O FC Porto foi afastado da Liga Europa pelo Borússia de Dortmund. A equipa portuguesa perdeu por 1-0 no Estádio do Dragão numa partida que, olhando agora, após o apito final, não foi mais do que a concretização de uma inevitabilidade que se sentia desde o final do encontro da primeira mão, na Alemanha. Um autogolo (ingrato) de Iker Casillas e números que demonstram o total controlo dos acontecimentos por parte do Dortmund é o que fica desta partida cinzenta, na qual o Porto tentou algo mais mas mostrou sempre um “dragão”… sem fogo.

Liga Europa 2015/16 - Porto vs Dortmund
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Não há muito a contar deste desafio, dada a consistência dos acontecimentos em campo, que se traduziram em números mais ou menos semelhantes no final da primeira parte e após o apito final. Olhando para as estatísticas, nota-se um Dortmund que sabia (desde o jogo da Alemanha) como anular os pontos fortes do FC Porto, ou seja, roubando-lhe a bola. Os germânicos terminaram o jogo com 62% de posse e, também importante, um bom registo na eficácia de passe (84%), fundamental para que o adversário não consiga ter a iniciativa de jogo. Os portistas até remataram mais, como lhes competia, mas o controlo das operações vestiu sempre de amarelo. O golo de Iker Casillas na própria baliza, após remate de Aubameyang à barra, apenas confirmou o que já se sentia: que o “dragão” não tinha pernas para o adversário da Bundesliga.

Schmelzer, um lateral moderno

Só podia ser um jogador do Dortmund o eleito por nós como jogador mais valioso. Marcel Schmelzer esteve um furo acima dos demais, pois apesar de ser lateral foi o jogador com mais remates (a par de Mkhitaryan) na sua equipa, dois. Fez ainda um passe para ocasião, ganhou cinco de dez duelos, conseguiu sete intercepções e cinco alívios. Uma solidez que lhe valeu 7.1 no GoalPoint Ratings.

Do lado do Porto o destaque é mais ou menos óbvio, pois foi o que mais se mostrou inconformado e mais lutou para virar o rumo dos acontecimentos. Danilo Pereira somou 6.6 no nosso rating, foi quem mais rematou, com dois disparos (os mesmos de Marega), acertou 86,7% dos 45 passes que realizou e ainda ganhou dez dos 11 duelos que disputou. Muito bem esteve o médio portista.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS