GoalPoint-Porto-Chaves-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-Chaves-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-Chaves-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar

O FC Porto não deu qualquer hipótese ao Desportivo de Chaves, na primeira jornada da Liga NOS, e “despachou” os flavienses por claros 5-0. O jogo começou a ficar decidido na primeira parte, altura em que o “dragão” realizou uma exibição de gala, com três golos e uma mão cheia de excelentes ocasiões desperdiçadas. O domínio portista foi total, o Chaves pouco ou nada fez, pelo que o triunfo do campeão nacional nunca esteve em causa.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Entrada de rompante do FC Porto, perante um Desportivo de Chaves muito recuado. Ainda assim, perante o posicionamento transmontano, os portistas lá iam arranjando espaço para atacar e criar perigo, com Vincent Aboubakar a registar duas ocasiões flagrantes desperdiçadas nos primeiros dez minutos. Nesta fase os “dragões” tinham 69% de posse de bola e o único remate, desenquadrado, precisamente pelo camaronês.
  • Porém, era Aboubakar quem mais perto estava do golo, e foi ele mesmo a abrir o activo, aos 14 minutos, a concluir facilmente. Este foi o terceiro remate portista, primeiro enquadrado, mas pela produção ofensiva, é caso para dizer que, nesta fase, o resultado pecava por escasso.

  • Aboubakar acabava por quebrar o enguiço, após um longo período de jejum, e o 1-0 deu-lhe confiança de “matador”, fazendo ele próprio o 2-0 do Porto, aos 20 minutos, a encostar após um centro atrasado de Otávio na direita da grande área. Tudo fácil para os portistas, que aos 25 minutos registavam já sete remates, dois deles enquadrados, 73% de posse de bola e 69% de duelos individuais ganhos. O Chaves, nada…

  • Após o segundo golo, o Chaves começou a acertar marcações e o jogo perdeu um pouco de intensidade e de ocasiões de perigo. Ainda assim, os flavienses eram incapazes de construir um lance de ataque com princípio, meio e fim. Aproveitou Yacine Brahimi para fazer o 3-0, aos 45 minutos, a concluir após bom lance na grande área.
  • Intervalo Primeira parte de grande nível do FC Porto, que chegou ao descanso a vencer de forma confortável, podendo apenas lamentar por o resultado não ser ainda mais dilatado. Aliás, os “dragões” criaram quatro ocasiões flagrantes, três delas nos primeiros 20 minutos, duas desperdiçadas por Aboubakar. O camaronês bisou e só não era o melhor em campo ao intervalo precisamente pelos falhanços e pela prestação de Otávio, que registava um GoalPoint Rating de 7.0, fruto de duas assistências, dois passes para finalização e 89% de eficácia de passe.

  • Reatamento de partida mais pausado, ainda assim apenas com o Porto à procura do golo. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo o Porto registava 63% de posse, dois remates, ambos desenquadrados. Mas destaque para o primeiro disparo dos visitantes, por Gevorg Ghazaryan, aos 56 minutos. Para fora.
  • Excelente jogo de Sérgio Oliveira que, pelos 70 minutos, registava um rating de 7.4, fruto de uma ocasião flagrante criada em três passes para finalização e 93% de eficácia de passe. Contudo, foi o recém-entrado Jesús Corona a fazer o 4-0, após recuperar a bola, avançar no terreno e rematar com sucesso para um grande golo.

  • Tudo mais do que decidido no Dragão, ainda para mais com João Teixeira a ver cartão vermelho directo, aos 80 minutos. Marius Mouandilmadji ainda teve tempo de entrar e fazer o 5-0, de cabeça, num triunfo concludente dos portistas. No final, 69% de posse de bola, 19 remates, seis enquadrados, nove ocasiões flagrantes criadas, cinco golos.

O Homem do Jogo 👑

Bis de Aboubakar, assistências de Otávio. Mas não foi nenhum desses o melhor em campo. No final da partida, um jogador destacou-se acima de todos, e esse foi Sérgio Oliveira. O médio português terminou com um GoalPoint Rating de 7.8, fruto de uma assistência, duas ocasiões flagrantes criadas em cinco passes para finalização, 93% de eficácia de passe e ainda quatro desarmes. Oliveira esteve em todo o lado.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Maxi Pereira 7.8 – O lateral uruguaio ficou apenas uma centésima atrás de Sérgio Oliveira no nosso rating. Maxi criou duas ocasiões flagrantes em três passes para finalização, somou 88 acções com bola e fez seis intercepções.
  • Vincent Aboubakar 7.1 – O camaronês só não tem uma nota bem mais elevada porque aos dez minutos já tinha duas ocasiões flagrantes falhadas. Acabou com dois golos em cinco remates, uma assistência, dois passes para finalização e dois dribles certos em sete tentativas.
  • Yacine Brahimi 6.2 – O argelino esteve em dúvida, mas foi a jogo e esteve em grande plano, com um golo marcado e cinco dribles eficazes em oito tentativas. Mantém a bitola das últimas épocas.
  • Otávio 7.2 – O brasileiro fez uma excelente segunda parte, ao registar duas assistências, ambas para os golos de Aboubakar. Caiu um pouco na segunda parte, ao ponto de sair aos 71 minutos.
  • Nikola Maras 5.7 – Perante o total deserto ofensivo do Chaves, nos transmontanos o melhor foi o defesa-central Maras. O sérvio de 22 anos destacou-se com oito alívios em com quatro duelos aéreos defensivos ganhos nos quatro em que participou.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner