FC Porto 🆚 Moreirense | Perseguição ao líder relançada

-

[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”GoalPoint Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Porto-Moreirense-LIGA-NOS-201617-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”Melhor em Campo ” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Porto-Moreirense-LIGA-NOS-201617-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”45m” tab_id=”1465571624614-ba177b16-4154″]
GoalPoint-Porto-Moreirense-LIGA-NOS-201617-45m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”90m” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Porto-Moreirense-LIGA-NOS-201617-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

OFC Porto regressou este domingo às vitórias, batendo em casa o Moreirense (3-0), numa partida que controlou do princípio ao fim. Com este triunfo, os “dragões” encurtam a distância para o Benfica para quatro pontos – os mesmos que agora os separam do Sporting.

O Jogo explicado em Números 📊

  • O FC Porto entrou em campo determinado a pôr um fim à sequência de maus resultados e chegou aos 10 minutos com 71% de posse de bola. No entanto, a única ocasião de perigo criada até então pertencia ao Moreirense, num remate enquadrado de Francisco Geraldes, a obrigar Casillas a uma boa intervenção.
  • Foi só à passagem da meia-hora que o FC Porto chegou à vantagem, numa jogada de insistência que terminou com um remate certeiro de Óliver Torres – o primeiro disparo enquadrado dos “dragões” após seis tentativas.
  • Perto do final da primeira parte, o FC Porto chegou ao 2-0 por intermédio de André Silva, que até então tinha passado praticamente ao lado do encontro (apenas 12 toques na bola e sete passes, sendo o pior jogador de campo dos “dragões” nestes dois aspectos). As coisas acabariam por ficar ainda mais complicadas para o Moreirense logo depois, devido à expulsão de Geraldes por duplo cartão amarelo.

  • Intervalo Terminados os primeiros 45 minutos, o FC Porto levava clara vantagem em termos de posse de bola (66%) e ainda mostrava mais clareza na troca de bola (82% de eficácia de passe contra 71% do Moreirense). Óliver Torres liderava os  GoalPoint Ratings com 6.5, fruto do golo marcado, ele que acertara apenas 70% dos passes efectuados. Herrera, 6.1, surgia no encalço do espanhol, somando 22 passes no meio-campo adversário – mais do que qualquer outro companheiro –, dois deles para ocasião.
  • Os primeiros 15 minutos da segunda parte foram um verdadeiro sufoco para o Moreirense, que permitiu quatro remates bastante perigosos a André Silva no espaço de dois minutos. A equipa visitante terminou este período com 23% de posse de bola e uma eficácia de passe de 52%, que demonstrava as dificuldades que os cónegos sentiam para sair para o ataque e manter a bola controlada.
  • O terceiro golo do FC Porto acabaria por surgir aos 62 minutos, apontado por Marcano, que surgiu isolado na pequena área na sequência de um pontapé de canto. O central espanhol afirmava-se cada vez mais como o homem da partida, depois de ter também estado envolvido no primeiro golo.

  • Até ao final da partida, a equipa do Moreirense limitou-se a fazer a controlo de danos, terminando o desafio com apenas um remate enquadrado – curiosamente o primeiro do encontro, aos quatro minutos –, contra sete do FC Porto, que, tudo somado, teve 70% de posse de bola e entrou 61 vezes na área contrária.

O Homem do Jogo 👑

Herrera nem sempre tem sido titular esta época, mas deixou esta noite a prova de que é um jogador a ter em conta por Nuno Espírito Santo, terminando a partida como o homem do jogo  GoalPoint Ratings, com 8.7. a melhor exibição estatística da jornada (com duas partidas por disputar). Protagonizou seis passes para ocasião (um deles uma assistência), e acertou 86% dos passes que efectuou. Nenhum outro jogador portista deu tantos toques ou passou tanto a bola como ele. E ainda ajudou nas tarefas defensivas, somando seis desarmes. Uma exibição de luxo do mexicano.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Marcano 7.5 – Exibição ao mais alto nível do central espanhol, mais a atacar (um golo e uma assistência) do que propriamente a defender (sete acções defensivas, 75% de duelos ganhos).
  • Danilo 7.2 – O internacional português foi uma autêntica âncora no meio-campo portista, somando sete intercepções e 19 recuperações de posse. Fez ainda quatro remates, mas nenhum deles saiu enquadrado, estabelecendo novo máximo de recuperações de bola num jogo, desde que existem dados Opta da Liga NOS.
  • Makaridze 6.5 – O resultado dilatado a ele não deve ser atribuído. O guarda-redes georgiano fez quatro defesas, impedindo que o FC Porto fizesse ainda mais golos.
  • Kelvin 5.7 – Esteve pouco mais de 20 minutos em campo, mas entrou com vontade. Fez dois passes para ocasião, entrou uma vez na área adversária e recuperou a posse de bola cinco vezes.
  • Podence 4.0 – O jovem avançado esteve muito abaixo do que é habitual. Falhou oito passes e perdeu a posse de bola 15 vezes, acabando por ser substituído aos 79 minutos).

Resumo💻

Luís Mira
Luís Mira
Jornalista com mais de uma década de experiência profissional. Colaborou com vários órgãos de comunicação, nacionais e estrangeiros, entre os quais Público, A Bola, Goal.com, Sky Sports e BBC.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR