Liga ]

Estes jogos s√£o quase sempre de tripla, mesmo tendo em conta¬† o ascendente do Porto nas recep√ß√Ķes ao Benfica. “Drag√Ķes” e “√°guias” apresentam-se em bom momento, sendo as equipas em melhor forma em Portugal, e t√™m todas as condi√ß√Ķes, individuais e colectivas, para proporcionarem um bom espect√°culo. Ser√° que as estat√≠sticas superiores do Benfica e os detalhes em que tal se manifesta ter√£o peso e veremos um Benfica mand√£o e um Porto mais na reac√ß√£o? Teremos um “cl√°ssico” decidido num lance pelo ar, ou num lance individual com um drible estonteante? Na sexta-feira saberemos.¬†

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com mais de duas décadas de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.