TotoRating Banner

Clique para ampliar

O FC Porto venceu neste domingo o Famalicão por 3-0, somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato e “roubou” a liderança aos comandados de João Pedro Sousa. Luis Díaz, Tiquinho Soares e o jovem Fábio Silva foram os marcadores de serviço. A equipa de Sérgio Conceição continua sem sofrer golos em casa na Liga. Por sua vez, o “Fama” desta feita não deu “show” e averbou, após, seis vitórias e um empate, a primeira derrota na prova.

Resumo 📺

O jogo explicado em números 📊

  • Os “dragões” entraram em cena com o pé no acelerador. E dominaram por completo os primeiros 15 minutos do encontro, pressionavam a primeira fase de construção dos visitantes, tinham mais posse de bola (57% – 43%), mais remates – cinco, três dos quais perigosos, por Uribe, duas vezes, e Pepe,  contra um -, três cantos contra apenas um do Famalicão e supremacia nos duelos  – 15/11. Mas mantinha-se o nulo.

  • Paulatinamente, os famalicenses, através de dois remates perigosos de Fábio Martins, conseguiram sair do colete de forças azul e branca, mas os anfitriões voltaram a assumir as rédeas da partida. À passagem da meia-hora, já tinham seis remates, cinco dos quais enquadrados à baliza de Defendi, e 58% da posse de bola contra 42% dos visitantes e iam aproveitando o lado direito, com Mbemba, Uribe e Corona a entenderem-se bem, para carrilarem 46% das ações ofensivas.

  • Em cima do intervalo, surgiu o golo. Ao décimo remate – sétimo enquadrado à baliza -, Luis Díaz, após assistência de Corona, inaugurou a contenda. E o resultado só não era outro porque Defendi fez jus ao apelido, com 8.0, ia liderando o ranking ao longos dos primeiros 46 minutos, muito graças às seis intervenções que coleccionou. Do outro lado, Fábio Martins tentava remar contra a maré, com dois tiros – um dos quais enquadrado que obrigou Marchesín a voar – e apenas dois passes falhados nos dez que tentou, ia-se destacando 5.6

  • Intervalo Dominador, o FC Porto chegava ao descanso em vantagem, fruto da forma intensa como soube neutralizar a primeira fase de construção que tanto caracteriza o Famalicão. O domínio ficou expresso nos números finais da primeira metade: dez remates – sete enquadrados à baliza adversária – contra quatro, quatro cantos contra três contrários, uma eficácia de passes que rondou os 86% contra 77% e uma posse de bola que não deixava margem para dúvidas – 61%/39%. Além dos já mencionados Defendi e Luis Díaz, duas menções honrosas para Otávio6.5 – e Corona6.3

  • Mais acutilante, a equipa da casa continuou na mó de cima na etapa complementar. Quatro remates de rajada, domínio absoluto – 61 versus 39 na percentagem na posse de bola e o perigo a rondar a baliza adversária.

  • Adivinha-se o segundo golo, que aconteceu aos 72 minutos, naquele que foi o 15.º remate do “emblema da Invicta” no jogo, o quinto na segunda parte. Soares marcou, no terceiro remate que efectuou na partida, e deu outra almofada de conforto ao FC Porto.

  • Confortável na frente do marcador, a equipa de Sérgio Conceição, baixou as linhas, dando mais iniciativa ao Famalicão, tentando explorar o contra-ataque. A receita ia dando resultado aos 86 minutos mas o remate cruzado de Fábio Silva saiu a escassos centímetros do poste direito da baliza adversário. Segundos depois, o jovem avançado de 17 anos voltou a entrar em ação e a fazer história, apontando o primeiro golo no campeonato. Foi o 18.º remate dos “azuis e brancos” em todo o encontro, contra apenas cinco do Famalicão.

O melhor em campo GoalPoint👑

Soares. Tiquinho Soares. Eis o nome do melhor jogador dentro das quatro linhas no palco do “dragão”. Num dia em que todos os jogadores que Sérgio Conceição “lançou” no onze titular tiveram um rating igual ou superior a 6.0, o “dianteiro” acabou por destacar-se dos colegas. Esmiuçando os números, o camisola 29, além do golo apontado, teve metade dos seis remates que fez enquadrados à baliza de Defendi, apenas três passes falhados dos 11 que fez, cinco duelos aéreos ganhos – em oito tentativas -, e sofreu, ainda, duas faltas. No final de contas, teve um GoalPoint Rating de 7.3.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Pepe  7.3Exibição seguríssima do defesa-central. Não permitiu veleidades a Anderson e companhia e no ataque mostrou alguns dos seus predicados. Cabeceou com perigo, obrigando Defendi a mostrar serviço ainda na primeira parte, e mostrou acerto nos lançamentos longos para o ataque – seis passes certos em dez tentativas. Apenas cometeu uma falta e sofreu duas.
  • Luis Díaz 7.3 – Depois do golaço apontado ao Glasgow Rangers na passada quinta-feira, o colombiano voltou a mostrar pé quente no reduto dos dragões. Marcou o primeiro golo do encontro e foi uma ameaça constante para a defensiva do Famalicão. Gizou três passes que poderiam ter resultado em golo, dos quatro dribles que arriscou, falhou apenas um, completou 94% dos passes – dois falhados em 33 tentados – e ainda “mostrou-se” no aspeto defensivo, com um desarme.
  • Corona 7.1 – Voltou a atuar como extremo, numa opção estratégica que resultou em pleno. Sempre intenso, arriscou o remate em três ocasiões – duas enquadradas -, “ofereceu” o primeiro golo a Luis Díaz, num dos quatro cruzamentos que fez.
  • Otávio 6.7 – A forma como pressionou a primeira fase de construção do Famalicão, foi uma das chaves do triunfo “portista”. Com apenas cinco passes falhados em 59 tentativas – eficácia de 92% -, teve seis recuperações de bola e muita disponibilidade ao longo de toda a partida.
  • Fábio Martins 6.2 – Dois remates perigosos, um dos quais a colocar Marchesín à prova, eficaz no capítulo do passe – 80% graças aos 16 passes certos em 20 tentativas – e teve ainda quatro ações defensivas.
  • Defendi 5.8 – Até ao golo de Luis Díaz, foi um muro intransponível. Tudo o que havia para defender, defendeu. Terminou o jogo com seis intervenções, cinco na área do Famalicão, e apenas “manchou” a exibição quando quis sair a jogar, dominou mal a bola e permitiu que Fábio Silva fechasse as contas do duelo.